Mídia hegemônica se arma contra reeleição de Dilma

Jornal GGN – Mesmo com o crescimento registrado pelo Datafolha da diferença entre Dilma Rousseff e Marina Silva (em favor da petista), a Bolsa de Valores sofreu forte especulação na sexta-feira (26) graças ao boatos de que a Veja desta semana traria trechos comprometedores do depoimento do doleiro Alberto Yousseff. A falta de indignação diante da quebra de sigilo do depoimento de Paulo Roberto Costa credencia a mídia para novas e impunes especulações. Não que sejam necessárias provas para sustentar quaisquer acusações.

Enviado por Assis Ribeiro

Não tem mais pesquisa que dê jeito. Banditismo mídio-policial é a última arma da direita

Por Fernando Brito

Do Tijolaço

Embora todos soubessem que o Datafolha não poderia ter outro resultado senão o crescimento da diferença entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a tarde de hoje foi marcada por uma intensa especulação na Bolsa.

O motivo? Os boatos de que a Veja trará, amanhã, trechos bombásticos de um suposto depoimento do doleiro Alberto Yousseff que, em troca de um (na prática) perdão judicial distribuiria as mais pesadas acusações contra políticos e autoridades.

Ricardo Noblat, que se tornou um dos mais “ofendidos” viúvos de Marina Silva já adianta a podridão em seu blog. Depois tirou a nota. Mas vários sites “ameaçam” com um novo e rocambolesco escândalo como “ultima ratio” para evitar aquilo que até  Marcos Paulino, diretor do Datafolha, admitiu ser possível: Dilma liquidar a eleição no primeiro turno.

Chegamos a um “vale-tudo” que envergonha qualquer sentido de Justiça, porque qualquer coisa que se publique – a não ser que seja apenas banditismo jornalistico, simples invenção – será pior, porque banditismo policial e judiciário, com o vazamento seletivo de acusações que, até o momento, nada têm de sólido senão a palavra de um criminoso e olhe lá que ele tenha dito de fato o que se publica.

É simples: se a revista Veja quiser dizer que Alberto Yousseff  me acusa de ter recebido um milhão de dólares para aprovar qualquer coisa enquanto estive no Governo, dirá e pronto, muito embora o amigo aqui não saiba o que é um milhão, o que dirá de dólares.

E não pode sequer se defender poque é o “dizem que ele teria dito”…

Mas se a revista não estiver, pura e simplesmente, inventando, tudo é pior.

Formou-se uma inegável cumplicidade desde o caso dos supostos depoimentos de Paulo Roberto Costa.

Não se viu nem o Juiz Sérgio Moro, responsável pelo processo, nem os promotores, nem os delegados federais manifestarem qualquer indignação com a quebra do sigilo pelo qual eram os responsáveis e que, rompido, pode ter ajudado até a eventuais envolvidos a destruir provas.

Agora, repetir-se esta parceria quadrilhesca entre a Veja e os policiais federais ou promotores públicos que decidem o que e a quem vazar informações que têm a subscrevê-las só a palavra de um criminoso desesperado.

Pior, porque embora meia-dúzia de pilantras pudessem aquadrilhar-se com um doleiro já preso, processado e “delator premiado” no caso do Banestado, qualquer finório de alto coturno ia se servir de gente menos exposta que Yousseff, que tinha um neon piscando “doleiro” na testa que só um energúmeno como André Vargas pode dizer que não sabia”.

Estamos assistindo o impensável: os agentes da Polícia Federal, publicamente, dando apoio à candidata de oposição, em troca de melhorias funcionais e os delegados federais a ponto de fazer um “eleição” para impor – não de direito, mas de fato – um diretor da Polícia Federal de sua preferência.

Normal? Alguém poderia imaginar os agentes do FBI americano engajados na campanha eleitoral, fazendo discursos em atos políticos?

Quem sabe fazemos o mesmo com as polícias estaduais ou até com as guardas municipais?

É o resultado de ter-se um ministro (assim mesmo, sem maíúscula) como José Eduardo Cardozo.

No século 20 tínhamos as conspirações militares a ameaçar a democracia. Agora, baixamos de nível: basta meia dúzia de policiais para desestabilizar um Governo.

Mas, afinal, se até treinar tiro ao alvo na presidenta eleita pode, esperar o que, não é?

O que salva o povo brasileiro é a sua lucidez em perceber que não temos, em muitos dos grandes veículos de comunicação, uma imprensa.

Temos lixo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

19 comentários

  1. Marina Silva, FHC de saias longas e mídia

    A maior parte da grande mídia é de direita e defende o neoliberalismo econômico, mas precisa de representantes nos partidos políticos para impor suas vontades, e defender seus ideais.

    Hoje Marina Silva percorre o mesmo caminho e com os mesmos objetivos, que FHC percorreu em 1994, com a aliança PSDB/PFL, abandonando a social-democracia e adotando do neoliberalismo para obter, não só um maior espaço, mas principalmente o apoio da maior parte da grande mídia.

    Do mesmo modo que FHC em 1994, Marina Silva, abandona o discurso de esquerda e busca no neoliberalismo econômico conquistar maior espaço e apoio na grande mídia, o representa um grande perigo para o PSDB continuar na liderança da oposição,

  2. brasilsil de cabeça prá baixo

    Assis,

    É triste saber que o brasileiro ainda não conseguiu ( e pelo tempo que já passou, nem conseguirá) aprender que uma eleição de verdade deve ser decidida na urna, e não num vale-tudo que possa levar este ou aquele ao trono.

    Através de seu sindicato, os funcionários da Anatel resolveram se lembrar, a dez dias do pleito, que o governo fez isto ou aquilo que eles discordam, e uma pergunta, aquela turma falou sobre o assunto com o seu diretor ? Se não o fizeram, o tal diretor ficou calado diante da visível insubordinação?

    Na PF é a mesma coisa, o líder de uma das seitas resolveu, sabe-se lá o motivo, que precisa detonar o governante atual ( e aqui, pouco importa quem ele seja ). A revista-lixo tem, realmente, gente desta PF com quem mantém relação espúria, documentos vazam na cara de um Ministro da Justiça que não passa de um ruminante. Agora, esta turma que deveria ser objeto de inquérito administrativo também quer escolher o tipo de serviço que deve ser executado pela PF, ou seja, é uma completa baderna.

    E o projeto de ministro assiste calado a todo este festival de notórias irregularidades.

    Trecho de texto  publicado no Blog da Cidadania,

    “O Ministério da Justiça permite que funcione na Polícia Federal um conclave de agentes e delegados que, segundo as informações obtidas, tem pessoas com “grande influência” junto ao diretor-geral da instituição, Leandro Daiello Coimbra, e que anuncia, abertamente, que pretende “tirar o PT do poder”.

    Segundo a minha fonte, o recente “vazamento” de “convites” da PF a Lula para depor teria sido produto de ações desse grupo “antipetista” da Polícia Federal. Os agentes procuraram Folha de São Paulo e Estadão simultaneamente e passaram a “informação” de que “há 7 meses” tentam “ouvir” o ex-presidente.

    Mas não é só. Esses policiais estão vasculhando a vida de expoentes do PT e desencadearam uma busca frenética por qualquer dossiê, por qualquer denúncia que possam usar no segundo turno para tentar impedir a reeleição de Dilma Rousseff.

    A atuação desse grupo, inclusive, não é um segredo tão bem guardado. Minha fonte afirma que a campanha de Dilma sabe de sua existência, o ministro da Justiça sabe, o diretor-geral da PF sabe. E ninguém faz nada, apesar de ser ilegal uma instituição como essa ter grupos promovendo atuação político-ideológico-partidária.

    O que não se sabe, o que não se compreende, o que é difícil de aceitar é que dinheiro público seja usado para financiar perseguições políticas por setores de uma Polícia que NÃO PODE – ou não deveria poder – usar critérios políticos ou ideológicos em seu trabalho.

    O governo do PT dar liberdade a órgãos de controle, é compreensível e até desejável. Contudo, permitir aparelhamento político e ideológico da PF – e ainda contra o próprio governo e o partido do governo -, é absurdo. Esse fato precisa ser apurado. Já.”

    • Excelente, Alfredo.
      É um

      Excelente, Alfredo.

      É um governo, é um ministro que tem medo do que a imprensa e a oposição vvão falar se tomarem alguma atitude. Ee todos sabe o que vai ser dito; a velha inversão: que O governo está aparelhando e perseguindo adversários que estão trabalhando; que isso é stalinismo, bolchevismo, cuba, fidel, chaves…

      Enfim, é um governo que fica nas cordas – e teima em não sair – à espera do gongo.

  3. E o jornalista? Continua preso!

    Quem sabe fazemos o mesmo com as polícias estaduais ou até com as guardas municipais?

    Reforçando e reafirmando o que você disse basta lembrar o caso do Jornalista Marco Aurélio Carone que continua preso pela polícia e judiciário de Minas Gerais a mando da canalha da Andrea Neves, a irmã fanchona do mauricinho cheirador filhinho de papai Aécio Neves.

    No Brasil o judiciário e a polícia não servem para fazer justiça, servem somente para perseguir quem quer melhorar o mundo blindar todos estes bosticas da elite TFP de Minas Gerais e São Paulo, afinal MG nada mais é senão o cachorrinho mascote do skinhead paulista! 

  4. A partir de hoje até sábado

    A partir de hoje até sábado próximo exporei escalonadamente o que espero que ocorra no mandato da candidata que darei meu voto, no caso a presidente Dilma Roussef, de acordo com o tema explorado no post, 

    O sob comento, por exemplo, levanta uma questão seríssima, qual seja, um inaceitável, porque ilegal, esforço de agentes públicos para  solapar a autoridade que deveria incontestável da presidente da República. E esse processo vem de longe. Desde o segundo governo Lula, a partir daquela famosa foto do dinheiro para comprar um suposto dossiê, que se levantam suspeitas acerca da parcialidade de parte do corpo do Departamento de Polícia Federal.

    Por conta desse protagonismo político da corrupção, alçada à excelsa condição de mãe de todos os males do país, decerto uma confração, inicou-se quase que uma sacralização de dois órgãos responsáveis pelo combate a mesma, no caso a Polícia Federal e o Ministério Público. Pelo menos com relação à primeira constata-se a aplicação do desabafo que o General Golbery do Couto e Silva fez com relação ao já extinto SNI: “criei um MONSTRO”.

    Com relação ao DPF, esse “monstro” se revela na nítida polarização político-partidária que hoje visceja em seus quadros. Fora à parte a quebra da disciplina e hierarquia, por si só uma disfunção gravíssima, é preocupante qualquer suspeição sobre uma instituição com o status de polícia judiciária e tão crucial para o combate de crimes na esfera federal, em especial o tráfico de entorpecentes.

    Para ficar claro: a correlação entre o extinto SNI e o DPF se dá apenas nesse aspecto relativo ao descontrole funcional. O primeiro face a tipicidade de um regime autoritário. Já para o segundo, em função da tibieza dos governos petistas em tolher essa cizânia de cunho partidário que se instalou no seu seio, talvez com receio de ser acusado de interferir nos trabalhos do órgão no tangente aos crimes de corrupção. 

    Assim, espero que a presidente reeleita inicie um processo de readequação do DPF, a começar pela escolha de um ministro da Justiça duro, disciplinador e que faça valer de fato e de direito um princípio crucial na administração pública: o da autoridade. Sem esquecer, é claro, de prestigiar uma instituição, repito, estratégica para o país, através de melhorias na área operacional(equipamentos modernos) e pessoal(salários e benefícios).  

  5. O midia está desesperada e em

    O midia está desesperada e em sp é questão de sobrevivencia, se os tucanos saem os jornalecos somem por que a venda descarada de assinaturas e a berba vai minguar, vão para o mma eleitoral, serão dias dificeis de choro e ranger de dentes, o PT tem que continuar com a mesma tatica: mostrar para o povo a cara verdadeira dessa turma que está por tras de marina e aecio, e se Deus for brasileiro ficarão bem longe, do governo, do pre-sal, do bc, do orçamento por muito tempo; esse gianetti por exemplo ninguem merece, para ele uma pessoa se resume em numeros, não tem pai mãe filhos, e tem outro que acha que o emprego está alto demais e que o desemprego deveria ser maior, deveriam começar dsempregando por ele e a familia dele..

  6. Nassif
    Vai ter debates no pig

    Nassif

    Vai ter debates no pig nesta semana; ótima oportunidade para a Sra. Dilma expor toda esta conspiração da mídia venal.

    • Mais ou menos, Mário… acho

      Mais ou menos, Mário… acho que ela nem ganha nem perde, especialmente na Globo, onde o debate deve dar alguma audiência.

      Isto pq Aécio, Pastor, Marina e Eymael vão descer a lenha no PT com mentirass e factóides. Fidelix atira pra todo lado, e a Genro também. O Jorge não interfere em nada…rs.

      E Dilma tem a seu favor dados e fatos e precisa aprender a ser mais concisa e incisiva nas respostas.

      No final dá empate e acho que não muda nada nas intenções de voto.

    • pergunta muito
      pertinente,

      pergunta muito

      pertinente, sérgio.
      a mesma pergunta que faço há muito tempo.

      se é sigilosa, que ignifica que

      está em segredo de justiça, que josta 

      de depoimento secreto é este?

      ninguém pune os que ferem a lei?

  7. Bancas escondem alternativa e escancaram Veja

    O que todos sabemos, mas a amostra de hoje foi demais (e não foi a única banca que vi fazer isto): na principal e enorme banca de revista do bairro de Boa Viagem, zona sul de Recife, pertinho da pracinha e da igreja, e meia quadra de um grande supermercado 24 horas, a banca expõe Veja quase na cara de quem entra (a banca é grande). Uma outra revista que tem linha editorial distinta, Carta Capital, fica quase escondida, fora da visão de quem entra e quase se perde entre muitíssimas publicações. Perguntei por que ele arrumava, distribuía daquela maneira, quando o lógico, pensava eu, seria por revistas semanais concorrentes lado a lado. O dono responde que os fregueses já sabem. Volto a perguntar por pessoas que não sejam freguesas, e que entrassem pela primeira vez na banca, ou que não fossem tão fixos fregueses. Ele responde que está bem assim, que os fregueses sabem (me dando a entender que era assim e assim está feito, que lhe bastava). Quem quiser o nome da banca de revista e jornais, telefone e endereço, tenho o cartão, que pedi, e divulgo aqui (se o blog não tiver objeção). Certamente a direção da CC sabe dessas coisas. Ou é propina de distribuidora, ou diretamente da tal revista, ou é por público que não a conhece (e continuará satisfeito, sem conhecer outros pontos de vista), ou pode ser também pela mentalidade ou pela burrice desses donos de bancas. Ou porque seu público considera a revista escancarada como a de melhor jornalismo investigativo, de maior senso crítico, de maior conteúdo informativo e de opinião. Jà vi banca que nem na prateleira colocava a CC. Só sabia quem perguntava à pessoa que atendia a banca, em bairro de classe média a média alta metida a besta – que é o que sobra em Recife.

  8. Muitos incautos………………

    “O que salva o povo brasileiro é a sua lucidez em perceber que não temos, em muitos dos grandes veículos de comunicação, uma imprensa.

    Temos lixo.”  (Assis Ribeiro)

    Declino em comnetar sobre esta mídia amestrada, pelo simples fato de que, não me surpreendem, há muito !!!

    Quanto a esperar outro comportamento dela, sugiro aos blogueiros que desistam, mas continuem fazendo o contraponto, pois há muitos incautos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  9. Passou da hora…

    dos blogueiros sujos escreverem um livro, via financioamento coletivo, sobre a Veja. Mas um livro denso, com no mínimo 500 páginas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome