Ary Barroso – Interpretações em Piano Solo

 

Neste disco 78 rpm temos o grande Ary Barroso interpretando três composições suas, sem parceiros, em piano solo.

 

Faceira” / “Foi ela” / “Terra de Iaiá” (Ary Barroso) # Solo de piano do autor com acompanhamento. Disco Victor (34.420-B) / Matriz (80.935). Gravação (16/11/1938) / Lançamento (fevereiro/1939).

 

 

Também achei interessante ouvirmos as três composições de Ary Barroso, agora completas, ou seja, letra e música juntas.

 

“Faceira” (Ary Barroso) # Sílvio Caldas com Orquestra. Disco Victor (33.446-A) / Matriz (65158). Gravação (09/06/1931) / Lançamento (julho/1931).

 

 

Ary Barroso compôs esse samba em homenagem ao amigo Sílvio Caldas, que apresentou pela primeira vez, na revista “Brasil do amor”, com o nome de “Gente bamba”. Vale ressaltar, como curiosidade, que este registro é a primeira gravação da RCA-Victor Brasileira.

 

Foi ela” (Ary Barroso) # Francisco Alves com Diabos do Céu. Disco Victor (33.880-A) / Matriz (79738-2). Gravação (16/10/1934) / Lançamento (janeiro/1935).

 

 

Ary Barroso, com este samba, participou do “Concurso Oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro” do ano de 1935, logrando o 2º lugar. Fez parte da revista musical homônima de Freire Júnior e Luís Iglésias, que estreou no Teatro Recreio. Também foi incluída da revista “Da favela ao Catete”. Integrou a trilha sonora do filme “Alô, alô Brasil”, cabendo ao cantor Francisco Alves a interpretação.

 

Terra de Iaiá” (Ary Barroso) # Sílvio Caldas em dueto com Elisa Coelho e Orquestra. Disco Victor (33.463-B) / Matriz (65194). Gravação (14/07/1931) / Lançamento (setembro/1931).

 

 

Este samba foi incluído na peça “É do balacobaco”, revista musical de Marques Porto e Vitor Pujol, cuja estreia ocorreu em 25 de junho de 1931, no Teatro Recreio.

 

______

Agradecimentos especiais ao escritor/pesquisador Miguel Nirez Azevedo pela liberação do fonograma “Terra de Iaiá”.

______

 

************

Fontes:

– Ary Barroso – Brasil Brasileiro / 20 CDs / 316 gravações / 1928/2006, do pesquisador e estudioso da MPB – Omar Jubran. Ano de produção: 2014.

– Banco de Dados do Arquivo Nirez: Fonograma “Terra de Iaiá”.

– Fotomontagem: Laura Macedo.

– Foto Selo/Disco: Eduardo Saragiotto Begnini.

– Site YuoTube / Canais: “SenhorDaVoz”, ‘luciano hortencio”, “N2010R”

************

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. será que o autor tinha ideia

    será que o autor tinha ideia de que sua música teria uma permanencia 

    dgamos, seria eterna – tão fundamental para a cultura brasileira?

    • Ele se esforçou nesse sentido

      Altamiro,

      Acredito que ele se esforçou nesse sentido. É tanto que gravou um disco solo interpretando suas própias composições.

      Confira no play abaixo.

      Abraços.

       

       

    • Maria…

      Jair,

      Bem lembrado a “Foi ela” do Sérgio Sampaio.

      Deixo pra você um clássico do Ary Barroso em parceria com Luiz Peixoto: “Maria”, em versão instrumental incluído no álbum ‘Monteiro de Souza e Sua Orquestra Apresentando Baden Powell e Seu Violão’ (1961). Baden deixa a guitarra que tocava em boates e volta ao seu instrumento para debutar em disco.

      Abraços.

       

       

       

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome