Juiz diz que preventiva é “ficção” e manda Geddel para casa

Foto: Valter Campanato/EBC
 
Jornal GGN – O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) poderá cumprir a prisão em sua casa, determinou o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de Brasília, nesta quarta-feira (12).
 
Em seu despacho, o juiz disse que decretar prisão preventiva por atos ilícitos cometidos entre 2012 até 2015 “ofende a língua portuguesa”, pelo próprio significado de “preventiva”.
 
Para ele, o fato de os processos penais hoje enfrentarem morosidades ou até mesmo ineficácias da Justiça brasileira não permite ou autoriza determinar medidas “por ficção”.
 
O ex-ministro de Michel Temer foi preso pela Polícia Federal na Operação Greenfield e Operação Sepsis, sobre esquema ilícito de pagamentos de propinas para a liberação de recursos do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS) , administrado pela Caixa Econômica Federal.
 
Geddel ocupou a diretoria da Caixa e foi acusado de tentar obstruir as investigações, de acordo com depoimentos de Lúcio Funaro, do dono da JBS Joesley Batista, e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, em acordos de delação premiada.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Gilmar propõe mudança no Supremo que impacta sobre a Lava Jato

7 comentários

  1. Então, o que dizer da

    Então, o que dizer da preventiva de mais de dois anos do Vaccari?

    Justiça que usa de dois pesos e duas medidas não merece nenhum respeito. Ao contrário: deve ser achincalhada sempre que possível.

  2. A Justiça tupiniquim…

    não passa  de um departamento jurídico interno da Casa grande !!!

    Assim, como as  forças  armadas, são seu setor interno de vigilância !!!

    A  mídia, o seu depto. de marketing !!

    Infeiizmente !!

  3. …”o desembargador Ney

    …”o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de Brasília, nesta quarta-feira (12).

    Em seu despacho, o juiz disse que decretar prisão preventiva por atos ilícitos cometidos entre 2012 até 2015 “ofende a língua portuguesa”, pelo próprio significado de “preventiva”.”…  O desembargador Ney está coberto de razão em despachar o corrupto e chorão Gedel. Permitindo ao mesmo retornar à boa terra onde ficará “preso” na sua mansão praira. Na qual, poderá beber sua água de coco “se rindo” dos merdas que lhe sustentam a vida de desfrutes. Sua meretrícima ops, digo, o meritíssimo desembargador, ao lavrar seu justo despacho**, embora não seja necessariamente um “pai de santo.” Aproveita do mesmo e faz um breve deboche, digamos assim, criticando o enxovalhamento à lingua nativa perpetrado pelos colegas que condenaram o réu à prisão “preventiva,” sem demonstra noção de que porra siguinifique o termo “p r e v e n t i v a.” Ora meus amigos! Claro que isso tudo não passa de gozação e deboche com a cara dos que pagam e sustentam toda essa parafernália de marajás. Sobretudo, os aboletados no poderosíssimo poder judiciário.Vejam o escárnio que um juizeco de piso lá dos confins do inferno, acaba de cometer. …Ah! Dizem. Desculpe, repetem, pois papagaio apenas currupaca! : …Ah… mas agora a justiça está sendo aplicada igualmente para todos… Orlando 

  4. (postagem corregida)
    …”o

    (postagem corregida)

    …”o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de Brasília, nesta quarta-feira (12).

    Em seu despacho, o juiz disse que decretar prisão preventiva por atos ilícitos cometidos entre 2012 até 2015 “ofende a língua portuguesa”, pelo próprio significado de “preventiva”.”…  O desembargador Ney está coberto de razão ao despachar o corrupto e chorão Gedel. Permitindo ao mesmo retornar à boa terra onde ficará “preso” na sua mansão praira. Na qual, poderá beber sua água de coco, “se rindo” dos merdas que lhe sustentam a vida de desfrutes. Sua meretrícima ops, digo, o meritíssimo desembargador, ao lavrar seu justo despacho, ou seria um ebó oferenda(?), embora não seja necessariamente um “pai de santo.” O homi se aproveita do evento pra fazer um breve deboche, digamos assim, criticando o enxovalhamento à lingua nativa, perpetrado pelos colegas que condenaram o réu. Ao, decretarem a prisão “preventiva,” sem ter a menor noção de que porra signifique o termo “p r e v e n t i v a.” Ora meus amigos! Claro que isso tudo não passa de gozação e deboche com a cara dos que pagam e sustentam toda essa parafernália destinada a marajás. Sobretudo, daqueles aboletados no poderosíssimo poder judiciário.Vejam o escárnio que um juizeco de piso lá dos confins do inferno, acaba de cometer. …Ah! Dizem. Desculpe, repetem, pois papagaio apenas currupaca! : …Ah… mas agora a justiça está sendo aplicada igualmente para todos… Orlando 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome