Dalida, uma vida trágica

Dalida foi uma mulher belíssima, nascida em 1933 no Egito. Em 1954 tornou-se Miss Egito e mudou-se para a França. Tornou-se cantora logo em seguida, estreou no Olímpia e em 1957 ganhou o Disco de Ouro, pela venda de 300 mil discos da música “Bambino”.

Em 1967, no Festival de San Remo, Dalida anuncia seu casamento com Luigi Tenco, cantor e compositor italiano. Mas Luigi não suporta a derrota no festival e se mata. Alguns meses depois, Dalida tenta se matar com barbitúricos, mas escapa. Em 1970, seu ex-marido Lucien Morisse também se suicida.

Em 1973 tem seu maior sucesso, “Parole, Parole”, gravado com o galã francês Alain Delon. Em 1976, gravou “Tico-Tico no Fubá” (veja na nota abaixo). Em 1980, Dalida recebe um Disco de Diamante, pelos 80 milhões de discos vendidos em sua carreira. Em 1983 outro velho amigo, Richard Chanfray, se suicida em Saint Tropez.

Em 1987, Dalida se suicida, tomando barbitúricos. Há uma praça em Montmartre com seu nome.

Clique aqui, e veja a interpretação de “Bambino”, o primeiro sucesso de Dalida, em gravação de 1977.

Clique aqui para assisti-la cantando “Ciao Amore Ciao” em homenagem ao amado Luigi Tenco.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome