Henry Sobel, sempre presente!, por Laurindo Lalo Leal Filho

Deixa um exemplo de vida, tão importante nestes dias sombrios.

Henry Sobel, sempre presente!

por Laurindo Lalo Leal Filho

Justíssimas as lembranças da coragem do rabino Henry Sobel que acaba de nos deixar.

Lembro dele enfrentando a polícia da ditadura e os religiosos judaicos no enterro do Vlado.
Impediu que o corpo do jornalista fosse enterrado junto aos muros do cemitério reservados, pelo rito religioso, aos suicidas.

A versão do suicídio era uma farsa grotesca para esconder o assassinato cometido por militares do Doi-Codi de São Paulo, comandado pelo facínora Brilhante Ustra, ídolo do atual presidente da República.

Uma semana depois Sobel, ao lado de Dom Paulo Evaristo Arns e do reverendo Jaime Wright, desafiavam mais uma vez a ditadura e realizavam um ato ecumênico em memória do Vlado para milhares de pessoas na Catedral da Sé.

Antes de tudo isso, Sobel ao chegar dos Estados Unidos para liderar a Congregação Israelita Paulista, a CIP, renovou os ares da entidade animando jovens judeus com seu vigor, entusiasmo e espírito progressista.

Deixa um exemplo de vida, tão importante nestes dias sombrios.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Beatriz Nascimento e a visibilidade acadêmica para a temática étnico-racial

4 comentários

  1. Dias somb60@os foram naquela época. Hoje há a democracia( mesmo que capenga) para nos possibilitar as escolhas dentro das regras do jogo. Menos mal.

    1
    1
  2. Um Homem que por sua coragem e suas convicções políticas, religiosas e pessoais enfrentou muitos percalços. Inclusive com a Comunidade Judaica. Seu afastamento da sua Comunidade e do ‘seu país’ deixou isto muito claro. Marcou seu Nome grandiosamente na História Brasileira. Merecedor de todas homenagens.

    2
    1
  3. O Adailton claro, não sabe diferenciar ditadura de democracia. Não sabe o que é perseguição, não sabe o que é tortura, não sabe o que é prisão. Ainda bem que o Adailton não sabe nada disso!

  4. O Adailton não sabe a diferenciar democracia de ditadura. Não sabe o que é perseguição, não sabe o que é prisão, não sabe o que é tortura. Ainda bem que o Adailton não viveu esse tempo!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome