Homem que negociou loja a Flávio Bolsonaro afirma ter sofrido ameaças

Antigo proprietário tentou denunciar esquema de notas frias no estabelecimento; senador diz sofrer perseguição de promotores

Foto: Reprodução/Wikipedia

Jornal GGN – O antigo proprietário da loja de chocolates comprada pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) relata ter sofrido ameaças por tentar denunciar esquema de notas frias no comércio, localizado no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

De acordo com o portal UOL, Cristiano Correia Souza e Silva vendeu a loja para Flávio em 2015. Durante depoimento, Silva declarou que clientes avisaram que a loja estaria vendendo produtos por valores abaixo da tabela, e reportou a medida à sede da Kopenhagen, que confirmou a denúncia e multou a loja.

Depois que a denúncia foi divulgada, Silva declarou que ele e a esposa passaram a sofrer ameaças pelo sócio do senador na loja, Alexandre Ferreira Dias Santini – que o MP suspeita ser um laranja.

A declaração foi feita durante depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), por conta da investigação sobre um esquema de “rachadinha” no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Em nota, Flávio Bolsonaro não comentou a denúncia, mas disse sofrer perseguição por parte dos promotores do Rio que investigam o Caso Queiroz.

 

 

Leia Também
Após fazer piada, Renan Bolsonaro é diagnosticado com Covid-19
Não é arapongagem, é “defesa do Estado”, diz Mourão sobre dossiê antifascista
Exclusivo: Messer retirou Paludo e os Marinho da sua delação
E Bolsonaro subiu. Quem se espanta?, por Camilo de Oliveira Aggio

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome