De como a Lava Jato cometeu crime de imprensa com a Veja

Procuradores repassaram a Veja trechos da delação de Ricardo Pessoa antes de conferir sua veracidade.

O artigo na página de Opinião da Folha foi consagrador. “Lava Jato muda a Justiça e a advocacia”, de Joaquim Falcão (http://migre.me/r1khz).

O autor é professor de direito na FGV Direito e umbilicalmente ligado às Organizações Globo. Foi presidente da Fundação Roberto Marinho e um dos autores de uma biografia laudatória a Roberto Marinho.

Falcão discorre sobre os avanços ocorridos na cooperação internacional e tece loas á mudança de estilo das investigações. Diz que a nova geração de juízes, procuradores e delegados dá mais prioridade aos fatos que às doutrinas; têm mais pragmatismo e menos bacharelismo. E “valorizam a força das imagens que entram via Internet, televisão, lares e ruas, nos autos e tribunais” – seja lá o que a frase signifique.

Faz uma enfática defesa da “liberdade de imprensa” e afirma que os procuradores sabem se valer bem dela.

Falcão é um intimorato defensor da voz das ruas influenciando julgamentos.

A quais “doutrinas” bacharelescas Falcão se refere?

Talvez ao Artigo 20 do Código Civil

Art. 20. Salvo se autorizadas, ou se necessárias à administração da justiça ou à manutenção da ordem pública, a divulgação de escritos, a transmissão da palavra, ou a publicação, a exposição ou a utilização da imagem de uma pessoa poderão ser proibidas, a seu requerimento e sem prejuízo da indenização que couber, se lhe atingirem a honra, a boa fama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a fins comerciais. (Vide ADIN 4815).

Talvez o artigo 21:

Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma. (Vide ADIN 4815)

Ou talvez o artigo 138 do Código Penal

Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:

Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

§ 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.

Provavelmente o Artigo 201 paragrafo 6 do Código de Processo Penal

§ 6 – O juiz tomará as providências necessárias à preservação da intimidade, vida privada, honra e imagem do ofendido, podendo, inclusive, determinar o segredo de justiça em relação aos dados, depoimentos e outras informações constantes dos autos a seu respeito para evitar sua exposição a meios de comunicação.

Mas, segundo Joaquim Falcão, submeter-se às doutrinas pode ser sinal de falta de pragmatismo e excesso de bacharelismo.

Vamos analisar as belas palavras de Joaquim Falcão à luz de alguns fatos recentes, do assassinato de reputação de Valter Cardeal.

O técnico que é amigo de Dilma

Valter Cardeal tem 45 anos de setor elétrico, 30 como diretor, os últimos 13 como executivo do governo federal. Trouxe na biografia a participação no governo Alceu Collares, quando Dilma Rousseff era Secretária de Energia.

Essa ligação custou-lhe 13 anos de marcação cerrada, na qual levantaram apenas dois episódios contra ele. Mas deu-lhe o mérito de desenvolver um dos mais importantes programas sociais da era Lula, o programa Luz Para Todos.

O primeiro episódio, de um suposto envolvimento em escândalos na Eletrobras em 2010. A Polícia Federal captou uma escuta que, fora a linguagem coloquial, não tinha um indício sequer de atos irregulares. O caso acabou arquivado pelo Ministério Público Federal depois que o próprio TCU constatou a lisura do processo.

Leia também:  STF define regras para compartilhamento de dados entre órgãos de controle e Ministério Público

Outro caso foi de um diretor da Eletrobras que respondia a uma ação de improbidade. O problema não foi detectado nem pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e nem pela Polícia Federal. A ficha vinda da Justiça omitia a informação. Pelo fato de sua assinatura estar no processo de contratação, o Ministério Público Federal abriu uma ação contra ele. O sujeito que sofreu a ação de improbidade nada sofreu. Cardeal responde à ação até hoje.

As contratações no setor elétrico

Cardeal não trabalha em Angra 3, não integra sequer o conselho da Eletronuclear. Em princípio nada tem a ver com as obras de Angra 3. Na condição de diretor de geração da Eletrobras, tem a responsabilidade de acompanhar indiretamente o avanço financeiro e físico .com.com obra, já que a Eletronuclear é uma subsidiária.

O modelo de contratação do setor elétrico é totalmente diferente.com.com.com.com daquele que vigorava na Petrobras.

Fernando Henrique Cardoso tirou as amarras da Petrobras da Lei das Licitações, mas a empresa não desenvolveu normas de compliance para monitorar os processos decisórios. Diretores tinham autonomia para contratar até R$ 2 bilhões. Um diretor podia convocar as empresas, acertar o preço e contratar.

Na Eletrobras as contratações são submetidas à Lei 8666.

Na hora de licitar uma usina, a Eletrobras procede ao estudo de licenciamento ambiental, componente indígenas, questão social, o EVTE (Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica). Analisa o CAPEX (o total de investimentos) e o OPEX (o total a ser gasto na operação) para chegar ao preço da energia.

Esses estudos são apresentados à EPE (Empresa de Planejamento Energético) que analisa e faz ajustes pontuais. Ai vai para o TCU (Tribunal de Contas da União) que ajuda a estabelecer o preço final.

Terminado o processo, abre-se a licitação e a Eletrobras disputa o leilão de energia com outras empresas. Vencendo pelo critério do menor preço, o contrato é homologado pela ANEEL ou pelo poder concedente. E aí começa a correr o prazo.

A energia tem que ser entregue na data acertada em contrato. Tem que se calcular o período de construção, o da licença prévia, mais um período de licença de instalação de operação e, então, o início da geração comercial. Para entrar na licitação, a Eletrobras precisa assinar um pré-contrato com a empreiteira, para poder dar o lance final.

Há um embate permanente entre contratantes e contratados.

Se não entregar a energia no prazo combinado, a empresa terá que a adquirir no mercado à vista, a preços exorbitantes desde que a seca produziu desequilíbrios hidrológicos relevantes.

Sabendo disso, os empreiteiros fazem um jogo permanente. Mal começa a obra apelam aos chamados “claims” (cálculos de perdas em desvios contratuais). Contratam empresas especialistas para calcular perdas. Se uma fatura é atrasada por mais de 90 dias, têm direito de parar a obra. Se o contrato é por PU (Preço Unitário), aumentam a quantidade de unidades. Se Preço Global, sempre tratarão de identificar riscos geológicos maiores que os previstos. Começa um trabalho de procrastinar enquanto o calendário vai correndo.

As rixas com Ricardo Pessoa

Foi nesses embates que Cardeal conquistou um inimigo, Ricardo Pessoa, da UTC, apontado como coordenador informal do cartel de empreiteiras. Até  governo FHC o cartel envolvia 13 empresas. Com a explosão de obras no governo Lula, passou a contar com 26.

Leia também:  Militar apontado como torturador processa vítima alegando 'danos morais'

Os trabalhos de Angra 3 são  complexos. É uma usina antiga, totalmente analógica e teria que se terminar a construção com sistemas digitais modernos. Para tanto, teriam que contratar montagem eletromecânica.

O contrato estava andando quando, de repente, os preços originais de R$ 2,9 bilhões foram reajustados para R$ 3,3 bilhões.

Cardeal já tinha mais de 30 usinas nas costas e percebeu que o valor ficou alto demais. Com 1.450 MW, Belo Monte é maior que Itaipu e, para ela, a montagem foi contratada por R$ 1,2 bilhão.

A própria UTC integrava o consórcio contratado para Belo Monte e caiu fora porque não aceitou baixar o preço. Quando saiu do consórcio, foi admitida outra empresa e fechado o valor final de R$ 1,2 bilhão.

Logo em seguida a UTC apareceu em Angra 3 integrando um consórcio com a Camargo Correia e a Odebrechet. O preço já tinha sido adjudicado para o vencedor e publicado no Diário Oficial de forma relâmpago, com a aprovação da comissão de licitação.

Na hora de assinar o contrato, Cardeal recusou julgando o valor excessivo. O presidente da Eletronuclear, Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva temeu pelo atraso e alegou que nada poderiam fazer já que o orçamento havia sido aprovado no TCU e publicado no Diário Oficial.

Cardeal insistiu, estudou os contratos e descobriu uma cláusula que permitia uma redução de até 6% no valor da obra – que representava R$ 200 milhões – em caso de gestão compartilhada dos consórcios.

Pessoa alegou que a cláusula era opcional. Cardeal rebateu que poderia ser opcional para as empreiteiras, não para a Eletrobras. E solicitou que abrissem todos os custos.  Vieram com os custos abertos e a proposta de redução de 3,94%. Cardeal bateu o pé nos 6% e venceu. Tentou ampliar mais, mas o contrato não permitia.

A vingança de Pessoa

Aí entra a Lava Jato.

Após a visita aos Estados Unidos, a força tarefa da Lava Jato decidir focar o setor elétrico. Pessoa foi pressionado a ampliar a delação para além da Petrobrás. E viu a oportunidade de enredar Cardeal em sua delação.

Antes de confirmar qualquer dado, o procurador Dalton Dalagnol liberou as declarações de Pessoa criminalizando Cardeal para a revista Veja, mesmo estando protegidas por sigilo.

A versão era de um amplo non sense.

Segundo a matéria fornecida a Veja, a Eletrobras teria pedido um desconto de 10% no valor cobrado pelo consórcio. Este teria aceitado um abatimento de 6%. Segundo o jornalismo de baixo nível da revista, “a diferença não resultou em economia para os cofres públicos”  porque a diferença deveria ser doada para o PT.

Era óbvia a falta de nexo da matéria – e dos procuradores que passaram as informações.

Primeiro, o ineditismo de baixar o preço para cobrar propina. Mesmo que a tese fosse correta, não poderia ignorar que houve a redução de 6% na conta da Eletronuclear.

Além disso, pelas contas da Lava Jato, houve a transferência de R$ 7,5 milhões para a campanha do PT pela UTC. Ora, 4% do contrato equivaleriam a R$ 133 milhões. Como explicar essa desproporção entre a suposta delação de Pessoa e os valores apurados?

Se a força tarefa da Lava Jato se dispusesse a analisar documentos, antes de repassar a denúncia para revista Veja, poderia consultar  a Carta Eletronuclear à Eletrobras de 7 de abril de 2014 (clique aqui para baixar os documentos de defsa de Cardeal).

Leia também:  Promotora do júri é nomeada para acompanhar apuração de mortes em Paraisópolis

Na carta informa-se de uma reunião de 25.02.2014 conduzida pelo Diretor de Operações da Eletrobras (Valter Cardeal) na qual os consórcios apresentaram proposta conjunta de desconto de 3,94%. “Declaram, entretanto, concordar em elevar esse desconto para 6%, valor previsto no Edital para a situação de acordo operacional entre os consórcios vencedores”.

Cardeal tentou ampliar o desconto, mas não conseguiu.

A ata é conclusiva: “A Eletrobras Eletronuclear entende como louvável qualquer esforço na direção de conseguir menores preços para os empreendimentos e não temos a menor dúvida que este mesmo entendimento vem norteando a motivação do Dr. Valter Cardeal”.

Mesmo assim, apresentava 6 circunstâncias para concluir o processo licitatório. Alegava que poucos processos licitatórios haviam sido tão examinados como aquele. A postergação da assinatura dos contratos de montagem impactava diretamente o cronograma de conclusão.

Outro documento, de 26 de março de 2014, comprova que o consórcio propunha uma redução de apenas 3,94% no valor final do contrato.

No Estadão de ontem (http://migre.me/r1jJn), trechos de e-mails recolhidos do consórcio tratam Cardeal como “Eclesiástico”  e “Sua Santidade” e informam que ele questionou a Eletronuclear  sobre os preços cobrados.

De que adiantou? O rosto de Cardeal e a pecha de criminoso circularam por revistas do porte da Veja e , esta semana, da IstoÉ.

O excesso de pragmatismo

Voltemos à apologia de Joaquim Falcão aos métodos mais afeitos aos fatos do que à doutrina, de procuradores que sabem aproveitar a liberdade de imprensa.

Numa ponta tinha-se o líder de um cartel, Ricardo Pessoal, réu confesso, e uma revista – a Veja – até recentemente associada a uma organização criminosa, de Carlinhos Cachoeira. Veja participou ativamente das manobras para anular a Operação Satiagraha, divulgando informações falsas, promovendo assassinatos de reputação em troca de gordas verbas publicitárias do grupo Opportunity.

Na outra, um técnico do setor com 45 anos de carreira sobre a qual não pesa uma denúncia consistente sequer.

Se a doutrina tivesse sido seguida, Dallagnol não teria passado as informações para Veja antes de apurar sua consistência. Cardeal teria tido oportunidade de se defender e demonstrar sua inocência.

O preço dessa parceria midiática não se restringe aos inocentes fuzilados pelo caminho. A conta é muito mais cara.

Entra na conta a blindagem conferida à Editora Abril, depois das abundantes provas colhidas pela Operação Monte Carlo de envolvimento com Carlinhos Cachoeira; a blindagem assegurada à Globo, envolvida até o pescoço com os problemas da CBF e da FIFA; o prurido em divulgar qualquer informação sobre as contas do HSBC; o temor do Procurador Geral em desarquivar o processo contra Aécio Neves, por conta no paraíso fiscal de Lienchestein ou de aceitar a denúncia minuciosa do doleiro Alberto Yousseff sobre propinas cobradas em Furnas.

Ou seja, viva os novos métodos de investigação e a cooperação internacional, viva os jovens procuradores e seu afã em limpar o Brasil.

Mas não se venha com a hipocrisia de supor que a parceria com a mídia é neutra. Essa parceria emulou o velho modelo da República Velha. Quem estiver debaixo do guarda-chuva da mídia, estará a salvo. Para os demais, que se virem.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

81 comentários

  1. Mais uma vez….

    Assassinato de reputação, calúnias,  falsas notícias,  ilações sem fundamento. ..

        Isso nunca vai ter fim?

        Porque o judiciário tem tanto medo da mídia?  Nunca faz nada contra ela.

          A estabilidade dos juízes e os altos salários supostamente blindariam  os juízes de influências externas.

         Por que então eles não pediram a mídia? 

        O que a midia tem para assustar tanto os juízes? 

    • Porque o judiciário tem tanto

      Porque o judiciário tem tanto medo da mídia? Nunca faz nada contra ela.” Ora, Edson, não faz nada porque, infelizmente, é braço do conservadorismo tupiniquim. 

      Estamos fadados a ser protetorado das nações centrais, pois elas tem aqui uma base de reprodução de capital fabuloso e, juntamente com os seus sócios nativos mantiveram, mantém e manterão as coisa como são. Como o que não falta – sem nem serem, meu deus do céu! – e gente que faz o jogo da burguesia – como eles são bons em manipular, não? – padecemos e padeceramos.

      Mas, como diz o ditado, se o estupro é invevitável, relaxa e…!!

  2. A lição de Romário e do banco suíço ao PT, face a VEJA.

    Enquanto a direção petista, pusilânime, fica escondida debaixo da cama com medo da VEJA e da emissora dos Marinhos, o baixinho Romário faz o que deve ser feito: processo!

    Pior ficará para a VEJA com a entrando do banco suíço na história: processo, no Brasil e na Suiça!

    Se no Brasil um Judiciário elitizante alega “risco a democracia” para não exigir as indenizações pecuniárias merecidas pelas vítimas da contumaz caluniadora da Marginal, na Suíça, a história é outra. A sentença será, sem dúvida, de indenização em milhões de francos suíços, que valem mais do que o euro.

    Que a direção petista aprenda com Romário e o banco suíço e acabe de vez com os animadores da horda fascista, que agora, já faz atentados a bomba por aí.

  3. CNMP

    Não vai dar em nada. Se houver denúncia ao CNMP este dirá que está tudo certo e que o conluio entre o procurador e a Veja é profundamente republicano. E quem achar ruim, que reclame ao Papa, porque, no Brasil, é assim mesmo. E ponto. Desde, claro, que não atinja ninguém daqule partido dos inimputáveis. Remember Luis Francisco…

  4. Esses procuradores fanfarrões
    Esses procuradores fanfarrões vão se enrolando cada vez mais.

    Como é exótico esse tal Dallagnol.

  5. Barbárie e horror

    Dallagnol é o procurador que foi ao culto e chamou jornalistas para registrar o fato.

    Jogo de cena? Sinceridade?

    Supondo-o sincero, talvez em sua mente doentia imagine que a limpeza étnica que a Lava Jato está promovendo fará bem ao país. Talvez seja mais um messiânico fundamentalista, para quem os fins justificam os meios. No caso, meios corruptos, sujos, ilegais para fins completamente desconectados da realidade.

    A Lava Jato está deixando um rastro de trevas no país, fomentando o extremismo, agravando a recessão econômica e destruindo o Estado de Direito.

    Dallagnol  violou a Constituição, que um dia, como profissional do Direito, jurou honrar. Não cumpre as leis da Terra, nem as do Céu. Orar no culto não apaga os crimes cometidos.

    Vivemos tempos sombrios de barbárie e horror e Dallagnol é um dos culpados por isso.

  6. “O preço dessa parceria

    “O preço dessa parceria midiática não se restringe aos inocentes fuzilados pelo caminho.”

    DISCORDO!

    Não existe parceria midiática! Existe COMANDO MIDIÁTICO, leia-se irmãos Marinho, claro, associados aos Mesquita, Frias, Civita e mais alguém menor. Parceria é quando há sociedade. Procuradores e juízes são cupinchas dos Marinho. Funcionários. Desde a Satiagraha, quando eles foram pra cima de Lula pra livrarem a cara de Roberto Civita, ainda vivo. SÃO OS DONOS do Brasil. O que diz o Chico Buarque em relação ao patriarca Roberto, em 1993, no documentário Muito Além do Cidadão Kane (aos 1min4segs), hoje é mais que realidade.

    Somos, não a República Federativa do Brasil mas o Principado dos Marinho. E suas Organizações Globo.

     

  7. O presentaço de Moro e MPF ao bandido confesso Ricardo Pessoa

    O presentaço de Moro e MPF ao bandido confesso Ricardo Pessoa

    O Estadão noticia (*) em 9 de julho que Ricardo Pessoa foi liberado pelo juiz Sérgio Moro (e, claro, pelo MPF) para retomar o comando da empreiteira, pois o retorno às atividades do dono da UTC estava entre as condições acertadas com a PGR no acordo de delação premiada homologado pelo STF.

    Para entidades (Moro e MPF) que prendem as pessoas para evitar a “continuidade delitiva” das mesmas, é  bem revelador o fato de celebrarem um contrato com o bandido-chefe do clube VIP das empreiteiras com este tipo de cláusula. Vai ver que o Deltan obteve garantia de Deus de que Ricardo Pessoa jamais cometerá crimes de novo. Mais ou menos o que fizeram o mesmo Moro e o MPF com Alberto Youssef em 2004.

    Com uma cláusula dessas, por que o bandido confesso Ricardo Pessoa não denunciaria Valter Cardeal ou qualquer outro que lhe pedissem para delatar?

    —————————————
    (*) Em http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/dono-de-empreiteira-que-virou-delator-pode-voltar-ao-trabalho/

  8. É, se o STF não colocar ordem

    É, se o STF não colocar ordem nisso tudo, ou o STJ, está aberto o caminho para um novo regime facista no Brasil. Quem tem olhos veja.

    • O STF e/ou o STJ colocarem

      O STF e/ou o STJ colocarem ordem nesse caos?  Se fosse o caso, já teriam agido há muito tempo. Desde o mensalão que estão sob o regime de “faca no pescoço”. No âmbito interno, capitaneada pela globo, o comando do espetáculo é da mídia que, por seu turno, tb sujeita-se às ordens superiores de forças desestabilizadoras não tão ocultas, atuantes em todo planeta. Dessa feita no Brasil, a ordem é destruir tudo, terra arrasada. Salvo ações em sentido contrário de outras forças ocultas, a empreitada golpista caminha para um retumbante sucesso.

  9. É fácil imaginar o tamanho do

    É fácil imaginar o tamanho do ego desse procurador e desse juiz, depois de lerem o artigo do Falcão. O artigo significa “caminho livre” pra eles. É a senha.

  10. O bom Deus o perdoará

    Dallagnol, que tem nome de xarope, parece até bem intencionado, mas no afã de condenar confunde justiça com justiçamento e se apressa, temendo a  morosidade da justiça, em negar o sagrado direito de defesa ao acusado. Está contaminado também pelo vírus da exposição. Isso fará bem a sua carreira, não importando por cima de quem passe. Como fiel seguidor de Jesus, como se autointitula, sabe que o bom Deus o perdoará se tiver cometido algum pecado com boas intenções.  Deltan também soa nome de inseticida.

    • Que o “cristão” não se esqueça:

      “Não julgueis para não serdes julgado (…) Ants de tirar o cisco do olho do teu irmão, retira a trava do teu”

  11. Ações

    Cosntata-se comportamentos ciminosos por parte da mídia e por parte de agentes públicos. 

    Pergunta-se: A quem cabe acionar na justiça esses infratores? Advocacia da União, Ministro da Justiça, OAB, Tia Zulmira?

    Porque não o fazem? Esperam o fim do mundo?

  12. V.E.J.A

    Vamos

    Enganar

    Jovens e

    Adultos 

    Só sinto pena dos meus muitos amigos que ainda acreditam nessa revista…

  13. É preciso deixar claro, que o

    É preciso deixar claro, que o macarthismo da velha mídia é muito para além do PT. Ele se volta contra toda pessoa Progressista, que sonha com uma política econômica desenvolvimentista e não financista, contra todo o brasileiro nacionalista e as esquerdas em geral.

    Seremos sempre vítimas ao defender um Brasil soberano, desenvolvido e com Justiça social. 

    Isto precisa acabar! 

  14. Esperar o quê de procuradores

    Esperar o quê de procuradores que não trabalham porque passam o tempo todo a dar entrevistas, fazer palestras em igrejas? Se tiveram preguiça de assistir a um simples vídeo, que dirá ler as toneladas de papéis apreendidos. Nesse blog mesmo teve servidor do judiciário dizendo que fazia trabalho de juiz; provavelmente também tem os que façam o trabalho dos procuradores. O sistema de justiça brasileiro é tão ruim quanto o sistema político; tudo converge para isso: vaidades, interesses políticos, preguiça, estabilidade, falta de controle externo. Por isso apelam para as delações, dão menos trabalho. Ou vocês acham que preguiçoso é só o procurador que abriu investigação contra Lula? Ledo engano.

    Infelizmente, o mundo jurídico todo adora a imprensa e aparecer na Globo. O falecido Márcio Thomaz Bastos foi o criador do Innovare, um instituto de conluio entre o Judiciário e a imprensa. O Brasil só tem uma desculpa: é difícil ser uma democracia quando nunca se foi uma. O aprendizado é difícil e espinhoso; custou a vida de muita gente e continuará custando. Agora que parte da elite não pode usar as forças armadas para matar parte de seus adversários, tem que matar a reputação. Imprensa é igual arma: pode salvar vidas e pode ser letal. Em algumas sociedades democráticas, a imprensa é mais regulada do que as armas, por que será? 

    O aprendizado da democracia também custa a confiança nas instiuições. A política é, sem dúvida, a mais atingida, mas a hora do Judiciário também chega. Quanto ao MP, gostaria que fosse possível designar um chefe eterno do PSDB para eles. Assim eles voltariam para o ostracismo que tanto merecem. Alguém ouve falar de algum ínclito procurador em São Paulo? Todos amordaçados e felizes como focas amestradas. Lá não tem conversa de indepenência, autonomia; é democracia tucana na veia, com volume morto e tudo.

    E ainda tem almas sebosas que vem falar em lei igual para todos. Nem mesmo para os procuradores isso funciona. Lembram do procurador Luiz Francisco, que denunciou ACM e Arruda no caso da votação? Pois é, nesse caso, o próprio MP indiciou o procurador por ter quebrado o sigilo e informado à imprensa sobre uma gravação de ACM. Hoje, Janot, à medida que não condena, incentiva a prática.

    Mas, como diz o grande Capiba: queiram ou não queiram os juízes, o nosso bloco é, de fato, campeão.

  15. se não é para o nosso governo…

    é para fornecer futuramente para quem este imenso arquivo de informações que estão montando?

    bem maior do que o dos marinhos. Atentem que deixou de ser regional

    tipo de trabalho FHC aprimorado por ACM e PCF

  16. Qualquer agente do Estado que

    Qualquer agente do Estado que se apoie na grande mídia empresarial, deixa de priorizar institutos nacionais para aderir a princípios gerais da globalização capitalista ocidental.  Com isso, com fazer parceria com tal mídia, tais agentes do Estado brasileiro correm o risco de entrarem numa via de mão dupla, motivados por crenças estranhas aos princípios institucionais brasileiros e frequentemente baseadas em personalismo individualista: A mídia os favorece e eles favorecem os interesses da mídia, que estão longe de serem os interesses nacionais e muitas vezes lhes são contrários.

    Não temos uma mídia nacional, a grande mídia não é brasileira, ela não defende outra opção para o Brasil que não seja o engajamento subalterno no mundo ocidental sob a hegemonia dos Estados Unidos.

    A grande mídia é apenas uma instituição capitalista dentro de um grande circuito internacional cujos controles de interesses, evidentemente, não estão no Brasil. Seu coração e sua alma estão nos Estados Unidos da América.

    E o pior é que esta mídia vai passando permanentemente a toda a classe média brasileira, em compasso propositadamente disfarçado, uma forte sensação, em cada pessoa que se encontre sob seu raio de ação, de ser uma espécie de cidadão americano exilado, que por contingências da natureza, encontra-se no degredo injusto de um país latino e subdesenvolvido. Quando folheio a maioria das revistas semanais do Brasil, tenho a nítida impressão de estar manuseando um folheto de forças estrangeiras de ocupação.

  17. ILha da fantasia

    Sempre sustentei a tese que o judiciário brasileiro vive numa verdadeira Ilha da Fantasia. Até hoje criminalizaram os negros e os pobres e limparam a barra da elite. Quando é que teremos um controle social do judiciário assim como temos nos outros poderes?

  18. ILha da fantasia

    Sempre sustentei a tese que o judiciário brasileiro vive numa verdadeira Ilha da Fantasia. Até hoje criminalizaram os negros e os pobres e limparam a barra da elite. Quando é que teremos um controle social do judiciário assim como temos nos outros poderes?

  19. Qual a doutrina de Dallagnol?

    “Diga-me com quem andas, que te direi quem és”.

    “Nao sejas como os hipócritas que gostam de aparecer orando nos templos e nas esquinas  para serem admirados pelos outro”.

    “Acautelai-vos, que ninguém vos engane, por que muitos virão em meu nome”.

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados”

  20. Depois de tudo que este

    Depois de tudo que este Delagnoll já fez, a última em um púlpito de igreja, já deveria ter sido afastado da lava jato, demitido  e até preso.

    O sujeito é um completo maluco e desequilibrado mental.

    E a lava jato continua atacando os interesses nacionais brandindo a falácia de combate a corrupção.

    Na minha opinião, combater a corrupção é a última coisa que querem.

    • Isso num púlpito da Igreja

      Isso num púlpito da Igreja Batista e com trechos da Bíblia como ilustração. Socorro!!!!

  21. Erros fatais da CF de 1988

    A CF de 1988 trouxe alguns erros fatais, em razão dos quais a nascente democracia brasileira corre célere em direção ao fascismo.

    O primeiro deles foi consagrar o bacharelismo concursista para posições de exercício de Poder. Absolutamente nenhum diploma, pós-graduação ou qualquer forma de educação escolar qualifica um cidadão para exercer o Poder que emana do Povo, e em seu nome será exercido. Juízes, promotores e chefes de polícia deveriam ser eleitos pelo voto popular, porque só o Povo pode delegar o seu Poder a alguém, e isso se faz pelo voto.

    Nossos juízes, promotores e delegados são, via de regra, bacharéis em direito que prestaram um concurso público mais interessado em escolher “doutores da lei” do que cidadãos com sólida formação democrática. Interessa mais saber se a futura excelência sabe a diferença entre furto e roubo do que se é capaz de compreender as consequências humanas, sociais, políticas e geopolíticas de suas decisões. Como as futuras excelências terão o cargo à disposição pelo resto de suas provavelmente longas vidas, pouco lhes importa serem considerados justos e humanos pela comunidade a que servem. Basta-lhes assim se verem.

    A par disto, temos um corpo burocrático nos Poderes do Estado brasileiro que, abençoados pela estabilidade no emprego e pelo paternalismo dos que os chefiam, para quem não importa senão uma submissão de momento e uma eficiência que flutue ao sabor de suas conveniências, não se vê premido a atender à sociedade. A maldição do cargo em comissão, pela qual não-funcionários podem ser nomeados a chefiar desde portarias a ministérios, ao sabor da conveniência política do momento, produz uma casta de políticos sem votos, cuja missão é administrar a coisa pública em favor de quem interesse aos seus padrinhos. Juntam-se a fome e a vontade de comer: nem o servidor deseja trabalhar com afinco e melhorar como profissional, porque sabe que não vai a lugar nenhum com isto, nem o chefe dele exige isso, para que não atrapalhe suas manobras.

    Mas não teremos mudanças disso a não ser que ocorra uma enorme ruptura institucional. Seria preciso uma Revolução que merecesse o nome para ter eleições para juízes, promotores e chefes de polícia, o fim da estabilidade no emprego para servidor público e a proibição dos cargos comissionados de livre nomeação. 

    Então estamos condenados a assistir Lava Jatos sem fim, enquanto o PT for governo, e o fim de todas as Lava Jatos, depois que ele sair do governo…

  22. Absurdo!
    Fazendo uma lista dos presos do lava jato, dedo duro com seus desafetos, os acusados por estes, cada caso e pq vemos que estamos num estado de excecao. Administrado!
    Triste que a lei e a justica seja como sempre foi muito pequena nas maos de qquer homem, hoje no passado e no futuro.

  23. SEJAMOS SINCEROS, NÓS NÃO TEMOS MAIS GOVERNO, ACOVARDOU-SE.

    Como venho escrevendo nestes espaços de comentários, não temos mais governo democrático, temos uma justiça covarde trabalhando como criminosos inimputáveis, acima das leis. Temos uma imprensa na sua totalidade travestida de partidos políticos avançando no dinheiro arrecadado de impostos favorecida por um judiciário torpe com a faca no pescoço em busca de celebrização. Quem governa o Brasil hoje de fato é a república de MIAMI. Composta apresentadores, artistas abonados, corruptos foragidos e ex. ministros fugindo da lei de herança. O Brasil de fato acabou no âmbito constitucional, empreenderam regas fora da normalidade democrática com a aceitação do STF, rasgaram a constituição ao buscar moralidade sem normas que defenda o cidadão do estado policial e judicial. O BRASIL realmente acabou, a covardia do governo e do seu ministro da justiça que transforma juiz que faz palestra para corruptos do futebol e para delegados da PF patrocinados por que estava sendo investigado (CBF) e faz de um juiz um verdadeiro dono do país. O Brasil realmente não tem comando, agora até bombas já é normalidade e sem resposta à altura. Afinal é isso que o GOVERNO DILMA quer para o BRASIL, o blá blá blá que amansa para bandidos travestidos de justiceiros e para terroristas que jogam bomba e age ferozmente contra o trabalhador… para que essas falas planejadas e a espera de panelaços dos ricos? Por que não se anteveem as espertezas e na surpresa seja coloquial com os sabotadores? O que se pode esperar de agora para frente? Que procuradores advogando como divindades dizendo patrocinados por DEUS para aplicar as leis por assim dizer do novo velho testamento em detrimento da constituição? O que virou o judiciário brasileiro um “escarniador” das mãos limpas e lavadas com a honra dos que ainda não foram julgados e nem condenados, por que ninguém manda prender um juiz que esvazia da sociedade milhares de empregos e transforma advogados espertos e milionários da noite para o dia e em mais um componente da república de MIAMI. Que tribunais são esses que agem com interesses políticos e não com lei estabelecida na constituição vigente. Afinal a quem devemos chamar de conspiradores, pelo jeito que a coisa anda seremos nós pessoas comuns os que pagam impostos os conspiradores. Que justiça e que polícia é essa que se especializaram apenas um lado da moeda? Porque existe corruptos inimputáveis e a quem eles subornam para divagarem com tanta destreza sem punição nenhuma? Quem e com que eles subornam.

    • A conta agente cobra de quem

      A conta agente cobra de quem deve. Que tal você colocara a sua argumentação a serviço da verdade? Os responsáveis pelas arbitrariedades que estão sendo cometidas, são os tribunais superiores. O STF, e o STJ, que são instâncias superiores dos tribunais de 1ª instância. A chegada de Teori Zavascki, Roberto Barroso e Edson Fachin, ao STF, no primeiro momento deu a impressão que o STF voltaria ser um tribunal sério, ledo engano, o Teori Zavascki está acobertando todas as arbitrariedades da República do Paraná. Portanto deve-se concluir que o Teori, e não o Moro, é o verdadeiro responsável pelas prisões arbitrarias, e a associação da justiça do Moro com a revista esgoto veja.

  24. O art. 20 do C deve ser
    O art. 20 do CC deve ser interpretado à Luz da constituição, que homenageia a liberdade de expressão como direito fundamental.

    Não é por menos, que o STF julgou constitucionais as biografias, considerando justamente o mesmo art. 20 do CC à Luz da CRFB.

    Se a mídia vier a divulgar inverdades, o prejudicado pode ir a juízo pleitear possíveis indenizações e informar a polícia ou o MP caso a conduta seja criminosa, podendo, ainda pleitear direito de resposta proporcional ao agravo.

    • É mesmo? Então explica para

      É mesmo? Então explica para aquele que se diz juiz que o 247 tem direito à liberdade de expressão, ou não?

      •  
        Bem, apenas explicitei como

         

        Bem, apenas explicitei como funciona na democracia. Não vou dar azo a seu fanatismo político. Não tive acesso aos autos dos procedimentos que envolvem a operação Lava-jato e, portanto, não serei leviano de trazer juízo de valor sobre as decisões ali levadas a efeito, mas as decisões judiciais são passíveis de questionamento por meio de recursos às instâncias superiores.

        • Não tergiverse, Guiba.

          Não tergiverse, Guiba. Responda ao que lhe foi perguntado. Para defender a imprensa que calunia e difama, você conhece muito bem o código e evoca a liberdade de expressão. Mas quando é questionado do motivo pelo qual essa mesma liberdade é negada a determinado veículo  que se posiciona contra a corrente da mídia golpista, você se faz de desentendido e diz que os caluniados devem recorrer a instâncias superiores do Judiciário. Não seja hipócrita; se não sabe jogar, não entre no jogo. Ou você sá sabe jogar quando está levando vantagem?

  25. Errado.
    A “lava jato” não

    Errado.

    A “lava jato” não comete crime nenhuma pois ela é o Estado e está acima disso tudo.

    É ela quem diz o que é crime e o que não é crime.

     

    • Desde quando uma operação

      Desde quando uma operação policial-judicial está acima da Constituição Federal e dos demais códigos legais? Desde quando uma operação júdico-policial é a máxima representação do Estado e está acima desse Estado? Desde quando uma operação júdico-policial é que determina o que é ou não crime? Alto lá, Danel! Não estamos na França de Napoleão, na Itália de Mussollini ou na ALemanha de Hitler. Aliás, você muitos neofascitas e neonazistas – pretensamente indignados com “tudo o que está aí”, mas muito mal informados ou mal intencionados- parecem acreditar nessa tolices que você acbou de escrever. Se em mensagens anteriores você “enganava bem”, agora sua máscara caiu por terra.

  26. E o problema é que eles já vem há 10 anos treinando o público

    Quem eu não gosto, vai pro paredão, é a regra dos bbbs. Só fez aumentar o espírito de intolerância nesta faixa de classe média mesquinha, publico corriqueiro deles.

  27. Volto a dizer isso tudo é para o dia 16

    É para levantar as massas fascistas que aguardam ansiosas por esse tipo de notícia, fornecida pela Globo, que de novo vai dar ampla cobertura. Esse artigo só comprova que a Globo é quem forja esses roteiros,

    • Este cara…

      Este senhor josé dirceu foi um dos inpiradores do pt. Este partidozinho que mudou o país, que o colocou no mapa do mundo, que lhe deu dignidade, que fez pelo seu povo algo que nunca nem ninguem havia feito, por ecemplo, tirando 40 milhões da pobreza e da miséria, dando assistencia médica a 50 milhões que  nem sabiam o que era isso, passando por cima e positivameente de uma crise econômica planetária que só agora chega aqui e de pequena monta, deu 4 milhões de casas ao pobres ( vai chegar a 8 milhões, dizem), etc, etc, etc. Ele inegavelmente é um dos principais responsáveis.

      Ninguem pode fazer isso sem ser punido. Como está sendo. Não deve ser fácil aguentar, mas no fundo ele já sabia. Espero que se lembre disso ao caminhar para a cadeia.

  28. Torcem contra o Brasil; torcem e distorcem
    OS CARAS EXPLODEM UMA BOMBA NA FRENTE DO INSTITUTO LULA. PARA DISTRAIR E PARA UMA CORTINA DE FUMAÇA, GERAM UM FATO NOVO: PRENDEM O JOSÉ DIRCEU!  QUANTOS AINDA VÃO CAIR NESSA? Meu Deus! É o fascismo explícito!”Ao contrário do que muitos pensam, o Fascismo não chega ao poder pela força das armas.” TORCEM CONTRA O BRASIL!TORCEM E DISTORCEM.TORCEM CONTRA E DISTORCEM OS FATOS. CRIAM MENTIRAS, COVARDIAS, CALÚNIAS. GOLPISTAS!TORCEM E DISTORCEM. Resumindo?G O L P I S T A S ! ! Aliás, os direitopatas daqui se associaram aos nazistas, aos fascistas, ao PCC, aos homofóbicos, aos racistas, aos preconceituosos, aos segregacionistas, aos fanáticos religiosos. Os direitopatas golpistas estão mesmo a fazer de tudo patra aplicar seu golpe anti-democrático para implantar a sua tradicional DEMO-cracia, associados que também estão ao capeta capitalista. >> http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191352/Clara-Ant-bomba-%C3%A9-um-ataque-%C3%A0-democracia.htm

  29. E dá-lhe lenha na fogueira do republicanismo
    O PT está colhendo o que plantou. Quem indicou joaquim barbosa para o STF, num ato de pura demagogia só porque o sujeito é negro? Lula. Quem indicou rosa weber, cujo voto no mensalão foi, pasmem, terceirizado para o juiz moro, dada a ignorânica da ministra em matéria criminal? Dilma. Que partido começou com a bobagem de se curvar a vontade do MP para indicação dos PGRs?Assim que a presidente cair, o ministro da justiça vai arrumar uma boquinha na escolinha de direito do gilmar mendes. O PSDB voltará ao governo pelos braços da equipe da lava jato e voltaremos a normalidade democrática. 

  30. Surpreendente

    O que me surpreende é o Nassif afirmar, expressamente e com todas as letras, que o procurador Dalagnol vazou dados sigilosos para a “imprensa”: “Antes de confirmar qualquer dado, o procurador Dalton Dalagnol liberou as declarações de Pessoa criminalizando Cardeal para a revista Veja, mesmo estando protegidas por sigilo.”

    Certamente deve ter cacife que corrobore essa sua afirmação…

     

  31. Dilma

    Dilma, nos poupe de qualquer manifestação por parte do patético, do cretino, do covarde, do pusilânime ministro da justição so senhor José Cardozo. Todas as manifestações desse sujeito soa como algo ofensivo à grande parte dos brasileiros das brasileiras que votaram na senhora. Por que estou citando a dona Dilma, porque o rabula de porta de cadeias que ocupa da pasta da justiça sabe que a prisão do Dirceu é ilegal.

  32. GOLPE JURIDICO

    Nassif, eu nunca tive dúvidas que o PGR, MP, OAB e operadores e associações de Juízes, além de estudantes de direito de quase todas a faculdades de direito do país estavam por trás das jornadas de junho. Foi somente quando rejeitaram a PEC 37 que os BLACK BLOCKS apareceram e mataram as manifestações. Tudo que vemos hoje é somente a prova de que houve uma articulação conservadora dentro das universidades onde quem entoa os mantras de golpismo jurídico são os operadores jurídicos deste país que formam e alimentam o conservadorismo. Nunca vou desistir desta minha tese. O GOLPE FOI ENGENDRADO NAS FACULDADES DE DIREITO.

    • TENHO CERTEZA QUE O GOLPE VEM DO JUDICIÁRIO FASCISTA
      A máfia demotucana conseguiu cooptar várias pessoas e subverter a justiça. Presenciamos uma perseguição como no nazismo. Essa corja não aceitou a derrota das urnas e busca a qualquer custo virar a mesa, mesmo que para isso precisem violar as leis, mentir e praticar todo tipo de crime. Bando de picaretas demotucanos!

    • Imprensa investigativa

      Ninguem leva em conta a competencia de jornalistas que investigam e se especializam em dar furo de reportagem em assuntos de interesse de toda a nação.

  33. Os imbecis perderam mesmo a modéstia
    Esse é mais um picareta que atropela o pé pelas mãos e dá nó em pingo d’agua para tentar explicar o inexplicável. Quer dizer que se os fascistas forem para as ruas a justiça deve segui-los? Quanta asneira desse idiota!

  34. O procurador

    O procurador Dalton Dalagnol é um ser seletivo, maldoso, intelectualmente desonesto que faz uso do cargo que ocupa pra perseguir pessoas que tem um pensamento ideológico diferente do dele. Pensa que é grande? Ledo engano. A sua postura é típica de um ser messiânico que acredita fielmente que foi concebido por uma virgem. Se história é escrita pelos vencedores, seguramente esse sujeito baixo vai povoar as páginas dos futuros livros de história  como sendo um herói da República. A sua postura me dá nojo.

  35. O serviço público está dominado pela corja demotucana
    Conheço um bando de estagiáriosque sofreram lavagem cerebral da quadrilha demotucana e por isso têm ódio de Dirceu e do PT e idolatram o gangster picareta Aético e outros mafiosos demotucanos. Acho que se não tivermos um salvador, o nazismo se instalará no país e teremos um grande retrocesso.

  36. Essa informação põe fogo no

    Essa informação põe fogo no circo armado pelo procurador Dalton Dalagnol. Será impossível passarem a borracha por cima disso como se nada tivesse acontecido. É um verdadeiro flagrante de ilicitude explícita. Vamos aguardar as medidas que serão tomadas.

  37.  
    Dileta e consciente amiga

     

    Dileta e consciente amiga Emília,

    outra assombração:
    amanheci o dia, e tive a infelicidade de ver a cara de *’viúva alegre contida’ da [pseudo-]jornalista Cristiana Lôbo [de Raiva!]…
    *do tipo daquelas ‘viúvas alegres [mas contidas!]’ que sorri internamente ao imaginar que, antes de o defunto esfriar na cova, estará nos braços do amado amante, enfim liberta!
    Uma coisa horrorosa!
    E lastimável!
    E o estúdio do Projac [pseudo-]jornalístico da GloboNews adornado para a cobertura festiva do enterro do Satanás!

    E o pior é que os dirigentes do PT, ministros do governo federal… Concedem ‘papinhos exclusivos’ para esses(as) ‘calunistas’ a $oldo!
    O [Gerson] Camarotti que o diga!

    E a militância de esquerda?!
    Está sendo ‘vazada’ para os Quintos dos Infernos!
    Plagas que devem ser muitíssimo melhor em comparado à barbárie da nossa contemporânea pré-Idade Média!

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  38. desejo de impor perdas ao governo é tanta…

    que, a meu ver, deixa de ser procurador e perde-se, e revela-se  em sua própria essência e origem……………………..

    assim como toda força tarefa

    repare, no detalhamento, que as conclusões não são fundamentadas com conhecimentos econômicos

    políticos? duvido que saibam da importãncia estratégica de uma casa civil, por exemplo

    repare que à midia só interessa que decidam apenas com conhecimentos financeiros

    desenhando: corrupção por corrupção, deixa de ver a pior delas, a da religião

  39. *

    “…Ou seja, viva os novos métodos de investigação e a cooperação internacional, viva os jovens procuradores e seu afã em limpar o Brasil. …”

    Da para entender a ironia no comentário acima, mas é melhor deixar claro: velhos métodos de investigação como na ditadura, inclusive com cooperação da corrupção internacional.  NADA DE NOVO, SÓ VELHOS!

     

     

  40. Só um comentário…

    …Diretores tem obrigatoriamente, quando mapeada uma necessidade de contratação, comunicar a autoridade superior imediata neste caso a Presidencia da empresa e OK do financeiro . E tanto na 8666 como no 2745/98 exige a comprovação da tal necessidade, tanto é que os EVTEs tambem são feitos. Há de se dizer que diretores não contratam sozinhos, abaixo deles há uma equipe enorme para preparação do processo licitátorio, tabular os dados obtidos (dos fornecedores COMPROVADAMENTE APTOS a fornecimento do material ou do serviço), gerar os relatórios de comissão e negociação e submete-los a aprovação da autoridade competente. Que sinaliza se o que o que foi obtido está satisfatório (aprovação da contratação) ou não (renegociação ou reabertura de processo). Os diretores a principio NÃO SE ENVOLVEM DIRETAMENTE NA NEGOCIAÇÃO (e nem devem, pq esta é cargo e responsabilidade da comissão). Agora, nada impede de que alguem possuidor da informação das pontas (estimativas e preços), e com espirito de porco, faça negociação em “off” e na sacanagem para se dar bem…

  41. Factoide para esconder atentado terrorista

    Com esse factoide, mais um de Moro, o atentado terrorista ao Instituto Lula foi varrido para debaixo do tapete.

    O atentado terrorista ao Instituto Lula não pode desaparecer do noticiário, ao menos nos veículos de viés progressista.

    • Quem se corrompe ou corrompe a regra é corrupto.

      Os supostos agentes implacáveis da gangue do #‎MoroDitador‬ supostamente investigam servidores da Petrobras porque teriam sido corrompidos pelo Cartel das Empreiteiras e, por conseguinte, incorrido em ato delitivo de infração à Lei.

      Se o menino prodigio Daltan Dallagnol descumpriu a regra legal que rege o sigilo de justiça decretado para informações dessa investigação, coagido ou cooptado, por culpa ou dolo, em benefício de interesses do Cartel das Empresas de Comunicação, ele foi corrompido por esses interesses e é, portanto, tão CORRUPTO quanto aqueles que são investigados. Como pode o agente implacável da justiça que, segundo sua propria pregação para um rebanho de fiéis de sua igreja, conta com a proteção de Deus, usar essa proteção para a prática de atos de CORRUPÇÃO, e ser, portanto, tão CORRUPTO, quanto os suspeitos por ele investigados. Parece que pode porque o “Direito de Resultados”, nova modalidade de Direito Penal, inventada na Republica de Curitiba permite. Assim como no STF foi inventada a “….literatura do Direito….” que permite fundamentar sentença de condenação sem provas materiais contra o acusado. Como diz o PHA, “…this is an esculhambation!!” 

  42. DEFESA DA DEMOCRACIA

    A manipulação política praticada pelos condutores da operação Lava Jato constitui gravíssimo atentado contra o Estado Democrático de Direito. A denúncia das evidências de violação de garantias constitucionais elementares cumpre um papel histórico da maior relevância. É necessário cobrar iniciativas das instituições democráticas, inclusive por meio de acionamento junto ao STF, para coibir os vazamentos criminosos e as prisões arbitrárias, realizadas ao arrepio da lei.

    Na minha humilde opinião, o problema mais grave da realidade brasileira está, desde sempre, no sistemático descumprimento da legislação em vigor. E o artigo em tela demonstra com precisão evidências de graves ilegalidades cometidas na Lava Jato.

    O desrespeito de normas legais praticado pelos condutores da operação Lava Jato caracteriza claramente a prevalência de um regime de exceção, que nega vigência a elementares garantias constitucionais, e é incompatível com a democracia.

    Assim, é imprescindível clamar pela mobilização da sociedade civil para cobrar das instituições democráticas representativas a exigência do pleno respeito às garantias constitucionais. Pois o pleno respeito à Constituição Federal implica na prevalência efetiva de toda a legislação em vigor.

    Se toda a legislação em vigor for aplicada na prática, haverá o cogente afastamento dos promotores e julgadores que desrespeitarem as normas legais, inclusive através de impedimento de ministros da máxima instância judicial.

    E se a composição política do Congresso Nacional se mostra incompatível com o cumprimento do dever de afastar aqueles que desrespeitam a legislação, na qual se inclui o Regimento do STF, cabe à sociedade civil organizada realizar a tarefa de promover a conscientização do eleitorado, com vistas à formação de uma maioria parlamentar capaz de cumprir os preceitos constitucionais.

  43. Golpe c/aparência de legalidade

    Bom trabalho de levantamento. Aliás falta aos comentaristas em geral esta curiosidade e iniciativa de pesquisar e relatar, que poderia nos dar ótimos frutos. 

    Advocacia de resultados, como quase tudo na justiça, só vale quando incrimina, de alguma forma, o governo ou o PT ou quem com eles se relacionem.

    Mas uma pergunta que não pode deixar de ser feita. Os investigadores usam a Veja e a Globo por elas se oferecerem ou, neste caso, foi exigido a participação devido ao envolvimento delas na Operação Monte Carlo e no caso CBF/Fifa, tendo em vista o interesse relevante da PF na empreitada?

    E é totalmente descabido ativarem a delação do Pessoa após a visita dos Procuradores, inclusive o PRG, aos EUA.

     

     

  44. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome