Festival de Arte Vale do Paraíba homenageia Pena Branca e Xavantinho

Evento mergulha nas raízes culturais do interior, exaltando a viola caipira como instrumento presente nas manifestações populares tradicionais, compondo a paisagem sonora do Brasil!

Foto Kleber Pereira

Jornal GGN – Movimentando grupos, formando novos artistas e unindo gerações, a viola caipira, instrumento característico da cultura brasileira já reconhecido como patrimônio imaterial em lugares como Minas Gerais, é o argumento para reunir cem artistas durante quatro dias em um grande festival virtual.

Enaltecendo tudo o que a viola caipira representa na cultura do Estado de São Paulo, de 06 a 10 de janeiro de 2021, acontece a 3ª edição do Festival de Arte Vale do Paraíba, com um Tributo à Pena Branca e Xavantinho. O evento idealizado pela produtora cultural Ivete Nenflidio, da In Totum Cultura Criativa, com produção artística de Luciana Passarini, da Carretel Music, acontece em formato on-line com transmissão gratuita pelo Facebook e Youtube.

Abrindo o festival, o violeiro e compositor Fábio Miranda apresenta um solo musical com pitadas de brincadeiras, causos, poesias e truques inspirados nos pássaros, com canções como “A vida no campo” (Juraildes da Cruz), “O grande sertão” (Xavantinho) e “A Mata Gemeu” (Maria Chiquinha/Xavantinho) convidando o público a voar nas asas da imaginação.

Na sequência, Ricardo Zoyo, Priscila Brigante e Ana Rodrigues, músicos que acompanharam Pena Branca, se juntam ao cantador Cláudio Lacerda, que dividiu o palco com Pena Branca em sua última apresentação, relembram histórias e grandes sucessos. Ao cantarem “De papo pro ar” (Joubert Carvalho/Olegário Mariano), “Quebra de milho” (Manuelito/Tom Andrade), “Santos Reis/Reisado (Teddy Vieira) e “Cuitelinho” (Antônio Xandô/Paulo Vanzolini), os artistas transmitem a paixão pela herança musical dos sertanejos, apresentando o olhar do homem do campo e seus valores.

A dupla Joaquim & José apresenta “Que terreiro é esse? ” (Xavantinho) e “Vaca Estrela e Boi Fubá” (Patativa do Assaré), além da composição autoral “Saga do Cerrado”, inspirada em uma viagem ao Cerrado “o Berço das Águas” envolta a muitas reflexões sobre a importância de valorizar nossas raízes, a natureza e seus biomas que tudo nos provém. Mais um legado de Pena Branca & Xavantinho.

Leia também:  Domingueira GGN: Juarez Moreira e o violão de Minas Gerais

“Meu primeiro contato com a dupla foi ao escutar a música “O ciúme” de Caetano Veloso, gravada pelo Pena Branca. Uma música sofisticada com uma melodia cheia de detalhes”. Comenta Osni Ribeiro, compositor, violeiro e produtor musical, no bate-papo com Cláudio Lacerda, com participação de Arnaldo Silva, compositor, produtor musical, músico e ator. No repertório os músicos apresentam “O ciúme” (Caetano Veloso), “Triste Berrante” (Adauto Santos) e “O Cio da Terra” (Adauto Santos).

Fruto da nova geração da Música Brasileira, Léo Vieira se junta a Antony Ventura para apresentar clássicos da música popular, como “Luar do Sertão” (Catulo da Paixão Cearence/João Pernambuco), “Casinha de aço” (Roque José de Almeida/Teddy Vieira e “Chalana” (Arlindo Pinto/Mário Zan), trazendo ao público a leveza, singeleza e doçura do universo sertanejo, encerrando o primeiro dia do festival.

O evento tem apoio cultural da Casa de Oswaldo Cruz (São Luiz do Paraitinga) e do SESI São José dos Campos, onde foram gravadas as apresentações com mediação do cantor, compositor, instrumentista e pesquisador Cláudio Lacerda, importante nome do gênero caipira, que já atuou em parceria com Pena Branca, um dos grandes homenageados.

A realização do projeto é do Governo do Estado de São Paulo, pela Secretaria da Cultura e Economia Criativa e foi contemplado pelo ProAC Editais, com idealização da In Totum Cultura Criativa e produção artística da Carretel Music.

 SERVIÇO:

3º Festival de Arte Vale do Paraíba – Tributo à Pena Branca e Xavantinho – Grátis

Leia também:  Um CD arrebatador, por Aquiles Rique Reis

Onde assistir: www.facebook.com/intotumeventos ou  www.festivaldeartevaledoparaiba.com

www.youtube.com/channel/UCo6KdMUgV3PJXIVZDYzgJPw/videos

Programação:

Quando: 06 de janeiro de 2021 – Quarta-feira – Horário: a partir de 20h00

– Show de abertura, com Fábio Miranda (Maestro Sabiá)

– Claudio Lacerda, Ricardo Zoyo, Priscila Brigante e Ana Rodriguês

– Joaquim e José

– Osni Ribeiro e Arnaldo Silva

– Léo Vieira & Antony Ventura

Quando: 07 de janeiro de 2021 – Quinta-feira – Horário: a partir de 20h00

– João Oliveira

– Nô Stopa e Juninho Serafranny

– Anderson Martins

– Caio de Souza

– Lia Marques e Léo Couto

– Grupo Paranga

Quando: 08 de janeiro de 2021 – Sexta-feira – Horário: a partir de 20h00

– Fabrício Conde

– Rodrigo Zanc e Claudio Lacerda

– Luiz Salgado

– Letícia Leal

Quando: 09 de janeiro de 2021 – Sábado – Horário: a partir de 20h00

– Noel Andrade, Felipe Câmara, Edu Malta

– Bruno Sanches

– Jackson Ricarte

– Moreno Overá e Rafael Gandolfo

Quando: 10 de janeiro de 2021 – Domingo – Horário: a partir de 20h00

– Oficina de lutheria com Luciano Queiroz

– Folia de Reis Bom Jesus do Buquirinha – Mediador: Cláudio Lacerda – Convidados: Luciano Batista (Mestre de Folia de Reis), José Ricardo (Contramestre de Folia de Reis) e Ari Pereira (Tocador de rabeca / Articulador Cultural)

– Grupo de Jongo Mistura da Raça – Mediador: Cláudio Lacerda – Convidados: Laudeni de Souza (Mestre Jongueiro), Márcia Cunha (Jongueira / Articuladora Cultural) e a senhora Dona Adélia (Matriarca da família)

Leia também:  Domingueira GGN: Juarez Moreira e o violão de Minas Gerais

– Maracatu Baque do Vale

– Palestra Show com João Oliveira e Luiz Salgado (encontro foi filmado na Casa Oswaldo Cruz)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome