“Na Sala de Visitas” aborda política econômica de Temer e partidarismo do judiciário

Controle ideológico da economia, queda de Dilma e música brasileira caipira – Acompanhe a partir de agora nova edição do programa “Na Sala de Visitas com Luis Nassif”
https://www.youtube.com/watch?v=FnBXW5jK54g width:700 height:394
 
Jornal GGN – Nesta nova edição do programa “Na Sala de Visitas”, Luis Nassif entrevista Pedro Rossi, professor doutor do Instituto de Economia da Unicamp e autor do livro “Taxa de Câmbio e Política Cambial no Brasil”, recém lançado em São Paulo pela FGV Editora. 
 
Rossi explica quem controla o câmbio no mundo, fala do jogo ideológico no controle dessa taxa e, ainda, faz uma análise da política econômica de Temer, especialmente do chamado “nominalismo”, que é o estabelecimento de um teto para as despesas públicas, onde os gastos do Estado passarão a crescer igual ou menor que a inflação. Cálculos realizados pelo professor revelam que em 20 anos, com a implantação do nominalismo, os custos do Estado brasileiro vão reduzir de 18% para 12,5%. O principal gasto será com a Previdência, em torno de 8%, portanto sobrará apenas 4,5% do orçamento do governo federal para os demais gastos, incluindo saúde, educação, judiciário e forças armadas. 
 
Em seguida Nassif conversa com Lenio Streck, advogado, ex-procurador de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul e professor na Universidade do Vale do Rio dos Sinos. O filósofo do direito fala sobre as garantias processuais constitucionais que vem sendo desrespeitadas nos procedimentos da Lava Jato e o partidarismo do judiciário.  
 
Por fim, o Sala de Visitas recebe dois monstros da música brasileira, Renato Brasil e Breno Ruiz, hoje na vanguarda do renascimento da música brasileira. 
 
 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Guedes diz que se depender do governo, auxílio emergencial não será prorrogado

8 comentários

  1. clap, clap, clap

    Nossa, como ficou linda essa 6a. edição!

    Primeiro a sagacidade e a criatividade de Pedro Rossi mostrando as possibilidades de administração do câmbio, revelando as jogadas do poder geopolítico mundial e como isso nos afeta… de fato o golpe não poderia ter acontecido.

    Em seguida, a experiência e a clareza profunda de Lênio Streck comentando o risco a que estamos expostos pela substituição das instituições por ilegalidades flagrantes. É realmente apavorante perceber a convalidação que o STF e a PGR estão conferindo às ilegalidades de Curitiba. Aqui me ocorreu uma questão: quem e como, na opinião de Lênio Streck, é possível, senão interromper o processo de esfacelamento da CF, abreviar a chegada de novo e mais firme ordenamento jurídico no Brasil?

    Por fim mas, na minha opinião, nem de longe a parte menos importante, a sensibilidade e a brasilidade de Renato Bras e de Breno Ruiz… melhor ouvir que pensar.

    Parabéns ao editor por tudo mas especialmente pelo toque de mestre: o ligeiríssimo mas emocionante flashback no finalzinho, ainda sob o enlevo dos sons de Ruiz. E parabéns ao Luis Nassif tanto pelo talento em obter o melhor de quem entrevista quanto por nos trazer essas jóias, por nos abrir a sua “Sala de Visitas”, sempre frequentada pelas duas “moças”: Inteligência e Sensibilidade.

  2.  
    Caro Nessif  e colegas

     

    Caro Nessif  e colegas leitores, 

    O bravíssimo Professor Lenio Streck. Sem dúvida o mais brilhante jusfilósofo brasileireo na atualidade.Fazendo muita falta no STF.

  3. Até Dilma ser traída, lembro

    Até Dilma ser traída, lembro que todo dia ao abrir o GGN estavam estampados índices da bolsa e do dólar. Todo dia, diariamente! Sem falta!!!!! E agora, perdeu a graça? Ajudou a criar pressão e agora tá nem aí?

    Pessoalmente este golpe da corja nacional vem com aumento de 70%. 70% para todo o jostissiário. Então nos demos bem… E os filhos? E os parentes aposentados (covardes, é verdade, nenhum foi às manifestações), e meus vizinhos que não são da jostissá nacional? 

     

  4. As duas primeiras entevistas

    As duas primeiras entevistas se complementam , um projeto de desmonte do estado por vinte anos implica no fim de eleiçoes doretas farao isso já ou esperarao ate 2018 ?

  5. Parabéns mais uma vez Nassif

    Parabéns mais uma vez Nassif pelo programa! Ficou excelente!

    Duas palavras: Ciro 2018!

  6. Quanto mais eu ouço os

    Quanto mais eu ouço os especialistas (maioria doutores), mais me convenço que o Ciro tem absoluta precisão no diagnóstico e clareza no combate a essas “doenças”. Pode-se falar do seu “destempero”, mas que ele é o mais preparado para quebrar o dogmas da politica/economina eu não tenho a MENOR dúvida!!! Ciro 2018!!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome