Joelho de Porco

O Joelho de Porco é um dos grandes nomes do rockhumor brasileiro.

“Amadrinhado” pela cantora Aracy de Almeida e precursor do movimento punk no Brasil, o grupo paulistano surgiu em maio de 1972, quando tocaram no TUCA, em São Paulo, e era formado por: – Tico Terpins (violão,voz, guitarra base – ex-Os Baobás); – Gerson Tatini (baixista que tocou guitarra por alguns meses, em 1972); – Walter Baillot (guitarra solo – ex-Provos – substituto de Gerson Tatini, convidado pelo baixista Rodolfo Ayres Braga); – Próspero Albanese (bateria e vocais); – Conrado Assis Ruiz (guitarra, piano e vocais – ex-Mona); e, – Rodolfo Ayres Braga (baixo e vocais – ex-Terreno Baldio, ex-The Jet Black’s).

Com esta formação – em 1972 – gravaram o compacto simples “Se Você Vai de Xaxado, Eu Vou de Rock And Roll/Fly America”, produzido pelo ex-Mutantes Arnaldo Baptista. Dois anos depois, o Joelho lançou seu primeiro LP, “São Paulo 1554/Hoje”; um dos mais elogiados discos do pop da época, misturando rock pesado e referências tropicalistas em faixas como “Boeing 723897” e “Mardito Fiapo de Manga”.

Em 1976, entrou o vocalista (e, em seguida, ator) Ricardo Petraglia, que participou de alguns shows. Logo após, entra o cantor argentino Billy Bond, com quem a banda partiria para uma linha mais agressiva, próxima do punk rock que explodia naquela mesma época na Inglaterra.

Nesta fase, começa o desmanche da formação original da banda, com a saída dos músicos Conrado Assis Ruiz, Rodolfo Ayres Braga e Walter Baillot.

Em 1977, o Joelho gravou LP homônimo e, pouco tempo depois, encerrou suas atividades. Tico Terpins partiu para o mercado dos jingles publicitários, montando o estúdio Audio Patrulha.

Em 1983, Terpins – juntamente com Próspero Albanese e o cantor e compositor Zé Rodrix (ex-Sá, Rodrix e Guarabyra) – remontaram o Joelho, que voltou com o LP duplo “Saqueando a Cidade”, cujos sucessos são: “Vigilante Rodoviário”, “Vai Fundo” e “Funicoli, Funicolá” (versão roqueira da tradicional canção italiana).

Com o vocalista e fotógrafo David Drew Zingg, a banda ganhou o prêmio de melhor letra do Festival dos Festivais da TV Globo, em (1985), por “A Última Voz do Brasil”. Em 1988, o Joelho de Porco lançou o LP “18 Anos Sem Sucesso”, com repertório do pop americano pré-rock.

Em 1998, Tico Terpins morreu de enfarte.

Em 22 de maio de 2009, no início da madrugada de sexta-feira, o cantor e compositor Zé Rodrix morreu em São Paulo, aos 61 anos de idade. Conforme uma pessoa próxima, o músico havia saído com a mulher mas começou a se sentir mal e retornou para casa por volta de meia-noite. A família acionou uma filha do artista que é médica e que prestou os primeiros socorros ao pai. Ainda quando aguardava a chegada da ambulância para ser removido a um hospital, ele passou mal e faleceu. Zé Rodrix foi responsável por vários jingles de sucesso. No entanto, ficou imortalizado na MPB ao compor “Casa no Campo”, uma das grandes interpretações de Elis Regina e que embalou a geração bichogrilo setentista. Rodrix também foi integrante do grupo Joelho de Porco, “precursor” do punk no Brasil.

A banda Joelho de Porco reuniu 3 musicos em sua formação original: Conrado Assis Ruiz – vocalista, guitarrista e pianista; Prospero Albanese – bateria e vocal e Rodolfo Ayres Braga – baixo e vocal, ambos para um show na “Virada Cultural” em São Paulo em maio de 2009, para milhares de fans na Praça da República. Participaram tambem Franklin Paollilo – bateria e João Paulo Almeida – piano e vocal (que tocou em um Festival de Música em 66 no Colégio Rio Branco, onde surgiu a idéia do nome Joelho de Porco)./

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome