Ricardo Melo rebate presidente da EBC sobre ‘rombo’

Jornal GGN – Ricardo Melo, ex-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), afirma que se sentiu “pessoalmente ofendido” com a fala de Laerte Rímoli, atual presidente da EBC, sobre a “herança maldita” que deixou R$ 94 milhões de rombo.

Em entrevista para o site de Sidney Rezende, Melo conta que foram realizados corte “radicais” em sua gestão, com a renegociação de contratos e até mesmo o fim de programas. “O interventor travestido de presidente pouco sabe da EBC”, critica, dizendo que Rímoli não entende a função da empresa e que ele foi colocado no cargo para transformá-la em porta-voz oficial do governo.

Leia mais abaixo:

Do SRZD

Ex-presidente da EBC Ricardo Melo: ‘Eu me sinto pessoalmente ofendido’

Com uma saída conturbada no dia 9 de setembro deste ano, o ex-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) Ricardo Melo contou ao SRzd que ainda enfrenta problemas com a empresa. “Até o momento ainda não recebi o meu Fundo de Garantia. Sou assalariado e isso tudo é muito constrangedor”.

Nas viagens que fazia a trabalho para São Paulo e Rio de Janeiro, Melo relatou ao portal que abria mão das diárias. Além disso, segundo o ex-presidente, dispensou carro oficial. Tendo feito cortes nas despesas da empresa, Melo se sentiu ofendido com um post publicado no Facebook pelo atual presidente da EBC, Laerte Rímoli, indicado para a função pelo ministro Eliseu Padilha e o presidente Michel Temer.

 
 

Ocorre que, no final da mensagem, no “P.S.” (expressão em latim “post scriptum” , e significa o que vem após o que foi escrito),  Rímoli faz menção ao que chamou de “herança maldita”.

Leia a reprodução na íntegra: “PS: todos, “todos”, os contratos da EBC, com jornalistas, prestadores de serviços, colaboradores, estão sendo revistos. Pegamos a empresa com previsão de R$ 94 milhões de rombo. Cortamos tanto que chegamos a um rombo de R$ 19 milhões. Isto sim uma herança maldita. Como é emblemático, e caro, determinei o fim do famoso “carro preto” do Presidente, que consumia R$ 190 mil/ano”.

Ricardo Melo, ao ler o “desabafo” do atual presidente, se sentiu “pessoalmente ofendido”. E deu suas razões: “não gosto de falar mal de jornalista, mas o que ali foi escrito não é verdade”.

Leia abaixo a entrevista do ex-presidente Ricardo Melo ao SRzd:

Laerte Rímoli afirma: “Pegamos a empresa com previsão de R$ 94 milhões de rombo”. O senhor reconhece esta cifra? A grandeza está correta?

É mentira. Qualquer empresa, quanto mais de comunicação, faz uma previsão de gastos com base nas necessidades de investimento, modernização tecnológica, novos projetos, programas etc. Depois disso, o resultado é confrontado com a previsão de receitas. E à medida que percebemos que não teríamos esse dinheiro, fizemos cortes radicais em todos os planos, incluindo renegociação de contratos – alguns com redução de até 50% -, cancelamento de programas (Observatório da Imprensa, por exemplo), revisão de fornecedores, congelamento do salário da diretoria etc etc. Tudo isso na MINHA gestão.

Cabe ressaltar que a EBC, com base na lei de sua criação, previa o aporte financeiro proveniente de uma parte do Fistel. Ocorre que as operadoras de telefonia entraram com recurso na Justiça e hoje existem mais de 2 bilhões de reais (2 bilhões de reais!) retidos em depósitos por força destes expediente. Fora isso, há mais de 800 milhões apropriados pelo Tesouro indevidamente para cumprir metas de superávit primário. É dinheiro pago pelas operadoras que desistiram de recorrer e que o governo não repassa a quem de direito, a comunicação pública.

Laerte diz administrar uma “herança maldita”. O senhor tem algo a dizer sobre isso?

O interventor travestido de presidente pouco sabe da EBC. A EBC é a materialização de um dispositivo constitucional aprovado pela carta de 1988, que previu a complementaridade entre comunicação privada, estatal e pública (artigo 223). A EBC surgiu para transformar em realidade a comunicação pública, dando voz aos que não têm voz na mídia hegemônica, oligopolista na produção e praticamente monopolista na opinião. Herança maldita é o que vivemos agora, quando políticos de extensa folha corrida no que se refere ao saque desenfreado aos cofres públicos tomaram de assalto o governo e tentam reverter os pequenos avanços sociais conquistados na última década. E não apenas na área de comunicação. Maiores informações podem ser obtidas com a Odebrecht, por exemplo.

Laerte disse ter determinado fim do “famoso carro preto”, que consumia R$ 190 mil/ano. O que significa esta afirmação? O senhor ou membros da sua diretoria utilizavam-se de carros oficiais com gastos desta magnitude?

Mais uma mentira. O corte do tal carro preto foi determinado na MINHA gestão. Basta consultar as atas da reunião da Diretoria Executiva. Estão à disposição do público.

Não é a primeira vez que a atual direção afirma que sua gestão à frente da EBC e seus antecessores foi perdulária. Qual é a sua resposta?

Perdulário é usar cargos públicos para comprar apartamentos na Bahia, contratar amigos como assessores, financiar campanhas com caixa dois, ganhar dinheiro por fora em obras portuárias em Santos, como fez o atual “presidente” da República etc etc. Dispensável elencar todo o prontuário. Basta ler os jornais. Um exemplo mais prático: por decisão do Supremo Tribunal Federal, fui reconduzido à presidência da EBC depois de um ato institucional baixado pelo sr. Temer. Eis que é descoberto que, à sorrelfa, sem o conhecimento da presidência da empresa, mas em conluio com a procuradoria interna, o interventor atual, mesmo sem trabalhar e tendo sido afastado pela Justiça, ficou mais de três meses recebendo salário integral (integral!) às expensas [despesas] da EBC. Enquanto isso, eu, Ricardo Melo, afastado por uma Medida Provisória absolutamente despropositada, ao arrepio da lei e cujo objetivo explícito é transformar a EBC em porta voz governamental – eu, Ricardo Melo, até hoje, decorridos mais de três meses, não consegui nem sequer sacar o meu FGTS. Quem será o perdulário?

*Enviamos à EBC solicitação de posicionamento sobre esta entrevista. Estamos aguardando.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Rede Regional de Notícias: uma agência à disposição do Governo Bolsonaro?, por Tânia Giusti

4 comentários

  1. O que esperar desse pau mandado do eduardo cunha?

    É incrível o mau-caratismo desse laerte rímoli, pau mandado e apaniguado do correntista suíço eduardo cunha; além disso esse sujeito é sabujo dos ex-patrões, os irmãos marinho. A quem esse canalha colocado pelo verme michel temer e sua quadrilha, para destruir a EBC, pensa enganar ou convencer? Pela canalhice que demonstra, laerte rímoli so conseguirá a simpatia de movimentos golpistas como mbl, vem pra rua, revoltados oline e similares; certamente em veículos que fazem jornalismo de esgoto ou em sites como o antagonista laerte rímoli faz sucesso. Canalha esse laerte rímoli.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome