Incêndios na Amazônia sobem 8% no mês de julho, segundo Inpe

Região contabilizou 5.373 focos de queimadas no início do verão amazônico; total no ano subiu 14% em relação a 2021

Foto: Ivan Canabrava/Illuminati Filmes/IPAM

Os focos de incêndio registrados na Amazônia avançaram 8% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 5.373 pontos de queimada da floresta, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Ao longo deste ano, o número de queimadas na região amazônica aumentou 14% em relação aos primeiros sete meses do ano passado. Os dados também ficaram pouco acima do visto em 2019 (5.318) e abaixo de 2020 (6.803), em um mês que marca o início da estação seca na região.

Apenas no primeiro semestre deste ano, o Inpe registrou a destruição de 3.988 km² – o nível mais alto para o período desde que os dados começaram a ser compilados, em 2015.

Na análise por estados, os principais pontos de incêndio foram registrados no Pará (31,3%), no Amazonas (26,6%) e em Mato Grosso (22,3%).

Com informações da Folha de São Paulo

Leia Também

As fontes de financiamento das cidades na Amazônia, por Bruno Soeiro Vieira

Deputados de Mato Grosso aprovam lei que fragiliza proteção ao Pantanal

Novo coordenador de indígenas isolados da Funai boicotou provas para registro de povo no Pará

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador