Reconhecendo desconhecer dados, Mourão pede explicações ao Inpe

O general disse que desconhecia que os dados sobre queimadas e desmatamento são públicos e qualquer pessoa pode acessar. No dia anterior afirmou que alguém no Inpe faria oposição ao governo de Jair Bolsonaro

Jornal GGN – O general vice-presidente Hamilton Mourão fez duras e sérias críticas aos dados noticiados sobre queimadas fornecidos pelo Inpe para toda a imprensa. Mourão acusou presença de ‘inimigos’ dentro do Instituto. A declaração não pegou bem.

Informado posteriormente sobre a competência do Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, aliás com reconhecimento internacional, o vice-presidente reformulou seu discurso, em partes.

O general disse que desconhecia que os dados sobre queimadas e desmatamento são públicos e qualquer pessoa pode acessar. No dia anterior afirmou que alguém no Inpe faria oposição ao governo de Jair Bolsonaro e só divulga dados negativos sobre queimadas. Não explicou em que sentido uma queimada teria lado positivo.

“É o seguinte: eu também desconhecia isso — os dados estão em fonte aberta. Isso aí faz parte da transparência. Então, qualquer um de vocês que for no site lá do Inpe vai pegar o dado que está lá”, afirmou o vice após reunião com o diretor do instituto, Darcton Policarpo Damião, no gabinete da Vice-Presidência.

Então, agora ciente e há tempos presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Mourão pediu ao diretor do Instituto um relatório qualitativo desses dados.

Disse, Mourão, que a ele não interessa o dado quantitativo, não precisa saber quantos focos de queimadas ou quantos quilômetros desmatados. Disse que precisa de uma análise de inteligência.

O general disse que na análise quantitativa os dados abertos não devem entrar por se tratar de uma informação de inteligência a ser utilizada para combater os crimes ambientais. E quer dados que o habilitem a fornecer dados da situação da Amazônia para a comunidade internacional e imprensa.

No fim da fala, o general diz que esses dados são para responder à comunidade internacional, mostrar a realidade para não ficar ‘aquela característica de que é algo totalmente descontrolado’.

Mourão pediu ao diretor do Inpe que no sistema do instituto constem os números e o que cada dado disponível significa.  “Eu conversei com ele [para] que o Inpe coloque explicações sobre o que é o foco, o que é ‘pixel’ para que o camarada leigo que for pegar aquilo. Não vai mexer em nada. Isso tem que ficar muito claro. É só explicar o que é cada um”, disse ele.

Por fim, Mourão declarou que não deseja esconder os dados ou modificar a forma de divulgação. Que tudo tem que ser mostrado, bom ou ruim. Disse que sua responsabilidade é mostrar a realidade para a população mas que não vai perder de vista a honra, a lealdade e a honestidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora