Nassif: Mr. Bean e a lavagem de apartamento da Lava Jato

De todos os absurdos lógicos da Lava Jato, o campeão inconteste é o caso do apartamento que foi lavado. Segundo a brilhante versão dos bravos procuradores da Lava Jato, endossada pelo juiz Sérgio Moro, o tal triplex foi uma propina paga a Lula, em troca de facilidades em três contratos com a Petrobras (depois, quando não conseguiram provas documentais sobre os tais contratos, trocaram por contrato genéricos).

Toda a lógica da lavagem de dinheiro é a da destruição dos rastros das propinas.

O corruptor paga o corrupto em conta no exterior, preferencialmente em paraíso fiscal em nome de uma offshore – isto é, uma empresa aberta no exterior. A empresa é registrada por um escritório especializado, que fornece seu próprio endereço como endereço da empresa.

Só o dono da empresa e o escritório de advocacia sabem de quem.

A grande característica, comum a todos os processos de lavagem de dinheiro:

  1. Não se pode saber de onde veio o dinheiro. Isto é, a identidade do corruptor.

  2. Não se pode saber para quem foi o dinheiro. Isto é, a identidade do corrupto.

É por isso que, para trazer dinheiro de volta para o Brasil, recorre-se a diversos métodos de lavagem: compra de obras de arte, compra superfaturada de imóveis, compras de sites superfaturados e coisas do gênero (antigamente eram as famosas heranças de tias distantes).

É nisso o que os bravos procuradores se apegam para confessar sua impossibilidade de apresentar provas das corrupções denunciadas. Como explicam, o dinheiro é um bem fungível, ou seja, pode ser substituído por outro da mesma espécie.

De repente, o comandante maior do maior esquema de corrupção do planeta, o mais sofisticado, aquele que envolve centenas de empresas offshore, de paraísos fiscais, é acusado de ter montado a seguinte operação: em vez de pagamento em espécie, através de algum fundo offshore, exige um apartamento mobiliado, para uso próprio.

Cria-se, então, uma história à altura de Mr. Bean.

A OAS (corruptora) dá um apartamento a Lula (o corrompido). E, espertamente, para disfarçar o rastro do dinheiro, não repassa o título de propriedade.

Imagine-se a cena. Lula sai na calçada para ir para a praia com seu engradado de cerveja na cabeça e o transeunte pergunta:

– Você mora aqui?

– Moro.

– É apartamento próprio?

– Não, a OAS me empresta nos fins de semana.

Como já conceituei, é o primeiro caso em que lavagem de dinheiro foi substituída por lavagem de apartamento.

 

34 comentários

  1. Quando um petista for

    Quando um petista for prefeito de Salvador, vão acusar o prefeito de uso da água imprópria do Dique do Tororó. k k k k k k

      • Educação
        A maioria dos brasileiros não tiveram o previlégio de ter uma boa formação escolar, e sou um deles. As matérias do jornal GGN tornaram-se para mim uma fonte de aprendizado, bom como os comentários dos frequentadores desta página que mostram grande capacidade intelectual, comprovando que educação cabe em todo lugar.

  2. LULA parece ter se

    LULA parece ter se especializado nisso.

    A ODEBRECHT disse que lhe reservou milhões, em conta que estava no NOME DA EMPREITEIRA. Nenhuma prova de movimentaçã, depóstio e destino, nada

    A JBS disse que disponibilizou milhões de US$ pro “bandidão” e pra bandidona Dilma, em nome da empresa, e que depois acabou gastando pro próprio acionista já que a grana tava parada

    A OAS não ia ficar de fora  ..pagou propina em prestações, e só depois de acabar o governo ..e ainda exigiu garantia de que a dita propina ficaria em seu nome, com um apto no Guaruja em que ela o imovel até como garantia, dela OAS, pra CAIXA

    esse LULA ?! não bastasse enganar a PF, ABIN, Controladoria, auditorias, bancos, Febraban, FIEPS, Cartórios, FBI, MP, TCU, Justiça, BC e tantos outros como a CIA, e agora quer fazer o Inspetor CLouseua, de Curitiba, de idiota tb ?!

    https://www.youtube.com/watch?v=hqYHb41OlSE

     

     

  3. Há possibilidade de acusar

    Há possibilidade de acusar pelo “uso do apartamento empretado para estocar cerveja com fim de revenda sem emissão de nota” ?

    • Só sendo um carioca mesmo
      Só sendo um carioca mesmo para criar tal ironia. Sou mineiro mas gosto do senso de humor carioca.

  4. A cada dia uma palhaçada a

    A cada dia uma palhaçada a mais no caso da vaza jato. Agora vieram com esta da ajufe em favor do mané jurídico de curitiba. Só Jesus na causa. Não tem jeito. Os caras piraram de vez com os holofotes da globo. Ontem vi aquela versão paulista do dalagnol levando uma sova do r azevedo. Quando será que vai acabar este circo horroroso em torno do juízes e procuradores fascistas do brasil ?

  5. Nassifão eles falam qq
    Nassifão eles falam qq coisa,sabem o povo q tem,dizem besteira e o povo aceita, eu sei disso pq eu sou o povo e o povo sou eu !!

  6. Bravo Nassif.

    Parece que alguns jornalistas, infelizmente, lutam bravamente contra moinhos de vento.

    E a realidade a dizer-lhes:

    Contra a fé não há argumentos.

    Ou pior, o ódio cega e as pessoas (cegas por ele) nem percebem. “Mas o ódio cega…”  Como diria a canção.

  7. Indícios só valem quando não há prova material do oposto

    No vídeo de Reinaldo Azevedo questionando a procuradora, ele tocou em um ponto muito importante que não vi ninguém mencionar:

    PROVAS INDICIÁRIAS SÓ VALEM QUANDO NÃO HÁ PROVAS MATERIAIS DO OPOSTO!

    Os indícios que serviram para culpar Lula ignoraram provas materiais que ele é inocente. Os documentos sem assinatura, tíquet de pedágio e delações não tem valor algum diante da prova material da propriedade do apartamento ser da OAS.

    Ele até citou o caso da Elisa Samúdio… os indícios de que ela foi assassinada só valem se ela estiver morta… se ela aparecer viva, os indícios não terão mais valor algum. No caso, Lula está sendo condenado por indícios de um crime e tem provas materiais de que o crime não ocorreu.

    É como se o goleiro Bruno fosse preso com base nos indícios e a Elisa Samúdio aparecesse viva depois… mas os indícios continuam…

  8. E a lavagem ainda se enrola

    E a lavagem ainda se enrola na outra condenação por corrupção passiva, sem a lavagem de apartamento o apartamento não era de Lula e a acusação de corrupção passiva não se sustenta sem a vantagem recebida. A segunda condenação entrou para corrigir a falta de condição da primeira na configuração do crime.

    Ainda tem juizes como Gilmar Mendes pegando carona no avião de Temer para eventos no exterior, Sergio Moro recebendo premio e soltando os doleiros da Globo, não estariam estes cometendo o crime de corrupção passiva? A offshore da Globo deve ter mais que os 16 milhões que vão devolver para a Petrobras descontado o dizimo dos procuradores.

  9. Adendo

    “por isso que, para trazer dinheiro de volta para o Brasil, recorre-se a diversos métodos de lavagem: compra de obras de arte, compra superfaturada de imóveis, compras de sites superfaturados e coisas do gênero (antigamente eram as famosas heranças de tias distantes).” Hoje se lava dinheiro com o repatriamento autorizado por lei, e também mediante delação premiada.

  10. Enquanto ficamos aqui fazendo

    Enquanto ficamos aqui fazendo piada e zombando dos palhaços de curitiba o ferro vai entrando no nosso R _ _ _.

    Não há solução pacífica para o golpe. 

    Ou nos armamos a partimos para cima correndo risco de morte ou seremos escravos para sempre.

    O que é pior: morrer lutando ou viver debaixo de porrete?

  11. Ainda pior, pois, a OAS deu o

    Ainda pior, pois, a OAS deu o apartamento pro Lula, mas, sem que ele o utilizasse, usasse ou estivesse em seu nome no registro de imóveis, nem haja qualquer contrato entre as partes (os poliças fuçaram em todas as gavetas), o Pinheiro ainda ficou com o mesmo e, mais, sem a autorização do Lula, colocou no prego junto à CEF. Caso único de propina em que o “laranja” é o (im)próprio corruptor. Haja saco.

  12. Proposital

    – “Você mora aqui?

    – “Moro”.

    Isso foi proposital, não foi Nassif?

    – Moro.

    Você quis dizer Môro, não é?

    Pois foi Moro que disse que o triplex é do Lula.

  13. Cadeia a juizes pgrs e promotores Blindadores e Blindados AntiPT

    Sempre é bom dar uma viajada por esses tipos de fraudes, sempre montadas para proveitos duns em detrimento da descontrução doutros. Mas o que vale mesmo lembrarmos, é que trata-se de pessoal altamente criminoso, são lesas pátria de alto grau, com a destruição de empresas brasileiras ao invés de seus responsáveis corruptos, conduções coercitivas criminosas totalmente sem justificativas jurídicas, notadamente nos casos do Ex Presidente do Brasil Luis Inácio Lula da Silva e do Jornalista Eduardo Guimarães, torturas psicológicas para obtenção de delações premiadas por êles estipuladas, blindagens e impunidades a seus pares tucanos, democratas e peemedebistas, abusos absurdos de poder e óbviamente formação de quadrilha para poderem praticar todos esses e outros crimes, aqui não mencionados por falta de espaço. Todos esses crimes esse povo vai ter que pagar.

     JUIZ E ADVOGADA TUCANA EM FOTO DE LADINHO??? QUE PÔRRA DE PAÍS É ESSE MEU?

  14. Lavagem?

    Ouvi de um juiz do stf que um ladrão de carteira compra um lanche com o dinheiro roubado fazia lavagem. Absurdo e idiotisse.

    na lavagem o essencial é que o dinheiro volte ao ladrão limpo, apareça limpo.

    E fizeram a idiotisse de associar qualquer crime automáticamente à lavagem. É como se criasse o crime de mal-caratismo e todo bandido seria condeado por este terrivel crime.

  15. A narrativa do absurdo

    Anos atrás, quando condenaram Zé Dirceu com base na teoria do domínio do fato, apresentaram como “provas” o fato de que ele tinha reuniões com deputados denunciados no Mensalão, o que era óbvio, dada a condição de Dirceu de ministro e coordenador político do Governo.

    Expliquei a um colega meu da CGU como esse entendimento podia ser usado para condenar literalmente qualquer um servidor público sem provas: você trabalha na CGU e tem em suas mãos o processo de responsabilização de uma empresa qualquer, de acordo com a Lei n° 12.846/2013. Nessa condição é normal reunir-se com representantes e advogados da empresa – assim como qualquer juiz despacha um processo com advogados das partes.

    Um belo dia o MPF acusa esse servidor de receber propina pra livrar a cara dessa empresa. A prova: suas reuniões com representantes e advogados da empresa. E pronto, pelo domínio do fato ele será condenado, sem ter recebido de propina um pirulito sequer…

    É o mesmo caso do Lula. Qualquer agente público pode ser condenado com base nessa narrativa louca de Dallagnol/Moro. Simples assim: pega-se alguma empresa que prestou serviços ao Governo. Identifica-se um bem dela e diz-se que seria dado de propina pra alguém, que teve um contato mínimo que seja com processos daquela empresa, como um gestor que aprovou o resultado de uma licitação, o pregoeiro ou a comissão de licitação, o fiscal do contrato ou o procurador que analisou a regularidade desse contrato. Pronto, está condenado!

    E os patetas servidores públicos, em seu quase uníssono antipetista, batem palmas pra esse tipo de decisão, sem perceber que estão aplaudindo uma loucura persecutória digna d’O Alienista, de Machado de Assis, pela sua gravidade e superficialidade, e que pode se voltar contra eles um dia!

    • Resposta ao comentário de Alan

      Oi Alan, acho genial seus comentários.

      Só por curiosidade, você é funcionário da CGU? Se sim, que máximo, cara.

      Estou lutando há anos para ser funcionária pública e nunca consigo marcar o gol…

      Sou determinada, continuo firme nos estudos, estabeleci uma meta de ser aprovada ainda este ano.

      Abraços,

      Elaine

    • DOMÍNIO DO FATO

      Um agente público é diferente de um agente político.O Agente público, de um modo geral, não tem discricionaridade, e quando tem é somente aquela que a lei concede. O Agente político, é um agente de poder, de modo que a lei, quando o alcança, tem que buscar outros caminhos.

      Se o MP não se invocar com esse agente público pelo simples fato de ele ser petista,  respeitando rigorosamente a legislação, jamais poderia iniciar uma ação persecutória pelo simples fato de ele se reunir, no exercício de sua função, com representantes e advogados de uma empresa.

      Mas, somente se  o MP não se ” invocar ” com o cara.

      É, estamos bem arranjados com esses novos agentes da lei.

  16. Conheço juizes que estão com

    Conheço juizes que estão com vergonha do que vem acontecendo com o judiciário. Palahçada, paclhaça, palhaçada.

  17. Ah, Nassif, essa, todos nós
    Ah, Nassif, essa, todos nós temos que te agradecer e muito!!!!! Por expor ao ridículo de modo simples e genial essa farsa, essa violência contra Lula, contra o Direito, contra a justiça….. é de lavar a alma!!!! Espero que seja das mais compartilhadas nas redes sociais!!!!

  18. outro absurdo lógico do caso tríplex

    Alguém como o Lula que, se quisesse, teria os contatos e as facilidades vistas nos outros casos da Lava a Jato para ocultar patrimônio de propina em offshore, ficaria pagando durante 4 anos, 50 de 70 prestações, até a Bancoop falir?

  19. Lavagem de apartamento.

    No caso da condenação do Lula a situação é ainda mais absurda, uma vez que o chefe do maior esquema de corrupção do planeta recebeu como proprina um apartamento do qual ele não tem o domínio(propriedade), eis que o imóvel está registrado em nome da OAS e não tem posse (uso), uma vez que o imóvel, desde a construção até a presente data, nunca foi ocupado. Assim, o chefe da  Organização Criminosa recebeu de propina um bem do qual não tem título e nem uso, ou seja, nada  recebeu. Este é o absurdo resultante da criação mental dos Procuradores e do Juiz da Lavajato.

    • Meu caro, esse tal Leo

      Meu caro, esse tal Leo Pinheiro é o “propineiro” mais filha-da-puta da história.

      Ele dá como propina um apê cujo recebedor da “bola” não pode utilizà-lo, pois nem a chave tem e mais, não pode dispor do apê pois o mesmo, o fruto da propina, foi dado como garantia pela dona do imóvel, a OAS.

      Imagine que insólito, é como se fossa dada uma propina em dinheiro vivo, porém o recebedor não o pudesse utilizar, dispondo do mesmo, devido ao fato, digamos do dinheiro estar “tingido” como nos roubos de caixa eletrónico ou mesmo as numeros de série serem conhecidos e puderem ser rastreados.

      E a lavagem então ? Essa tipificação é absurda.

      Lavagem de dinheiro é quando se pega um dinheiro sujo e faz alguma operação com ele, com o fim de limpá-lo. Por exemplo, o sujeito recebe uma propina de 1M, com esse dinheiro compra um ape de 1M, só que passa o imóvel no cartório por 50 mil, sendo que estes 50 mil o sujeito tem como declarar que recebeu com seus rendimentos normais. Isso é lavagem de dinheiro. Ele fica com um patrimonio limpo, no valor real de 1M. No caso do triplex não tem nada a ver com lavagem de dinheiro. Lula nem 1) incorporou o ape ao seu patrimonio e 2) nem se utilizou uma única mísera vez do imóvel.

      Portanto não tem nada lavado ali. É simplesmente ridículo.

       

       

       

       

  20. Golpismo do Judiciário

    É inútil procurar razões de ordem jurídica, tecnicismos, piruetas verbais ou quaisquer truques processuais que fundamentem a sentença do Savonarola de Curitiba. A condenação, sem provas, do Lula é feita por razões ideológicas. Já disse e volto a repetir aqui, sem meias palavras: o medíocre Torquemada da Rede Globo é a face mais visível do golpismo do Judiciário, a serviço da plutocracia.

  21. Alienação de propriedade alheia

    Lula: OAS, quero esse triplex mobiliado por conta dos vários contratos que vocês estão frimando com a Petrobrás.

    OAS: Ok Lula, ele é seu, como você quer que o reformemos?

    Lula: Assim e assado.

    OAS: Ok Lula, venha vistar a obra de vez em quando.

    Lula: Vou visitar duas vezes, ok? Acho que já é suficiente prá ver que tudo está perfeito. Se estiver, não volto nunca mais, nem prá usá-lo.

    OAS: Ok Lula, assim fica bom. Já que você não vai usá-lo mesmo a gente, que quase não pssui outros bens e recursos, vai oferecê-lo como garantia para um financiamento. 

    Lula: OK OAS, tudo certo, o apartamento é meu, mas vocês podem fazer o que quiserem com ele, porque eu já tenho um sítio oriundo de propinas e lá eu coloquei um belo barco e um suntuoso pedalinho. Sabe como é, né. Um chefe de esquema de corrupção precisa ostentar. E o melhor você não sabe, ainda por cima essas propinas me renderam uma F1000 e uma ford Ranger 2012. A única preocupação é que com todas essas propriedades minhas maracutaias acabem muito visíveis. 

     

    Nosso judiciário perdeu qualquer pudor, qualquer noção ética e de justiça.Não se trata apenas de omissão, mas de missão.

     

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome