TV Cultura, retrate-se por ataques a Manuela

Jornal GGN – Manuela D’Ávila foi a vítima do programa Roda Viva, não a entrevistada. O comportamento dos inquisidores da pré-candidata à presidência pelo PCdoB foi um festival de bordões conservadores e anticomunistas. E machistas. O programa foi exibido no dia 25 último, e foi acompanhado de centenas de repúdios contra a situação ali exibida.

Manuela foi atacada sem pena, foi interrompida 62 vezes, foi inquirida de forma a não conseguir passar seu recado como pré-candidata por uma malta de entrevistadores que se alinham com a direita. Isso sem contar na representante feminina ali presente, que se defende com inúmeras postagens no twitter tentando defender o indefensável.

Depois do ataque, um grupo de mulheres partiu para a ação criando um abaixo-assinado pedindo a retratação da emissora pelo que fizeram com Manuela D’Ávila. Até o fechamento desta nota o documento contava com mais de 35 mil assinaturas.

O abaixo assinado pode ser endossado clicando aqui.

Leia a seguir o texto do documento.

Roda Viva, TV Cultura: retratação para Manuela D’Ávila

Repudiamos a postura desrespeitosa e machista com que a pré-candidata Manuela D’Ávila foi tratada no programa Roda Viva na TV Cultura. 

Exigimos que a emissora cumpra seu papel de veículo público de comunicação dando espaço para que a pré-candidata exponha de fato suas propostas, marcando uma nova data para um debate real e qualificado, já que ficou impossível no programa exibido na segunda-feira 25, dado o número de interrupções feitas pelos entrevistadores convidados pelo canal e pelo mediador.

A emissora deve também se retratar, pois a reprodução do machismo e do desrespeito à mulher foi propagada em rede nacional pública em uma sociedade com altíssimos índices de violência contra a mulher.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora