Delegados afirmam que Estado não deve ser culpado pela morte do reitor

Foto: Divulgação/UFSC
 
 
Jornal GGN – A ADPF (Associação dos Delegados de Polícia Federal) emitiu uma nota pública em defesa da delegada Erika Marena, responsável pela Operação Ouvidos Moucos, que levou ao suicídio o então reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luis Carlos Cancellier.
 
A nota diz que a Marena não cometeu nenhum erros na investigação. Ao contrário disso, a ADPF reafirmou as suspeitas de que Cancellier teria atuado para obstruir a Justiça e manter um suposto esquema de corrupção na universidade.
 
Na visão da ADPF, tampouco houve abuso de autoridade, pois “a atuação da Polícia Federal foi absolutamente regular e devidamente autorizada pelo Judiciário. Também o foram os procedimentos de deflagração, de comunicação social e de recolhimento dos presos, que seguiram os mesmos procedimentos técnicos de todas as operações da PF.”
 
“Lamenta-se profundamente a morte do investigado e são compreensíveis os questionamentos da família, ante um acontecimento tão doloroso para si, porém não há erros que possam imputar ao Estado responsabilidades pelo suicídio do reitor”, diz a instituição.
 
A nota ainda afirma que a imprensa que critica a atuação de Marena está servindo a “setores alcançados pelas investigações”.
 
No final, a ADPF diz que “ao tempo em que apoia o trabalho técnico e republicano da Dra Érika Marena, reafirma a luta e conta com o apoio da sociedade para que, em vez de obstáculos indevidos aos atores da persecução criminal, sejam criados mais mecanismos que fortaleçam a prevenção e repressão da corrupção”.
 
Leia a nota completa abaixo.
 
Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal – ADPF vem a público repudiar as manifestações que objetivam manchar a imagem da Polícia Federal e da Delegada Erika Mialik Marena em relação à Operação Policial Ouvidos Moucos.
 
A Operação Ouvidos Moucos foi lastreada em farto material produzido pela Controladoria Geral da União – CGU, que demonstrava irregularidades na aplicação de recursos públicos em projetos de ensino à distância na Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC. Durante a primeira fase da investigação, professores da UFSC prestaram depoimentos sobre a existência de pressões do reitor para manter o quadro de irregularidades. Tais testemunhos foram fortalecidos pela comprovação documental de que o mandatário da Universidade procurou interferir na atuação da própria Corregedoria da Universidade, que conduzia investigação preliminar sobre o caso.
 
Diante desse quadro, a Dra. Erika Marena, presidente da investigação, no cumprimento regular de suas atribuições, representou perante o Judiciário, numa peça de 126 páginas, pelas medidas cabíveis, dentre elas a prisão temporária de seis investigados, incluindo a do reitor, para que as investigações pudessem avançar sem interferências e destruição de provas. Tais pedidos foram corroborados fundamentadamente pelo Ministério Público e deferidos pelo Judiciário. Como se vê, a atuação da Polícia Federal foi absolutamente regular e devidamente autorizada pelo Judiciário. Também o foram os procedimentos de deflagração, de comunicação social e de recolhimento dos presos, que seguiram os mesmos procedimentos técnicos de todas as operações da PF.
 
Lamenta-se profundamente a morte do investigado e são compreensíveis os questionamentos da família, ante um acontecimento tão doloroso para si, porém não há erros que possam imputar ao Estado responsabilidades pelo suicídio do reitor. Logo, não se pode admitir que terceiros se utilizem da dor e comoção da família para tentar macular a imagem da Polícia Federal, mormente quando não se observa o mesmo empenho em questionar a forma como eram geridos aqueles recursos públicos.
 
Infelizmente, é possível que setores alcançados pelas investigações empreendidas pela Polícia Federal nos últimos anos estejam capitaneando um movimento para induzir a imprensa e a sociedade ao erro de apoiar medidas que criminalizem e dificultem a atuação dos atores da persecução penal, como os chamados crimes de hermenêutica, em que, por exemplo, um delegado, promotor, procurador ou juiz poderia ser preso por atuação lastreada na sua convicção jurídica devidamente fundamentada.
 
Hoje, 09 de dezembro, é dia internacional contra a corrupção. Assim, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, representante de um dos protagonistas na atuação contra a corrupção, ao tempo em que apoia o trabalho técnico e republicano da Dra Érika Marena, reafirma a luta e conta com o apoio da sociedade para que, em vez de obstáculos indevidos aos atores da persecução criminal, sejam criados mais mecanismos que fortaleçam a prevenção e repressão da corrupção, dos desvios ao recurso público e da criminalidade organizada e que garantam à Polícia Federal a continuidade da prestação do serviço relevante que tanto orgulha a sociedade brasileira.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Augusto Aras viabiliza compartilhamento de dados sigilosos da Lava Jato

38 comentários

  1. PF

    Além de covardes são mentirosos!!!!!!

    Apresentaram alguma prova? 

    Testemunhos de quem ? Do imbecil que delatou o reitor?

    Se o que dizem fosse verdade já teriam vazado as provas a muito tempo como de hábito e a delegada não teria saido de SC para Se em uma “promoção”.

     

  2. Delegados afirmam que Estado não deve ser culpado pela morte do

    Uma pergunta:

    – Por que a PF não chamou o Reitor para se manifestar ?

    Ouviram só os acusadores.

    O outro lado “não vem ao caso” ?

    Destruição de provas ?

    E a possibilidade de “plantar” provas por parte dos acusadores ?

  3. CANALHAS E COVARDES

    CANALHAS E COVARDES

    Puseram todo o poder do Estado Fascista para esmagar e assassinar um cidadão, o Reitor Luis Carlos Cancellier, levando-o, pela tortura e humilhação pública e privada, a se tornar instrumento deles, para tirar a própria vida. Agora, não satisfeitos, querem isolar a família do Reitor para também esmagá-la com o PF do Estado, o Poder Fascista do Estado, usando argumento dos gorilas da ditadura, que não cabe a terceiros se solidarizar e lutar contra o sofrimento e o homicídio que causaram.

    Canalhas e covardes na sua cumplicidade fascista, querem, com seu argumento gorilesco, impedir que se tenha e se exerça a SOLIDARIEDADE para com as vítimas do Estado PF – o Estado Policial Fascista. Não conseguirão e terão que responder por seus crimes covardes e canalhas.

  4. É sempre mais do mesmo: o uso
    É sempre mais do mesmo: o uso de informações sobre as quais eles não apresentam uma prova sequer e a omissão proposital de dados essenciais a quem quer entender o caso.

    Omitem a desastrosa atuação do corregedor da CGU, o clima de terror e autoritarismo vigente na UFSC, omitem a inimizade do mesmo com o reitor, omitem a “revista anal”, omitem a sua necessidade, omitem porque as investigações “exigiam” a prisão naqueles moldes de espetáculo dantesco, omitem porque a necessidade de CENTO E VINTE POLICIAIS vindos de todas as partes do Brasil, omitem que, na verdade, o reitor Cancellier se colocara totalmente à disposição das autoridades, fato confirmado por inúmeras testemunhas. Omitem, por fim, uma verdade óbvia: que procuradores e juízes tanto podem ser manipulados pelas informações distorcidas de delegados da polícia federal afeitos a um “bom espetáculo” e aos holofotes da mídia. Ou, como parece ser o caso, serem literalmente cooptados, todos desejosos de sua “casquinha de fama” na Globo.

    A nota é um escárnio, como diz um articulista do blog, é “tautista do início ao fim”, reinventa a realidade, cria uma ficção para justificar o injustificável. É como se o mundo existisse a partir da Polícia Federal, como se o país tivesse que se curvar aos seus objetivos, métodos e essa “fé em si mesma” em vez de se portarem como o que são: servidores públicos a serviço do Estado, da nação, devendo portanto cumprir com seriedade e dignidade as suas atribuições.

    Erika Marena é responsável direta sim, pela morte do reitor, e quem assina essa nota torna-se seu cúmplice. Em países de cidadãos minimamente conscientes e informados provocaria revolta e indignação.

    No nosso mundo-matrix, é capaz de ser “bem aceita” por muitos.

    Todo repúdio é pouco a essa arrogância e falta de senso crítico dos delegados da polícia federal.

  5. PF: polícia fascista

    Condução coercitiva sem nunca o cidadão ter sido intimado a depor; decretação da prisão de um cidadão sem que tenha sido condenado ou sequer sofrido um processo judicial; utilização de 105 policiais federais para prender um reitor e seis professores universitários indefesos; entrevista coletiva mentirosa associando o nome do reitor ao desvio de 80 milhões de reais. Tudo isso com os aplausos frenéticos de uma mídia sequiosa de produzir espetáculos e continuar com a narrativa do “Mar de Lama” que empesteia o Brasil e necessita dos justiceiros da PF, do Judiciário e do MPF para “limpar” essa sujeira toda. Teria sido interessante, em vez de produzir uma nota em defesa da “dra” Érica, que a Gestapo Federal se desse ao trabalho de divulgar o montante de desvio dinheiro havido na UFSC. Fala-se em 500 mil reais, 300 mil, 150 mil, mas, apesar da ação espalhafatosa, até o momento, não vi qualquer autoridade divulgar um balanço sério a respeito dessa investigação que serviu para ceifar  a vida do reitor Cancelier. A propósito, o Helicoca, um helicóptero carregado com 450 kg de pasta base de cocaína, de propriedade do senador Zezé Perrela, amigão de Aécio Neves, há mais de quatro anos,  aguarda investigação dos impolutos agentes públicos instalados na PF, no MPF e no Judiciário. Em tempo 1: por que a PF não se interessou em investigar a corrupção envolvendo a FIFA, CBF e a Globo? Em tempo 2: por que razão, a destemida PF jamais se interessou em investigar a Mossack Fonseca, uma das maiores lavanderias de dinheiro, cujos executivos foram presos na malfadada fase Triplo X da operação “Vaza a Jato”. Apenas para constar, os executivos foram presos e, rapidinho, foram soltos porque, certamente, não vinha ao caso investigá-los. 

  6. E não satisfeitos em defender

    E não satisfeitos em defender e fazer apologia da Delegada sensação ainda reiteram as acusações irresponsáveis contra o falecido reitor. Em absoluto e agressivo desrespeito a sua memória e a dor da família.

    A meganhagem que se recusa, ao contrário do que manda a lei, a inocentar dona Marisa, agora faz o mesmo com o reitor. Agrediram e humilharam um cidadão levando-o a morte. E insistem em ofender sua memória seus entes queridos e toda a sociedade civiizada brasileira.

    Sua arrogância não se fundamente em força moral, que não possuem, mas na força de pistolas, metralhadoras e fuzis. O colunista do GGN, Armando Coelho conhece bem essa gente. Já traçou o perfil aqui várias vezes. Que Deus nos protega dos delegados da PF 

  7. Trabalho técnico e republicano da Dra Érika Marena?

    Trabalho técnico e republicano agora mudou de nome, esconder (e proteger) os tucanos e seus aliados faz parte deste trabalho técnico e republicano. É o espírito de porco que tomou conta da polícia federal, da  associação dos delegados da polícia federal, do ministério público e judiciário.

  8. A quem serve a imprensa que aplaude atuação da Marena?
    A imprensa que critica a atuação de Marena está servindo a “setores alcançados pelas investigações”. E a imprensa que aplaude a atuação da Marena está servindo aos interesses de quem? Não estaria essa imprensa acrítica servindo aos interesses de setores não alcançados pela investigação?

  9. Polícia Federal, a lanterna dos afogados
    “O que vai acontecer é que as pessoas vão começar a ganhar acordos e perceber que podem começar a contar histórias mal arrumadas. Agora vamos ter uma série de meias verdades, meias confissões, meias entregas de fatos e documentos endossados pela PF.O Ministério Público tem uma visão mais global da investigação e de todas as suas derivações. Nós não aceitamos versões parciais.A PF vai ser a segunda porta, a lanterna dos afagados. Quando as pessoas virem que vão se afogar elas vão correr e infelizmente vão receber algo já negado pelo Ministério Público.” Procurador Federal Carlos Fernando dos Santos Lima. Como os agentes da PF são míopes, isto é, como eles não tem uma visão global da investigação, eles não conseguem enxergar as bostas que expelem no curso de suas operações desastradas. 

  10. Caro Nassif
    Acredito tanto

    Caro Nassif

    Acredito tanto nesses delegados, como acredito na honestidade da globo.

    Canalha é pouco para esses fascistas.

    Apenas se defendem da traição em andamento.

    Saudações

     

  11. PF, MPF e judiciário canalhas

    Essa polícia fascista (PF), esse ministério proto-fascista (MPF) e esse poder jacunciário (PJ) está eivado de ORCRIMs institucionais, de que maior exemplo é a Fraude a Jato. 

    Mais do ‘espírito de corpo’, o que se vê nessas associações corporativas, que apóim e blindam os criminosos de colete, de paletó e de toga, o que vemos é um ‘espírito de porco’, imundo, vil, mafioso, criminoso de Estado. Esse bando de criminosos enquistados e encastelados na burocracia do sistema judiciário há de pagar caro pelos crimes em série que vem cometendo. O dia deles chegará bem antes do que eles pensam.

  12. Culpar o Estado, não, as pessoas que o representaram, SIM!

    Ora, o “Estado” é muito amplo e difuso, pessoa jurídica. Tem que responsabilizar as pessoas físicas, evidentemente.

    Enquanto no Brazil isto de se culpar o “Estado” acontecer, nós todos sempre pagaremos os malfeitos de alguns duas vezes.

    E eles continuarão criminal e colossalmente impávidos…

     

  13. Regular? Técnico? Isso é o normal?

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!!
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

     

    ->CENTO E QUINZE POLICIAIS FORTEMENTE ARMADOS, VESTIDOS COMO SE ESTIVESSEM INDO ENFRENTAR O ESTADO ISLÂMICO,  PARA PRENDER 6 PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS!!!
    ->NA SEQUÊNCIA COLETIVA NA IMPRENSA OS APRESENTANDO COMO CULPADOS!!!! 
    ->SUSPEITA DE DESVIOS DE R$ 400 MIL ANUNCIADOS COMO 80 MILHÕES!!!
    -> ESSA PORRA É NORMAL?!!!

  14. Verdadeiro bundalelê…

    1) O supermercadista Abílio Diniz acaba de proferir apoio total a todas as  reformas efetuadas pelo salafrário que roubou os votos de dezenas de milhões de brasileiros .

    2) Com que moral a Rede Globo e outras emissoras de rádio e TV’s, que infringiram as leis de outorgas ao conspirarem contra a ordem democrática,  cobrarão o fechamento de rádios piratas ? 

    a) Como o supermercadista Aílio Diniz e a polícia federal terão autoridade moral para combaterem os roubos de cargas que se disseminam nas periferias do RJ e de outros estados da federação ?

    * Nas últimas 48 horas, toneladas de mercadorias natalinas que abasteceriam supermercados foram extraviadas para diversas comunidade do RJ .

     

  15. PF na UFMG
    Todos sabemos da boa conduta dos professores dessa universidade.
    Eles, com certeza, vão mostrar essa semana as prestações de contas desse total de 19 milhões que foram enviados.
    É uma universidade organizada, super informatizada na área administrativa, foram investidos milhões nos últimos anos nessa área, principalmente,devido o número de contratos com a FUNDEP e o orçamento vultuoso. Tudo é controlado online. Será fácil de comprovar e esfregar na cara deles que tentar desmoralizar a UFMG não é tarefa fácil.

  16. Zorra total

    Nassif,

    Os “delegas” estão certos, pois a noção de sensatez escafedeu-se completamente no lado debaixo do equaador.

    Com uma PF que se transformou num verdadeiro monstro;

    Com um Estado policial já confortavelmente instalado no patropi, tal como demonstram as atitudes que mataram o reitor catarinense e outras que avançam em outras universidades publicas, quase sempre apoiadas nas fantásticas conduções coercitivas;

    Com um diretor da PF indicado pelo general torturador com DNA de torturador, o caso deste Fernando Segovia, personagem que já demonstrou ser aquilo que a quadrilha governamental espera dele, é preciso muito “pensamento positivo” prá acreditar em luz ao final do túnel que não seja a de um trem vindo em direção contrária.

    JBarbosa pediu a JDirceu para interceder em seu favor e indicá-lo para o STF, e a primeira atitude do nobre reprovado no Itamaraty foi degolar o benfeitor;

    As instalações da PF eram um verdadeiro caco quando Lula assumiu o governo, o então presidente transformou os pardieiros em locais decentes, deu dignidade a todos os servidores da instituição para mais adiante ser implacavelmente perseguido pela thurma;

    A Grobo botou a mão em cerca de 2 bilhões durante os oito anos do reinado de SCabral para, mais adiante, achincalhar com o gaiato em forma grotesca;

    Delação passou a ser assunto trivial na mesa de jantar; haja vista o festival de traições em Brasília, que parece não ter fim. E os delatores do nobre moro ? E a Trafigura? 

    Fiquei inteiramente ultrapassado, pois não sou capaz de compreender nada disto.   

     

     

  17. Continuam fazendo ouvidos

    Continuam fazendo ouvidos moucos ao clamor da família e de toda a sociedade. E ainda têm a covardia em afirmar que o reitor  era suspeito, para justificar as ilegalidades cometidas. OAB e demais entidades, permitiremos que o estado jurídico-policial se fortaleça? 

  18. A NOTA PARECE UM OBITUÁRIO DE UM SERIAL KILLER, CONTA OUTRA .

    O corporativismo não deixa admitir que erra, a policia política é um erro, a corporação agora é a raiz da verdade, a suma verdade, estão prospectando juízes para punições e prisões, para celebrizar operações que deveriam apenas serem rotinas para quem trabalha no serviço público, a fortuna que se desviam via mídia é é de conhecimento de todos e está no portal da transparência é fortuna mesmo e é amplamente publicado na mídia alternativa, no entanto não se invadem a GLOBO até com FIFA GATES e denuncias bilionária de sonegação e roubo de documentos dentro RF, ou Band, ou SBT inclusive com o BANCO PANAMERICANO nas costas e a RECORD com os sacos de dinheiro perambulando em templos. Porque a PF tão veloz e numerosa com reitores e são uma lesma com o sindicato criminoso da mídia? Parece que o GOLPE uniu a mídia a instituições e transformou funcionários públicos em celebridades do nada. ERROU sim, ali não estava nenhuma quadrilha que aliás está lá no planalto segundo a PGR, para que aquela quantidade de policiais camuflados, mascarados com armas de destruição em massa, mais parecia aqueles filmes B americanos, aqueles comandos tomando cidades cheia de pessoas desnutridas na África, aquilo é surreal para uma polícia paga com dinheiro do povo, aliás muito bem paga, agora mais do que merecem. Enquanto isso o país se afoga em desemprego, e entrega toda sua riqueza a matrizes estrangeiras, se polícia é para isso, sinceramente não sei o que é pior. Foi legal e ético congelar salários e repasses a outros órgãos e aumentar salários de juízes e policiais? Se foi eu não sei, mas o povo sabe o que foi. Ninguém quer confrontar o trabalho policial, pois sabemos o seu valor, mas também sabemos o que é errado e sabemos quando passam do limite por questões ideológicas, corporativa e razões políticas. A democracia é um povo livre para ele mesmo escolher, e sua liberdade de escolha vale muito mais do que defender colegas. Conta outra né pessoal, essa não colou, assim como não colou enfiar o dedo no reitor.

  19. A NOTA PARECE UM OBITUÁRIO DE UM SERIAL KILLER, CONTA OUTRA .

    O corporativismo não deixa admitir que erra, a policia política é um erro, a corporação agora é a raiz da verdade, a suma verdade, estão prospectando juízes para punições e prisões, para celebrizar operações que deveriam apenas serem rotinas para quem trabalha no serviço público, a fortuna que se desviam via mídia é é de conhecimento de todos e está no portal da transparência é fortuna mesmo e é amplamente publicado na mídia alternativa, no entanto não se invadem a GLOBO até com FIFA GATES e denuncias bilionária de sonegação e roubo de documentos dentro RF, ou Band, ou SBT inclusive com o BANCO PANAMERICANO nas costas e a RECORD com os sacos de dinheiro perambulando em templos. Porque a PF tão veloz e numerosa com reitores e são uma lesma com o sindicato criminoso da mídia? Parece que o GOLPE uniu a mídia a instituições e transformou funcionários públicos em celebridades do nada. ERROU sim, ali não estava nenhuma quadrilha que aliás está lá no planalto segundo a PGR, para que aquela quantidade de policiais camuflados, mascarados com armas de destruição em massa, mais parecia aqueles filmes B americanos, aqueles comandos tomando cidades cheia de pessoas desnutridas na África, aquilo é surreal para uma polícia paga com dinheiro do povo, aliás muito bem paga, agora mais do que merecem. Enquanto isso o país se afoga em desemprego, e entrega toda sua riqueza a matrizes estrangeiras, se polícia é para isso, sinceramente não sei o que é pior. Foi legal e ético congelar salários e repasses a outros órgãos e aumentar salários de juízes e policiais? Se foi eu não sei, mas o povo sabe o que foi. Ninguém quer confrontar o trabalho policial, pois sabemos o seu valor, mas também sabemos o que é errado e sabemos quando passam do limite por questões ideológicas, corporativa e razões políticas. A democracia é um povo livre para ele mesmo escolher, e sua liberdade de escolha vale muito mais do que defender colegas. Conta outra né pessoal, essa não colou, assim como não colou enfiar o dedo no reitor.

  20. Os novos capitães do mato

    Pra variar, os comentários dão conta dos muitos aspectos do problema e não tenho o que acrescentar.

    Contudo, sinto falta das vozes dissonantes dentros das corporações. E elas devem existir, segundo diversos relatos aqui no

    blogue, e do próprio Nassif em vídeo recente em que comentou sua conversa com funcionários da PF incomodados com o espalhafato de alguns grupos e o efeito sobre seu trabalho. Aqui mesmo no blogue GGN já foi divulgada a criação de um coletivo Transforma MP, e o mesmo Nassif já cobrou a participação dos servidores aposentados dos órgãos – PF, MPF – que mantinham a manada sob controle e os órgãos dentro dos limites legais. 

    A minha pergunta é: onde estão essas pessoas que assistem à desmoralização dos órgãos, transformados em times de quinta divisão com suas torcidas organizadas hooligans e seus jogadores açougueiros (caceteiro), os que ainda estão na ativa e os que já saíram? 

    Sinceramente, tautistas seremos nós se esperarmos dos milicianos sem nenhuma vocação para o serviço público que recuem ou interrompam sua cruzada por autopromoção e privatização das funções do Estado sem que recebam oposição consistente, qualificada e permanente. A nota da ADPF é um ato de autodefesa corporativa em relação à repercussão nacional e internacional de suas ações, em especial a última na UFMG, que começam a perder a aura de infalibilidade e pureza moral ou ética – faz-me rir. 

    Eugênio Aragão é excelente, mas sozinho o que pode fazer além de sua permanente convocação da sociedade para se rebelar em defesa da democracia e apresentar sua crítica hiperqualificada sobre o caos que sofremos? Onde estão os outros? 

    Ou aqueles que defendem o Estado Democrático de Direito e têm privilegiadas condições de se organizar e interferir no rumo das coisas – aqueles que conhecem a máquina por dentro e têm influência – se apresentam em conjunto para produzir um discurso de oposição a este estado de coisas, ou esses órgãos, que sempre recorrem de maneira perigosa ao “apoio da sociedade”, como se assumissem que seu trabalho é vinculado à popularidade e não aos marcos legais de sua área de atuação – essa a definição de Estado Paralelo, Globélica?-, serão os responsáveis pela extinção de órgãos e carreiras pela ameaça que representam à democracia e ao Estado de Direito. Talvez por também assumir que é esta a batalha em curso, os novos capitães do mato aproveitam este momento de anomia e anemia cívica para angariar o máximo de poder simbólico para utilizar como munição quando o momento do acerto de contas chegar, ou quem sabe, para impedir que ele chegue. Não é momento de neutralidade. Esse é um tempo da história em que todos estamos sendo chamados a tomar posição. 

    “BRASIL, MOSTRA TUA CARA, QUERO VER QUEM PAGA PRA GENTE FICAR ASSIM”.  (Cazuza)

     

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=NkNv2BflaSU%5D

     

    SP, 11/12/2017 – 13:10

     

     

     

  21. Me desculpe, Sr. delegados

    Vocês não estão agindo como policiiais federais, funcionários públicos que deveriam zelar pela sociedade que lhes paga vultosos salários.  Vocês mais parecem agentes opressores a serviço do DOI CODI atual, o monstruoso MPF.  Resta saber quem é o Golbery, supremo comandante desta funesta e facista empreitada contra a democracia. 

  22. A culpa é da Madre Teresa de Calcutá

    Melhor, a culta é do Gandhi ou do Tolstoi ou do Henry David Thoreau.

     

    “Just as every cop is a criminal
    And all the sinners saints
    As heads is tails just call me Lucifer
    ‘Cause I’m in need of some restraint”

    Rollling Stones – Simpathy for the Devil

  23. Tinha necessidade?

    Uma coisa eles não responderam!! Precisava aquilo tudo? Não bastava intimar o reitor? Por que a PF fez aquele estardalhaço todo? Será que eles responderiam? Será se não tivessem feito toda aquela apresentação junto com a mídia o reitor teria se suicidado?

  24. É evidente que houve erros,

    É evidente que houve erros, tanto jurídicos (prisões como a do reitor são ilegais, por não haver nem flagrante delito nem elementos para prisão provisória ou preventiva) quanto de técnica policia (100 policiais federais deslocados do Maranhão, para prender oito perigosíssimos professores universitários de meia idade? Poupem-me. As detenções poderiam ter sido efetuadas, todas, por um único oficial de justiça).

    O abuso é escancarado, como é escancarada a falácia do argumento – “o Estado não deve ser culpado pela morte do reitor”. O Estado tem responsabilidade objetiva, devendo arcar com as indenizações cabíveis. O que não se confunde com responsabilidade penal, que obviamente só pode recair sobre as pessoas que participaram dos fatos, nos limites das suas ações – não, a delegada Marena não assassinou o reitor; sim, a delegada Marena utilizou indevidamente recursos públicos para montar um circo desnecessário, e atropelou o princípio da presunção da inocência, junto com alguns artigos do Código de Processo Penal – o que deveria lhe valer sanções administrativas, no mínimo, e provavelmente penais também.

    Cambada.

  25. Os novos capitães do mato – reloaded

    Pra variar, os comentários dão conta dos muitos aspectos do problema e não tenho o que acrescentar [sobre o caso específico.]

    Contudo, sinto falta das vozes dissonantes dentros das corporações. E elas devem existir, segundo diversos relatos aqui no blogue, e do próprio Nassif em vídeo recente em que comentou sua conversa com funcionários da PF incomodados com o espalhafato de alguns grupos e o efeito sobre seu trabalho. Aqui mesmo no blogue GGN já foi divulgada a criação de um coletivo Transforma MP, e o mesmo Nassif já cobrou a participação dos servidores aposentados dos órgãos – PF, MPF – que mantinham a manada sob controle e os órgãos dentro dos limites legais. 

    A minha pergunta é: onde estão essas pessoas que assistem à desmoralização dos órgãos, transformados em times de quinta divisão com suas torcidas organizadas hooligans e seus jogadores açougueiros (caceteiro), os que ainda estão na ativa e os que já saíram? 

    Sinceramente, tautistas seremos nós se esperarmos dos milicianos sem nenhuma vocação para o serviço público que recuem ou interrompam sua cruzada por autopromoção e privatização das funções do Estado sem que recebam oposição consistente, qualificada e permanente. A nota da ADPF é um ato de autodefesa corporativa em relação à repercussão nacional e internacional de suas ações, em especial a última na UFMG, que começam a perder a aura de infalibilidade e pureza moral ou ética – faz-me rir. 

    Eugênio Aragão é excelente, mas sozinho o que pode fazer além de sua permanente convocação da sociedade para se rebelar em defesa da democracia e apresentar sua crítica hiperqualificada sobre o caos que sofremos? Onde estão os outros? 

    Ou aqueles que defendem o Estado Democrático de Direito e têm privilegiadas condições de se organizar e interferir no rumo das coisas – aqueles que conhecem a máquina por dentro e têm influência – se apresentam em conjunto para produzir um discurso [ – e ações concretas, afinal, conhecem o funcionamento da máquina e também têm sua rede de relações, esperamos, virtuosas – ] de oposição a este estado de coisas, ou esses grupos com agenda própria e que confundem autonomia com criar e seguir regras autóctones sem prestar contas a ninguém, que sempre recorrem de maneira perigosa ao “apoio da sociedade”, como se assumissem que seu trabalho é vinculado à popularidade [- e ao voluntarismo justiceiro] e não aos marcos legais de sua área de atuação – essa a definição de Estado Paralelo, Globélica?-, serão os responsáveis pela extinção de órgãos e carreiras pela ameaça que representam à democracia e ao Estado de Direito. Talvez por também assumir que é esta a batalha em curso, os novos capitães do mato aproveitam este momento de anomia e anemia cívica para angariar o máximo de poder simbólico para utilizar como munição quando o momento do acerto de contas chegar, ou quem sabe, para impedir que ele chegue. Não é momento de neutralidade. Esse é um tempo da história em que todos estamos sendo chamados a tomar posição. 

    “BRASIL, MOSTRA TUA CARA, QUERO VER QUEM PAGA PRA GENTE FICAR ASSIM”.  (Cazuza)

     

     

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=NkNv2BflaSU%5D

    P.S. As alterações no texto atual aparecem entre colchetes (acréscimos ao original) e sublinhados (substituição de termos com acréscimos). 

    SP, 11/12/2017 – 14:50 (envio original às 13:10). 

  26. A Associação não quer um

    A Associação não quer um nodazinha sequer nas ações de seus funcionários? Devia era expurgar dos quadros as pessoas despreparadas. Assim, manteria incólume sua imagem. E deveria expulsar como a mesma pirotecnia que faz ao levarem as pessoas presas sem necessidade nenhuma.

    Por que tantos suicídios na Polícia Federal?

    23 de Março de 2017

    Recente pesquisa feita por este jornal (edição de 18 de março) mostrou que 42 policiais federais cometeram suicídio entre 1999 e 2015.

    http://www.fenapef.org.br/por-que-tantos-suicidios-na-policia-federal/

     

  27. Solidariedade à familia de Luiz Cancellier

    Pelo visto não entenderam nada e não querem entender. A luta contra o fascismo espalhado dentro das instituições brasileiras talvez seja mais longa do que pensava… Que a familia do reitor não seja vencida pela banalidade do mal dentro do aparelho burocratico do Estado.

  28. CANALHAS, TEMTAM REPRODUZIR

    CANALHAS, TEMTAM REPRODUZIR AQUI, UMA RIDÍCULA MUNIQUE. NEM PERCEBEM A TRAGÉDIA QUE PODEM REEDITAR, DESTA FEITA, EM PLENO E ENSOLARADO PAÍS. O BRASIL É MAIOR DO QUE TUDO ISSO. AVISO AOS CANALHAS E AOS SEUS MANDANTES.

    À concurseira erica macarena e aos arruaceiros dessa tal associação sindical. Na verdade, os senhores cometem tais desatinos, fruto da disputa por poder. Resta claro que isso decorre das  dissensões intestinas, e da briga de foice pelo cargo de sub-Fuher para a SA local. Foi assim lá.

    As caricatas tropas de assalto da republiqueta de merda que por aqui tentam fomentar. Buscam encontrar um Ernst Röhm, para proteger a retaguarda do chefão local. Estúpidos e subalternos. Não veem que a Pindorama de merda que almejam a todo custo aqui implantar, não tem futuro!

    Oh imbecis! Vosmecês darão com os burros n’água, assim como os nazi-fascistas em 45.

    Orlando

     

  29. O QUE É BOM, A GENTE FATURA.. O QUE É RUIM, ESCONDE!

    Daqui a 100 essa frase do Ricupero estará valendo … É o que a PF está fazendo. Escondendo. Quando deveria, pelo menos, punir a Delegada…Ou abrir um processo interno provando 100% sua inocência. Não é não? Não é assim que deveria funcionar a Justiça?

    A ADPF deveria desmentir a reportagem da querida revista Veja: “Acorrentaram seus pés, algemaram suas mãos e, posto nu, ele foi submetido a revista íntima. Um dos agentes ironizou: “Viu, gente, também prendemos professores!” …

    A ADPF deveria vir em público e desmentir também vários depoimento no Senado .. alegando calúnia. Não?

    http://www6g.senado.gov.br/busca/?portal=Atividade+Legislativa&q=Cancellier 

    São mais de 70 anos de tradição Senhores… As vezes é preciso deixar o corporativismo de lado. Cortar na carne! 

  30. Essa guarda pretoriana

    Essa guarda pretoriana deslocou mais de cem policiais federais do nordeste, passando por Brasília, para humilhar e levar à morte o reitor de uma importante universidade federal do sul, que nem tinha culpa no cartório, mas tinha depressão. Algumas perguntas que faço é: 1) pra quê? o que se descobriu?; 2) quanto gastaram de dinheiro público só nessa empreitada malfadada?

  31. Polícia Federal
    O tempo é o melhor juíz, a Polícia Federal sustenta o sistema corrupto, a Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) pode emitir quantas notas públicas quiser para ludibriar os fatos mas contra fatos não existem argumentos.

    A operação da Polícia Federal na Universidade de Santa Catarina (UFSC) foi um plano arquitetado, o objetivo era aterrorizar o reitor e os professores, montaram uma operação de guerra, com mais de de 115 agentes federais armados com fuzis, com mandados de prisão temporária e de condução coercitiva,

  32. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome