Ricardo Salles: ‘questões ideológicas’ favoreceram queimadas no Pantanal

Ministro do Meio Ambiente atribui perseguição à criação de gado como fator de descontrole, embora reconheça que “há muito fogo” na região

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente. Foto: Reprodução/Lula Marques

Jornal GGN – O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, reconheceu que as queimadas existentes no Pantanal são “importantes” e que há “muito fogo” na região, mas declarou que o descontrole na região se deu por conta de “questões ideológicas”.

Entre os fatores listados pelo ministro, está a perseguição aos criadores de gado na região. Para ele, se houvesse mais boi na região, eles comeriam a “massa orgânica” (folhagens e pastos) que acabam servindo como combustível para as queimadas.

“Existe uma medida chamada fogo frio, que é queimar propositalmente, de maneira controlada, para diminuir a quantidade de massa orgânica. Isso evita que o fogo no período de seca venha com força”, disse ele em entrevista ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), segundo informações da CNN Brasil. “Por diversas questões, inclusive ideológicas, esse manejo não foi feito nos últimos dois anos”, disse.

No caso dos incêndios na Amazônia, Salles citou as questões sazonais e que, embora a região tenha sido “deixada para trás nos últimos 20, 30 anos pelos governos de esquerda, 84% da floresta está preservada em sua condição primária”.

 

Leia Também
Salles gasta menos de 1% de recursos livres do Ministério do Meio Ambiente
Fumaça de queimadas se aproxima do Sul e Sudeste
‘Passando a boiada’: Brasil caminha em direção a um colapso ambiental?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ofensivas de Salles fazem parte de estratégia para Bolsonaro trocar Ramos

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome