A escolha de Bolsonaro: agradar Trump ou o agronegócio?

Presidente brasileiro deve decidir pela renovação ou não da cota brasileira de importação de etanol isenta de tarifação, que expira em 31 de agosto

Foto: Alan Santos/PR

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro terá uma escolha complicada nos próximos dias: atender aos interesses do setor agropecuário brasileiro, ou atender aos interesses de seu principal aliado político, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

Uma cota de importação de etanol isenta de tarifação tem sua expiração programada para 31 de agosto. Segundo a agência de notícias Reuters, os produtores norte-americanos usam essa alíquota, o que representa a comercialização de 750 milhões de litro de combustível sem taxa ao ano.

Trump também pediu a Bolsonaro que elimine qualquer tarifa nesse sentido – atualmente, a cobrança é de 20% sobre as importações acima dessa cota. Em baixa nas pesquisas para a eleição norte-americana, o republicano quer agradar aos produtores em um cenário de queda nas vendas por conta da pandemia.

Enquanto a Casa Branca e os produtores norte-americanos aguardam a renovação da cota isenta, o lobby do agronegócio brasileiro pediu ao governo que deixe a cota expirar e acabe com qualquer importação isenta de encargos. Contudo, na última segunda-feira Trump insinuou uma retaliação caso o Brasil escolha restabelecer as tarifas.

 

Leia Também
Frente única burguesa sustenta Bolsonaro, por Marcus Ianoni
O papel da economia progressista na refundação do Brasil
Apoiadora de Bolsonaro fez MP perder prazo contra foro especial de Flávio
Homem que negociou loja a Flávio Bolsonaro afirma ter sofrido ameaças

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora