Lava-Jato: TCU determina devolução de valores de diárias e viagens

Ministro afirma que operação viabilizou indústria de pagamento de diárias e viagens a poucos procuradores; valor supera R$ 1,8 milhão

Jornal GGN – O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que os procuradores da Operação Lava Jato em Curitiba devolvam recursos de diárias e viagens usados durante a operação que investigou a Petrobras.

Relatado pelo ministro Bruno Dantas, o processo apontou prejuízo ao erário e violação ao chamado princípio da impessoalidade (o dever de imparcialidade na defesa do interesse público).

Segundo a jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, Dantas citou a adoção de um modelo que seria “benéfico e rentável” para os integrantes da força-tarefa.

Clique aqui e veja como contribuir com o jornalismo independente do GGN

Além de cinco procuradores, o ex-coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, será citado para devolver solidariamente recursos aos cofres públicos. Ele supostamente seria o responsável por idealizar o modelo de trabalho do grupo de procuradores.

Na ocasião, o Ministério Público Federal era comandado pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que também será citado para devolver recursos.

Em nota, os procuradores dizem que tanto as diárias como as passagens aéreas foram autorizadas, e que a representação “’não preenche os requisitos de admissibilidade’ prevista no regimento interno do TCU, já que não acompanhada de indícios de irregularidades ou ilegalidades”.

Leia Também

A plataforma Moro: promessas para reconstruir o País que ele próprio ajudou a detonar

Como a Lava Jato abriu espaço para a maior corrupção da história, por Luis Nassif

Podemos, o partido que acolheu os justiceiros de Curitiba

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador