A diáspora croata

Por Marina Araujo

Olá, sou brasileira e moro na Croácia. Escrevo um blog onde conto muitas coisas daqui e mostro algumas fotos…

O endereco é: www.madhumita.net

Abaixo, um texto que trata da diáspora croata e a imigracao croata para o Chile.

http://madhumita2.wordpress.com/2011/02/09/a-diaspora-dos-croatas/ 

Sejam todos bem-vindos!

Marina

Do Blog Na Hrvatska… 

A diáspora dos Croatas

 

Uma coisa que me chamou muita atenção aqui na Croácia, foi o fato de eu conhecer um número considerável de pessoas que conhecem alguém ou tem algum parente ou amigo croata, que mora no Chile.  Estando  curiosa com o assunto,  fui pesquisar um pouco sobre a imigração dos croatas no Chile; que para minha surpresa,  é maior do que eu esperava!

Um grande número de croatas foi forçado através dos tempos por razões econômicas ou políticas, a deixar sua terra natal tradicional. Dessa forma, existe hoje uma grande diáspora croata além dos limites de sua tradicional terra natal nos Bálcãs.

OnumO número de descendentes croatas no Chile, é estimado em torno 380.000 pessoas, o equivalente a 2,4% da população chilena. No entanto, outras fontes dizem que 4,6% da população do Chile pode ter alguma ascendência croata. Além disso, existem mais de 700.000 chilenos de origem britânica (Inglaterra, País de Gales e Escócia),  que correspondem a 4,5% da população.

A emigração croata, é uma das maiores e mais importantes emigrações européias do Chile. Estima-se que o Chile sería o segundo país no mundo, com maior número de descendentes croatas depois da Bósnia.

Os primeiros imigrantes, provenientes da região da Dalmácia, chegaram em meados do sec XIXescapando de guerras ou simplesmente por pestes ocorridas nas ilhas do Mar Adriático. As maiores concentrações de croatas, se encontram em Antofagasta e Punta Arenas, mas também existe uma grande concentração em Santiago, devido a muitos descendentes de imigrantes, que posteriormente se mudaram para lá.

Arturo Živović, é  considerado o primeiro croata registrado no Chile. Ele chegou no século XVII como enfermeiro em um barco pirata inglês, de “sir Francis Drake“. Apaixonado por uma jovem chilena, haveria abandonado aos piratas e permaneceu em terra firme chilena. Em meados do sec XIX três marinheiros croatas vindos do litoral dálmata, Ante Letić, Ante Župičić e Stipe Kosta, foram contratados  pela Marinha do Chile, e foram designados a Magallanes,subindo as águas de “Estrecjo de Magallanes” em missão de abastecimento do forte Bulnes, erguido em outubro de 1843.

No começo de “Punta Arenas“, os imigrantes croatas se dedicaram a trabalhar em fazendas ou na exploracão de ouro, que se encontrava principalmente em “Cañón Baquedano” . No norte do Chile, os croatas se dedicaram a exploração de nitro.

Diversas instituições criadas pelos imigrantes croatas, persistiram ao longo dos tempos, como: clubes, estádios, ginásios, escolas, instituições beneficentes, entre outros. As cidades de Punta Arenas e Antofagasta são cidades irmãs da cidade de Split, na Dalmacia.De acordo com Ivo Borić é possível dividir a história da inmigracao croata no Chile em quatro períodos:

O primeiro, de 1864 a 1890, caracterizado por um escasso volume de imigração.

O segundo, no fim do século XIX até a Primera Guerra Mundial, correspondente ao periodo de emigração massiva.

O terceiro foi o período entre guerras (1920 a 1939), no qual se diminuiu o volume de imigrantes.

O quarto (1946 a 1956) correspondente ao período em que a imigração decai novamente, e somente um pequeno grupo de croatas  se estabelece no Chile. Entre os anos 1864-1956  estima-se que chegaram ao Chile, cerca de 58.000 croatas.

(o texto acima, foi extraído da wikipédia, e traduzido do espanhol para o português).  http://es.wikipedia.org/wiki/Inmigraci%C3%B3n_croata_en_Chile

A primeira grande emigração de croatas ocorreu nos séculos XV e XVI, no início das conquistas otomanas das regiões onde hoje estão Croácia e Bósnia e Herzegovina. A população fugiu para áreas seguras no que hoje é a Croácia e para outras áreas do império dos Habsburgos (atuais Áustria e Hungria). Esta migração resultou nas comunidades croatas na Áustria e Hungria.

Os croatas (croataHrvati) são um povo eslavo do sul habitando principalmente a CroáciaBósnia e Herzegovina e países vizinhos. Há cerca de 4,6 milhões de croatas vivendo na região dos Bálcãs, enquanto estima-se um total de 9 milhões em todo o mundo. Devido a razões políticas, sociais e econômicas, muitos croatas migraram para várias partes do mundo, estabelecendo uma notável diáspora croata. Grandes comunidades croatas existem em vários países, incluindo Estados UnidosAustráliaAlemanhaChileBrasilNova Zelândia e África do Sul. Os croatas são conhecidos por sua cultura única que, através dos tempos, tem sido de diversas maneiras influenciada pelo Orientee pelo Ocidente. Os croatas são predominantemente católicos e sua língua é o croata.

No final do século XIX e começo do século XX, muitos croatas emigraram, particularmente por razões econômicas, para destinos além-mar, que incluiram as Américas do Norte e do Sul (sobretudo para Chile e Argentina),Austrália e Nova Zelândia.

Uma grande onda de emigração posterior, desta vez por razões políticas, começou imediatamente após o fim da Segunda Guerra Mundial. Eles fugiram do regime Ustaša e depois do regime comunista. Estima-se que durante e logo depois da Segunda Guerra (de 1939 a 1948) cerca de 250.000 croatas tenham deixado o país.

Na segunda metade do século XX vários croatas, em grande parte devido às dificuldades econômicas e condição de vida, deixaram o país como trabalhadores imigrantes principalmente para a AlemanhaÁustria e Suíça. Além disso, alguns emigraram por razões políticas. Esta emigração diminuiu o desemprego da Iugoslávia comunista naquela época e criou ao mesmo tempo, pelo envio de dinheiro pelos imigrantes para suas famílias, uma grande fonte de renda exterior.

A última grande onda de emigração croata ocorreu durante e depois das guerras iugoslavas, quando muitas pessoas da região (não apenas croatas, mas também sérvios, bósnios e outros) fugiram como refugiados. As comunidades migrantes que já estavam estabelecidas em países como Austrália, Estados Unidos e Alemanha cresceram como resultado.

No exterior, os cálculos são apenas aproximados por causa dos registros estatísticos incompletos e naturalizações, mas estimativas (elevadas) sugerem que a diáspora croata equivale entre um terço[22] e a metade[2] do número total de croatas. Os maiores grupos emigrantes estão na Europa ocidental, principalmente na Alemanha, onde se estima que haja cerca de 450.000 pessoas com ancestralidade direta croata.

Além-mar, os Estados Unidos possuem o maior grupo croata emigrante (544.270 no censo de 1990; 374.271 no censo de 2000, principalmente em Ohio, Pensilvânia, Illinois e Califórnia), seguidos pela Austrália (105.747, de acordo com o censo de 2001, com concentrações em Sydney, Melbourne e Perth) e pelo Canadá (sul de Ontário, Colúmbia Britânica e Alberta). Os croatas também emigraram em várias ondas para a América do Sul, principalmente para Argentina, Chile e Brasil; as estimativas para a América do Sul variam muito.[23][24] Há também pequenos grupos no BolíviaNova Zelândia e África do Sul. As mais importantes organizações da diáspora croata são a União Fraternal Croata (Hrvatska bratska zajednica), a Fundação da Herança Croata (Hrvatska matica isljenika) e o Congresso Mundial Croata.

Estas são as informações que obtive. Agora, quero saber sobre os croatas que vivem no Brasil, e espero em breve escrever um post sobre isso. Me faltam fontes para encontrá-los, já tentei fazer isso quando estava no Brasil no mês passado, mas não conseguí descobrir muita coisa… aceito dicas!! hehe 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora