Gilmar revoga prisão preventiva da Lava Jato, sob fiança de R$ 5 milhões

Alvo é acusado de manipular mercado de capitais para esquema criminoso envolvendo o ex-governador Sérgio Cabral

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou a ordem de prisão preventiva contra um investigado da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, Luiz Arthur Andrade Correia, com a condição de pagar uma fiança de R$ 5 milhões.

Zartha, como é chamado, não chegou a ser preso, pela determinação do juiz federal Marcelo Bretas, juntamente com o empresário Eike Batista. Eles são acusados de manipular mercado de capitais para esquema criminoso envolvendo o ex-governador Sérgio Cabral.

Luiz Arthur mora nos Estados Unidos e não foi localizado pela Polícia Federal. Gilmar revogou a prisão, “permitindo o exercício da liberdade provisória, após sua devida apresentação à Justiça brasileira e, considerando as particularidades do caso, após efetuado o pagamento de fiança no valor de 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), se por algum outro motivo não estiver preso”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Daniela Mercury pede ação do CNJ contra recurso da AGU sobre homofobia

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome