3 vezes: Capa de Veja contra Lula é desmentida por promotor, delegado e empresário

Veja insinuou Lula é o mandante da morte do ex-prefeito de Santo André (PT), Celso Daniel, vítima de uma tentativa de assalto em 2002

Jornal GGN – A capa que a revista Veja produziu em sua última edição, contra o ex-presidente Lula, usando uma suposta delação de Marcos Valério, foi desmentida por três fontes com autoridade no assunto, até a manhã deste sábado (26).

Veja insinuou Lula era o mandante da morte do ex-prefeito de Santo André (PT), Celso Daniel, vítima de uma tentativa de assalto em 2002. A revista afirma que uma nova delação de Marcos Valério – que está preso em Minas Gerais – associava Lula ao caso.

O jornalista do Diário do Centro do Mundo, Joaquim de Carvalho, entrevistou o delegado Rodrigo Pinho de Bossi, que tomou o depoimento que Veja usa na matéria.

Bossi está afastado da Polícia Federal por conta de um câncer em estágio avançado, mas declarou ao DCM: ”O Marcos Valério jamais disse ‘foi o Lula’. Ele disse que o Ronan (Maria Pinto, empresário do setor de transporte em Santo André) ameaçava dizer que foi ele. São coisas completamente diferentes.”

El País também publicou com exclusividade neste sábado uma matéria com participação do promotor Roberto Wider Filho, que segundo Veja teria recebido a delação de Valério, e enviado ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Wider Filho admitiu que enviou, sim, o depoimento tomado em outubro de 2018 ao Gaeco. Mas negou que Lula tivesse sido implicado.

“Na minha frente, ele [Valério] não falou isso [que Lula mandou matar Celso Daniel]. Depois, teve um outro depoimento que ele prestou só para o delegado do DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Minas Gerais. Não sei se para esse delegado ele falou alguma coisa.”

Leia também:  Aras pede dados da Lava Jato Rio

Por sua vez, Ronan Maria Pinto, que seria a fonte de Marcos Valério, também desmentiu a situação publicada por Veja. De acordo com o El País, o empresário afirmou que Valério delatou inverdades para conseguir algum benefício e sair da prisão.

Leia mais: 

Veja: a volta dos que nunca se foram e o caso Celso Daniel, por Luis Nassif

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Passa-se o ponto

    Veja é veículo que precisa ser passada no cobre por quem adquiriu o grupo abril com o apoio financeiro do BTG. A ideia final não é tocar a revista que é a jóia da coroa, mas ir administrando sem fechar, até achar algum profissional de mídia que a adquira para fazer jornalismo de verdade.
    Até lá ela tem que mostrar que serve a qualquer senhor, a qualquer propósito, ou como dizia aquele judeu da escolinha, “Fazemos qualquer negócio, Raimunda”. O que não pode é fechar pois aí fica mais dificil passar o ponto.

  2. Veja, IstoÉ, Globo e Estadão estão semeando, com calúnias e meias-verdades, uma reação violenta pelos justos. Esses veículos podem colher o mesmo que o El Mercúrio do Chile.

    2
    1
  3. gente….todo mundo sabe a senha pra escapar DA JUSTIÇA BRASILEIRA…BASTA DIZER QUE FOI O LULA E VOCE estara livre da cadeia…a justiça e cega….mais nao a do brasil…certo queiroz….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome