Salomé Parísio – Uma Estrela de Primeira Grandeza, por Laura Macedo

SALOMÉ PARÍSIO [Dulce de Jesus Parísio de Lira]
*03/06/1921 – Bonito (PE)
+19/06/2013 – São Paulo (SP)

Salomé Parísio – Uma Estrela de Primeira Grandeza, por Laura Macedo

O nome da grande vedete Salomé Parísio era Dulce de Jesus Oliveira. Ela nasceu na cidade de Bonito, no Estado de Pernambuco, em 3 de junho de 1921.

Família com oito irmãos, três homens e cinco mulheres, sendo todos cantores. Dulce começou a cantar na igreja. Diz ela que quando cresceu um pouco, ficou “filha de Maria, quase freira”.

Em Recife, se encantou pela Rádio Clube de Pernambuco, onde se inscreveu em programas de calouros e venceu. Depois viajou para a Bahia, onde ficou por cinco anos. Lá nasceu seu único filho. Foi convidada então para ir ao Rio de Janeiro e ficou decidida a ser mesmo artista. Tanto que se tornou não apenas cantora, mas vedete e atriz.

Chianca de Garcia

 

Foi Chianca de Garcia que resolveu levar a então já Salomé Parísio, para o Cassino da Urca, que ele dirigia. E a colocou para estrelar a peça/musical: “Um Milhão de Mulheres”. Foi um estrondoso sucesso. A beleza da mulata Salomé e sua graça encantaram a todos. Naquele espaço fizeram três revistas. Salomé depois foi para São Paulo a fim de trabalhar no Teatro Santana, atuando, também, em filmes com o famoso Mazzaroppi fazendo enorme sucesso como atriz, cantora, bailarina, vedete.

 

 

Salomé Parísio

 

Em 1950, Salomé excursionou por Portugal. Abalou o Cassino Estoril. De volta ao Brasil, em 1952, estrelou: “Pra lá de boa”, dirigida por Lulu de Barros. Em 1955, as pernas de Salomé, páginas e páginas nas revistas da Argentina, encantaram os argentinos, onde ela atuou em longa excursão.

 

 

Salomé e Carmen Miranda

 

Foi então para os Estados Unidos, onde o convite era para que substituísse Carmem Miranda, mas a mãe de Salomé adoeceu, e ela declinou do convite e voltou ao Brasil.

 

De volta ao Brasil, estrelou: “Um violino no telhado”, cantando canções judias. Atuou ainda nas peças: “Dilúvio” e “Aí vem o dilúvio”.

 

 

Salomé Parísio

 

Fixou-se em São Paulo e trabalhou nas Rádios Tupi, Bandeirantes e Record. Foi para Nova York em 1962, onde atuou no Rádio City Hall, dirigida por Carlos Machado.

Fez então programas de rádio, televisão, revistas e recebeu o convite de Antunes Filho para participar da montagem da peça: “Macunaíma”. O espetáculo viajou todo o Brasil e depois foi à Europa participar do Festival Mundial de Teatro em Nancy, onde ganhou o 1º lugar e excursionou por doze países.

 

 

 

Salomé atuou na novela de Vicente Sesso: “Sangue do meu sangue”. Em 2012, ganhou um livro em sua homenagem: “Salomé Parísio – O Rouxinol do Norte”, de Diego Nunes, Fábio Siqueira e Thais Matarazzo. Faleceu em 19 de junho de 2013, aos 91 anos, deixando um grande legado as “Artes”, em geral.

 

 

Selecionamos alguns Vídeos com suas interpretações! Infelizmente seus vídeos são raros de encontrar. Os poucos que encontrei socializo com vocês!

 

Rainha do mar” (Valfrido Silva/A. Amaral) # Salomé Parísio. Disco Odeon (13.349-A) / Matriz (9419). Gravação (05/09/1952) / Lançamento (dezembro/1952) ESinhá da Bahia” (Vicente Paiva/Luiz Iglésias) # Salomé Parísio. Disco Odeon (13.349-B) / Matriz (9417). Gravação (05/09/1952) / Lançamento (dezembro/1952).

 

 

A canção do meu amor” (Cesare Andrea Bixio [versão: Teixeira Filho] # Salomé Parísio. Disco Copacabana (6294-B) / Matriz (M-3076). Lançamento (outubro/1961).

 

 

Mulheres da rua” (Paulo Marques/Sávio Barcellos) # Salomé Parísio. Disco Copacabana (6294-A) / Matriz (M-3075). Lançamento (outubro/1961).

 

 

Abraça teu irmão” (Hava Nagila) [tema folclórico israelita adaptado por Maurício Welta] # Salomé Parísio. Disco Mocambo/Rozemblit (15.499-A) / Matriz (1515), Lançamento (junho/1963) / EAmarga recordação” (Gracinha Souza/Sócrates Pereira) # Salomé Parísio. Disco Mocambo/Rozemblit. Disco (15.499-B) / Matriz (1516). Lançamento (junho/1963).

 

 

Nossa felicidade” (Manoel Ferreira/Ruth Amaral) # Salomé Paríso. Disco Mocambo (15.486-A) / Matriz (1489) ECanção do fim” (U. Monucci/R. Jordan [versão: Paulo Rogério] # Salomé Parísio. Disco Mocambo (15.486-B) / Matriz (R-1490), Gravação/Lançamento (1963)

 

 

“Bia-tá-tá” (Hekel Tavares) # Salomé Parísio [sem mais informações].

 

 

Sob o céu de Paris” [Sous le ciel de Paris] (J. Dréjac/Hubert Girud) # Salomé Parísio / Versão: Lamartine Babo.

 

 

Trailer: A Grande Artista/Vedete Salomé Parísio.

 

 

************

Fontes:

– Dicionário Cravo Albin da MPB / Verbete: Salomé Parísio (AQUI).

– Fotos montagens: Laura Macedo.

– Revista Carioca / Edição nº 617 /Página 34/1947 E Revista Carioca / Edição nº 619 /Página 34/1947 [Biblioteca Nacional: Hemeroteca Digital Brasileira].

– Site Museu da TV / Biografia: Salomé Parísio (AQUI).

– Site YouTube/Canais: “luciano hortencio”, “Ubiratan Marques da Sialva”, “Diego Nunes”, “atorjefferson”, “Jornal Seresteiro na TV”.

************

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

  1. Amiga Laura!

    Excelente post. Obrigado pela citação do canal luciano hortencio.

    Houve um erro de digitação e saiu truncado o canal do nosso amigo Irapuan Marques da Silva, ok?

     

    Abraço do luciano

    • Meu parceiro Luciano Hortencio!

      Querido amigo Luciano,

      Com “08 Fonogramas” transformados em Vídeos você merece uma “Medalha de Ouro”, pelas suas “garimpagens”.

      Grande abraço da amiga Laura!

       

      Observação: Depois de publicado qualquer Post, aqui no GGN, é IMPOSSÍVEL corrigir algumas falhas, infelizmente!!

       

  2. Amiga Laura

    Mais um belo post sobre esses artistas que passam por esse planeta e conseguem deixar sua marca, lembranças. Salomé Parisio… Que nome mais propicio à uma artista que viveu mil peripécias. Como Maria d’Apparecida, foram tantos os artistas que tiveram uma carreira e vida movimentadas e que no presente são pouco conhecidos. Acho que daria para fazer tanto com Apparecida quanto com Salomé um bom documentario sobre essas mulheres que desafiaram sua época, não é mesmo…

    Um abraço.

    • Querida amiga Maria Luisa

      No seu excelente comentário você disse tudo! Assino embaixo!

      Meu maior desejo é divulgar nossos artistas que estão fora da mídia. Tento de várias formas… Mas não é fácil, porém, também não é impossivel!! Requer persistência e isso eu tenho de sobra 🙂

      Beijos saudosos!

      P.S. Tentei inserir uma foto da Salomé Parísio, sem sucesso 🙁

       

       

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome