Setor de construção reduz ritmo de atividade em abril

Fraca atividade da indústria manteve empresários pessimistas
 
Jornal GGN – O ritmo de queda na atividade e no emprego da indústria da construção se intensificou em abril, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de nível de atividade registrou 36,4 pontos no mês passado ante 37,5 pontos em março, de acordo informações da pesquisa Sondagem Indústria da Construção. Na mesma comparação o indicador de número de empregados reduziu 0,9 ponto, passando de 36,6 pontos para 35,7 pontos.

O nível de atividade em relação ao usual manteve-se praticamente estável em 26,4 pontos na passagem de março para abril. O número situa-se muito abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que indica que o nível de atividade está bem abaixo do usual para o mês. A fraca atividade tem reduzido o percentual de utilização da capacidade de operação na indústria da construção. O índice atingiu em abril 54 %, 12 pontos percentuais abaixo de sua média histórica. É o piso da série, iniciada em janeiro de 2012.

Segundo a CNI, a fraca atividade da indústria da construção mantém os empresários pessimistas em maio. Por outro lado, parte das expectativas dos empresários mostra-se menos  pessimista. O índice de expectativa sobre o nível de atividade subiu de 39,7 pontos em abril para 40,6 pontos em maio, e o indicador de expectativas sobre compra de insumos e matérias passou de 38,3 pontos para 39,7 pontos.

Já o índice de número de empregados ficou praticamente estável ao passar de 38,2 pontos para 38,4 pontos no período e o índice de expectativa sobre novos empreendimentos e serviços se manteve inalterado em 37,7 pontos.

A pesquisa mostra ainda que o índice de intenção de investimento assinalou 23,2 pontos em maio, o menor valor da série histórica iniciada em novembro de 2013.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora