Noel Rosa e Vadico – Feitiço da Vila, por Laura Macedo

Noel Rosa e Vadico – Feitiço da Vila, por Laura Macedo

Noel Rosa foi um dos inventores da samba urbano, com letras sem leteratices, usando da linguagem coloquial das ruas em rimas elaboradas, que continuam atuais quase um século depois de criadas.

Composto em parceria com Vadico [Oswaldo Gogliano/1910-1948] e lançado em disco em dezembro de 1934 pelo cantor João Petra de Barros (1914-1948), ‘Feitiço da Vila’ é exemplar da força e da beleza alcançadas por sua arte.

Com essa declaração de amor ao samba e ao bairro de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, onde nasceu e viveu, Noel de Medeiros Rosa (1910-1937) dava prosseguimento à sua célebre polêmica com o compositor Wilson Batista (1913-1968), que rendeu grandes canções de ambos os lados.

Em 1933, o então iniciante Batista tinha apresentado suas armas com ´Lenço no pescoço’, samba que fazia apologia à malandragem. Noel não gostou da associação e deu início à com briga ‘Rapaz folgado’. E, quase dois anos depois, reafirmou sua posição, acenando com um samba de ´feitiço decente, sem farofa, sem vela e sem vintém´.

Houve quem enxergasse, na referência pejorativa ao candomblé, traços de racismo na canção, mas a obra e a vida de Noel não deixam dúvidas. Boêmio e farrista inveterado, o Poeta da Vila esteve mais perto da malandragem, que constatou a polêmica com Batista, do que da classe média, cujo balde chutou sonoramente. Largou o curso de Medicina para fazer samba numa época em que artista era considerado sinônimo de vagabundo e malandro.

 

Teve convivência estreita com sambistas negros, entre os quais Cartola e Ismael Silva, numa relação de parceria e amizade, sem a exploração e a compra de músicas que, estão, era prática comum de tantos intérpretes e compositores brancos. Ele também trocava o dia pela noite transitando entre a Lapa, o Estácio e os morros do Rio, e a sua paixão pela boêmia é exaltada em ‘Feitiço da Vila’.

 

O sol da Vila é triste / Samba não assiste / Porque a gente implora: / Sol, pelo amor de Deus, / não vem agora que as morenas / vão logo embora’.

 

Músicas da Polêmica entre Wilson Batista X Noel Rosa

 

Lenço no pescoço” (Wilson Batista) # Silvio Caldas. Disco Victor (33.712-B) / Matriz (65805) / Gravação (18/07/1933). Gravação (28/04/1938) / Lançamento (outubro/1928).

 

 

Rapaz folgado” (Noel Rosa) # Aracy de Almeida. Disco Victor (34.368-B) / Matriz (80774). Gravação (28/04/1938) / Lançamento (outubro/1938).

 

</iframe

 

Mocinho de Vila” (Wilson Batista) # Roberto Paiva. Álbum ‘Polêmica’, 1956.

 

Ouvir no Post Original AQUI http://blogln.ning.com/profiles/blogs/noel-rosa-e-vadico-feiti-o-da-vila-1

 

 

Feitiço da Vila” (Noel Rosa/Vadico) # João Petra de Barros. Disco Odeon (11.175-A) Matriz (4938). Lançamento (22/10/1934) / Matriz (4938).

 

 

Conversa fiada” (Wilson Batista) # Roberto Paiva. Álbum ‘Polêmica’, 1956.

 

 

Palpite infeliz” (Noel Rosa) # Aracy de Almeida e Conjunto Regional RCA Victor (34.007-A) / Lançamento (dezembro/1935).

 

 

Frankstein da Vila” (Wilson Batista) # Jorge Veiga e Roberto Paiva, 1974.

 

 

Terra de cego” (Wilson Batista) # Jorge Veiga.

 

 

Deixa de ser convencida” (Noel Rosa/Wilson Batista) # Roberto Paiva durante o Programa No Tempo de Noel Rosa, de 22 de junho de 1951 levado ao pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

 

 

***********

Fontes:

– 101 canções que tocaram o Brasil / Nelson Motta; Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2016.

– Foto montagens: Laura Macedo.

– Site YouTube / Canais: “Plácido Homem”, “Rodrigo Castro de Mendonça”, “Samba Brasileiro”, “Robson Guimarães”, “Noel Rosa”.

************

 

Laura Macedo

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Esclarecimento!

    Prezados leitores,

    O texto acima é de autoria do Nelson Motta até onde está em “ITÁLICO”. Por minha conta achei interessante colocar a famosa “Polêmica” entre Wilson Batista X Noel Rosa! Espero que gostem! Grande abraço!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador