PF encontra ligações entre compra de avião de Campos com Lava Jato

 
Jornal GGN – O caso paralisado no último ano sobre os reais proprietários do avião que conduzia o presidenciável Eduardo Campos, no dia do acidente que levou à sua morte, em 2014, foi retomado nesta terça-feira (21). A Operação Turbulência, mobilizando mais de 200 policiais federais e 60 mandados de Justiça, trouxe indícios de relação entre uma organização criminosa com a Operação Lava Jato.
 
Segundo a Polícia Federal, o grupo que atua em Pernambuco e em Goiás é acusado de movimentar mais de R$ 600 milhões e realizar lavagem de dinheiro, desde 2010. Entre os presos, o filho do ex-deputado Luiz Piauhylino (PSB-PE), empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, e Apolo Santana Vieira, dono de empresa que recebeu incentivos fiscais pernambucanos no segundo mandato de Campos, em 2011.
 
Também foram alvos de mandado de prisão preventiva, na Operação realizada nesta manhã, Arthur Roberto Lapa Rosal, Eduardo Freire Bezerra Leite e Paulo César de Barros Morato.
 
Quando a investigação teve início com a análise de movimentações financeiras suspeitas detectadas nas contas de empresas que adquiriram a aeronave Cessna Citattion PR-AFA, que transportava Campos para a sua agenda de campanha, a PF verificou que eram empresas em nome de laranjas.
 
A partir daí, descobriu-se que os sócios eram responsáveis por diversas transações entre si e com empresas fantasmas, desaguando, inclusive, em nomes de grupos apontados como operadores na Operação Lava Jato. A suspeita é de que parte dos recursos movimentadas nas contas que adquiriram o avião de Campos também serviam para o pagamento de propinas a políticos, além da formação de caixa 2 de empreiteiras. 
 
Segundo os investigadores, o esquema criminoso estava ativo desde, no mínimo, o ano de 2010.
 
Denominada Turbulência, os agora presos João Carlos Lyra Filho e Apolo Santana confirmaram, em agosto de 2014, que realizaram vários empréstimos para adquirir a aeronave da campanha socialista. Afirmaram, em nota, que queriam “honrar o compromisso com a empresa A.F. Andrade”, responsável pelo financiamento do Cessna. 
 
O irmão de criação de Lyra Filho, Luiz Piauhylino Monteiro Filho, também chegou a empresar R$ 325 mil para adquirir o avião. Em nota, confirmou o “contrato de empréstimo pessoal”. Outra movimentação realizada para o pagamento foi da empresa pernambucana Ele Leite Ltda, que depositou R$ 727.797,03 mil para a empresa paulista A.F Andrade, em maio de 2014. Á imprensa, também naquele ano, a companhia pernambucana afirmou que se tratava de um empréstimo a Lyra Filho.
 
Já Apolo Santana, os investigadores constataram que é proprietário da Bandeirantes Companhia de Pneus, que teve seus incentivos fiscais mantidos pelo programa Prodepe no segundo governo de Eduardo Campos no estado. Investigava-se se os benefícios tiveram relação com o empréstimo da aeronave para uso na campanha presidencial de Campos.
 
Com os benefícios aprovados no final de 2006 pelo então governador e atual deputado federal Mendonça Filho (DEM), tinham validade de sete anos, vencendo em 2013. Mas no ano de 2011, a empresa mudou de nome: de Bandeirantes Renovadora de Pneus para Bandeirantes Companhia de Pneus. Após a modificação, a empresa solicitou permanecer no Prodepe. Eduardo Campos assinou um decreto mantendo os benefícios.
 
Os mandados judiciais estão sendo cumpridos em 16 cidades pernambucanas e no Aeroporto de Guararapes. Do total de 60 operações, 33 são de busca e apreensão, 22 de condução coercitiva e 5 de prisão preventiva. Além disso, a Justiça determinou a indisponibilidade de contas e o sequestro de embarcações, aeronaves e helicópteros dos principais membros da organização criminosa. 
 
Os presos e conduzidos coercitivamente serão levados para a sede da Polícia Federal em Recife. De acordo com os investigadores, os envolvidos responderão, na medida de seu grau de participação no esquema criminoso, nos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  PGR ameniza crise do governo Bolsonaro e diz que compete ao Congresso julgar crimes

20 comentários

  1. Ra!

    Era bem que o intuiamos: sigam os laranjas proprietarios das duas aeronaves usadas pela campanha de Eduardo Campos, que chegariam ao caixa 2 do PSB.  Ja estava dando esse caso por mais um que ficaria “por isso mesmo”, mas parece que a PF  esta saindo do samba de uma nota so. Contudo, além dos empresarios e do falecido Eduardo Campos, ha muita mais gente no PSB e do governo pernambucano envolvido nessa “Turbulência”.

  2. Não que a gente não queira

    Não que a gente não queira ver estas coisas esclarecidas, mas o projeto de se instituir uma república midiático-judiciária no Brasil segue em frente,,, Tchau, marina! Achaste mesmo que não chegaria tua vez?

  3. Os golpistas continuam pautando o noticiário.

         Prezados leitores e profissionais do GGN,

       Todos sabemos que essa operação da PF, apelidada com risível clichê “turbulência”, é notícia e não pode ser omitida. Entretanto os blogs independentes não podem simplesmente reproduzir tal notícia, compilando o que foi divulgado pelos veículos do PIG ou pela PF. Muito mais importante do que reproduzir a notícia pigal – sempre editada com intenções nada republicanas e com interesses político-econômicos inconfessáveis – é analisar e discutir o momento, o porquê e a forma como a operação da PF foi desencadeada.

        Em 2014 houve eleições gerais e Eduardo Campos, ex governador de PE, era candidato à presidente pelo PSB; a candidata a vice era Marina Silva. Tanto Eduardo como Marina utilizaram a aeronave (um jatinho Cessna), em deslocamentos de campanha. Em 13 de agosto de 2014 Eduardo Campos, correligionários, além da tripulação, viajavam na aeronave, que se envolveu em misterioso acidente na região da Baixada Santista, até hoje não esclarecido. Todos os ocupantes do avião morreram nesse acidente. Sendo nova e com manutenção em dia, é pouco provável que o acidente tenha ocorrido por falha mecânica. Como os mortos não podem se defender, colocaram a culpa no piloto. Fato estranhíssimo é que peritos da Aeronáutica não encontraram a caixa-preta; pouco depois foi informado que a aeronave não possuía caixa-preta. Mais estranho ainda é que TODA a chamada ‘grande mídia’ comprou essa afirmação pelo valor de face. Nenhum repórter ou equipe do PIG se empenhou em investigar as reais causas do acidente ou se a aeronave que servia à campanha do PSB possuía, ou não, caixa preta. Para agravar ainda mais a situação da ‘grande mídia’, registre-se que ela não se empenhou em investigar e levantar informações sobre quais eram os proprietários da aeronave em que viajava Eduardo Campos, quem a tinha contratado para prestar serviços ao candidato, qual a situação legal, quem pagou pelas fretagens, etc. De início, a extrema direita quis até incriminar o PT e o governo, por suposta sabotagem. Mas quando ficou claro que se sabotagem houve ela foi tramada pela própria extrema direita ou pelo alto comando golpista em terras estadunidenses, o assunto foi abafado, colocado embaixo do tapete não se falaou mais nada a respeito.

       Agora, com o golpe desmascarado e com os golpistas identificados, eis que a PF deflagra essa operação ‘turbulência’. Isso ocorre num momento em que o governo golpista (encabeçado pelo traidor-golpista-usurpador michel temer) articula com o STF e com o baixo clero da Câmara dos Deputados uma tentativa de salvar Eduardo Cunha de ter o mandato cassado, o que lhe retiraria o foro de ser processado e julgado no STF. Essa trama sórdida desaparece do noticiário, encoberta pela operação ‘turbulência’. Essa operação da PF livra o PIG de discutir as manobras e golpes orçamentários que o governo golpista está impondo ao País (concessão de generoso aumento para servidores do PJ e do MP, ao custo de mais de R$ 58 bilhões, renegociação da dívida dos estados federados, ao custo de mais de R$50 bilhões apenas neste ano de 2016, corte nos programas sociais, como BF e MCMV, corte no orçamento da Saúde e da Educação, manutenção das taxas escorchantes de juros em benefício da banca e do setor financeiro, etc.).

    Portanto os jornalistas e blogs independentes não podem se deixar levar e ser manipulados e pautados pelo PIG e pelos golpistas. Fica o alerta.

     

     

        

     

     

  4. Todos

    A perspectiva otimista é que o vocábulo “seletivo” e suas variações se extinguirão no esquecimento.Assim, todos sem exceção do poder político e econômico serão mostrados na foto atolados na lama. Com golpe ou sem golpe o país tem uma valiosa chance de mudar seu rumo moral. Infelizmente só o povão acredita nesta utopia. Na realidade tudo vai terminar em pizza, Isto é o que se supõe a partir de declarações inflamadas dos supostos guardiões dos princípios republicanos,  com todas  as matizes politicas e ideológicas. 

  5. Dois anos para identificar o

    Dois anos para identificar o proprietário  de um avião acidentado.Quer dizer, um avião que transportava um candidato à presidência da república. Fosse um contínuo do PT,passageiro ou tripulante, em 24 horas  estaria esclarecido o mistério.Lula,Dirceu,Dilma e toda  a direção do PT incluida.Claro  que, sob a jurisdição do  juiz  Moro-mas -não vejo- tudo.

    Falta agora, descobrir o destinatário e o patrocinador do  Helicoca.Pelo valor de mercado do produto,sua comercialização,sustentava com  folga, uma campanha presidencial  e vário parlamentares…

  6. Operação “Céu de Brigadeiro”

    Caros amigos/as;

    Eu tenho outra interpretação sobre essa ‘Operação Turbulência’. Na realidade, a meu ver, trata-se de uma estratégia para mudar o foco da mídia nativa sobre as delações de Sérgio Machado — e possivelmente de Eduardo Cunha –, que atingem em cheio o coração da cúpula golpista. 

    Devemos continuar martelando nessas delações, inclusive questionando a legitimidade de Eduardo Cunha em ter colocado em pauta o pedido de impeachment de Dilma Rousseff. Outra coisa, quem souber pode me responder em meu comentário: Defender uma eleição para presidente é não aceitar o resultado das urnas, por que defendem? Vai resolver o quê? Vamos pra frente.

    • bastante canalha

      Carlos,

      Esta movimentação surgida a partir do nada não tem por finalidade o avião, o dono do avião ou qq coisa parecida.

      Uma das possibilidades é a que você cita, mudar o foco da atual pauta midiática, tenebrosa para o grupo golpista, e outra, um modo bastante canalha para se chegar a Lula e DRousseff. 

  7. A foto acima…

    A Sra. OSMARINA desembarcando do jatinho que tanto os servia…  Mas, no dia fatídico, a divina providência ( segundo Osmarina) a fez desistir da viagem. Caberia agora que ela solicitasse ajuda da divina providência para elucidar todas as incógnitas que envolvem esse misterioso jatinho. Estamos aguardando…

  8. Só agora depois de derrubarem o PT?

    Por que só agora, depois de derrubarem o PT estes escândalos estão aparecendo? Será que é medo da PF e PGR perderem o poder e voltarem ao que era antes do PT. Nada? Querem mostrar serviço a população para tentar evitar que o PMDB os jogue na lata de lixo? 

  9. Não Há empresa no Brasil que

    Não Há empresa no Brasil que opere com o Governo Federal, Estadual e Municipal que não pague comissão.

    Nos EUA isso chama-se lobby e é legalizado.

    No Brasil não há interese de se legalizar o costume posto que – além de sonegação de impostos – há interesses criminosos em não fazê-lo.

  10. Vale a pena Dilma resistir

    Se tivesse pedido a renuncia, como alguns queriam, já teriam zerado o jogo e escondido tudo.

    Enquanto mais Dilma luta e assegura, o tempo passa e o golpe desmorona…

  11. E pra candidata da coligação

    E pra candidata da coligação PSB-PSDB-ARENA, Blá-blá, não sobra nada?

    Vai dizer que ela é inocente e otária, e não sabia de nada?

     

  12. Não nos iludamos,

    Não nos iludamos, comnpanheiros: Para que fatos escabrosos mas sobejamente conhecidos e comentados nos blogs sujos venham à tona e com tanto estardalhaço é porque algo muito mais escabroso está se tramando nos subterrâneos do golpe, que fará a venda da Vale parecer uma inocente operação beneficiente.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome