Rodrigo Janot pede quebra de sigilo do senador Zezé Perrella

Da Folha de S. Paulo

Procurador-geral pede a quebra de sigilo do senador Zezé Perrella
 
Por Fernanda Odilla
 
Rodrigo Janot quer retomar apuração contra político mineiro e o irmão dele
 
Ex-presidentes do Cruzeiro, os dois são investigados por suposta lavagem de dinheiro em venda de jogador
 
A Procuradoria-Geral da República defende a quebra de sigilo bancário para aprofundar investigação contra o senador Zezé Perrella (PDT-MG) e o irmão de Perrella, Alvimar de Oliveira Costa, em inquérito que tramita no STF.
 
Ex-presidentes do time mineiro Cruzeiro, os dois são investigados por suposta lavagem de dinheiro na venda do zagueiro Luisão ao Benfica, de Portugal. A negociação envolveu um clube uruguaio e é considerada suspeita pela Polícia Federal, que indiciou Perrella em 2010 pelo caso.
 
A investigação se arrasta no Supremo Tribunal Federal desde 2011.
 

 
Dez dias depois de a polícia encontrar cocaína no helicóptero da empresa do filho de Perrella, embora tenha sido descartado qualquer envolvimento da família no caso, o inquérito voltou a andar.
 
O STF mandou o caso a Janot, que pediu que o ministro Ricardo Lewandowski reconsiderasse a decisão de não autorizar a quebra de sigilo bancário. A devassa foi suspensa após pedido do Cruzeiro.
 
Advogados do time, que também defendem o senador, alegam haver erros na petição do Ministério Público, e Lewandowski desautorizou parte da quebra do sigilo bancário e fiscal. Parte da movimentação das contas dos dois já havia sido analisada pela PF.
 
Em 2003, Luisão foi vendido por US$ 2,5 milhões ao clube uruguaio Central Español e logo em seguida repassado por cerca de US$ 1 milhão a menos ao Benfica. Investigadores suspeitam que parte do valor declarado na negociação com o time uruguaio voltou irregularmente ao Brasil e teria sido pulverizado em contas de empresas ligadas à Perrella e ao irmão dele.
 

22 comentários

  1. A grande imprensa tentou

    A grande imprensa tentou abafar o caso.

    A internet cobrou ações.

    Tudo parecia morto…

    … 500 kg de cocaína…

    …gravíssimo…

    Doláres na cueca, muuiiiiito mais reprecussão pela mídia

    Coisas do Brasil

     

    • Calma, Assis, muita calma!

      Este caso é outro mais antigo, que deve estar se aproximando da data de prescrição. que é o que acontece com tudo o que pode atrapalhar a dura vida do “andar de cima”.

       

  2. Até o dinheiro é “pulverizado”

    “Investigadores suspeitam que parte do valor declarado na negociação com o time uruguaio voltou irregularmente ao Brasil e teria sido pulverizado em contas de empresas ligadas à Perrella e ao irmão dele”

    Por causa da frase acima, a irmã do Aecim talvez tivesse silenciado o processo, em 2011. Paranoia com pó!

     

  3. Duas coisas muito cômicas na

    Duas coisas muito cômicas na notícia:

    1- A resalva de que o Pórrela é INOCENTE no caso do transporte da cocaína no seu helicóptero abastecido com dinheiro público, pilotado por seu funcionário pago com o dinheiro público.

    2- Advogados do clube supostamente lesado são também seus advogados. 

    • Clube?

      Os advogados são de “cartolas” do Clube, não do Clube propriamente dito. Eles participam dos ganhos (quando o Clube perde).

      Os Clubes estão todos endividados, com pendencias no INSS, etc.

  4. Uai sô, mas eu já ouvi mais

    Uai sô, mas eu já ouvi mais de mil e quatrocentas vezes aqui na rádia Itatiaia, a rádia de Minas, na Grôbo Minas, qui é a tevê dos minêro, qui u Zezé é inocente?! Quê qui esse Janô tá quereno, fazê bagunça cus puliticu ônesto e inocente de Minas?

  5. A investigação se arrasta

    A investigação se arrasta desde 2011. Desde então, silêncio completo da mídia.

    Até agora a PF não sabe de quem é a cocaína, então como pôde afirmar, tão rapidamente, que os Perrela são inocentes no caso?E o domínio do fato só se aplica a petistas? Qque justiça seletiva é esta?

  6. Família Perrela anuncia a

    Família Perrela anuncia a compra de helicópteros suecos

    Piauí Herald

    19/12/2013 15:03 | Categoria: Internacional

       

      Aécio Neves criticou a compra de caças. “Há aviões suecos muito melhores”, afirmou

    ESTOCOLMO – De olho no saldão de fim de ano promovido pela empresa que vendeu caças para o governo brasileiro, Zezé Perrela anunciou a compra de 3 helicópteros suecos. “Um para cada gol sofrido pelo Galo. Pedimos para entregar as aeronaves na av. Raja”, disse o ex-presidente do Cruzeiro.

    Os helicópteros foram prontamente interceptados pela Polícia Federal, quando se verificou que transportavam meia tonelada de neve escandinava produzida na Colômbia. “Devido à velocidade da aeronave, não houve tempo de derreter o gelo. O piloto veio rápido demais, a culpa é dele”, defendeu-se Perrela.

    Por ter pago à vista, Perrela levou de brinde 3 teco-tecos. 

     

     

  7. Eu estou com saudades do

    Eu estou com saudades do Burburinho , só ele para me informar de quem era a fazenda.

    • Pois é.  Não se sabe ainda de

      Pois é.  Não se sabe ainda de quem é a fazenda

      porque no Espírito Santo não tem mais jornalistas.

      Isso aquí virou uma ampla praia de focas imberbes.

      Os que tinham dois neurônios morreram ou se

      aposentaram corados de vergonha> Os que ocuparam

      as vagas adoram exibir crachás e acham ótimas as

      coisas como estão. “Não tão nem aí” como se costuma

      dizer.

  8. A 1ª coisa que o inocente faz

    A 1ª coisa que o inocente faz é oferecer seu sigilo bancário. Lutar com unhas e dentes para impedir isso já é bem suspeito. De quê argumentos terá se valido ele para convencer um juiz a impedi-lo ? Isso deveria ser mais automático: assim que é lançada suspeita, abre-se o sigilo bancário, de toda movimentação local e internacional do dinheiro. Afinal, a quem atende essa funesta instituição _ sigilo bancário ?

  9. Parece  que  Janot nessa não

    Parece  que  Janot nessa não quer se pautar pelo PiG . Perrela caiu na esparrela da cocaína além de outros feitos não elogiáveis 

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome