A pergunta não é se Bolsonaro ameaça a democracia, mas como as instituições irão resistir

É fácil dizer que o primeiro ano de governo prova que a democracia sobreviverá a Bolsonaro, quando em dois ou três anos, a configuração do STF e a presidência do Congresso sofrerá sua influência

Jornal GGN – Pedro Abramovay, constitucionalista e cientista político, assina artigo no El País neste domingo (25), questionando como as instituições brasileiras irão resistir até o final do mandato de Jair Bolsonaro.

Para Abramovay, os críticos que afirmam que o primeiro ano de governo é prova de que Bolsonaro não é uma ameaça real à democracia se esquecem que, em dois ou três anos, o Supremo Tribunal Federal e a presidência do Congresso terão uma nova configuração.

Bolsonaro terá direito a indicar dois ministros para o STF e Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia podem ser substituído no comando do Senado e Câmara, respectivamente, por aliados do governo.

Daí que a pergunta certa não é se as ameaças se as ameaças de Bolsonaro à democracia irão sair do papel, mas se as instituições terão capacidade de resistir. E por quanto tempo.

“Os artigos que apontam a sobrevivência da democracia neste primeiro ano como sinal de que não teremos uma virada autoritária poderiam tranquilamente ter sido escritos ao final dos primeiros anos dos Governos —hoje claramente autoritários— na Nicarágua, Hungria, Venezuela, Polônia, Turquia e Índia”, apontou Abramovay.

“A cada discurso que reforça uma visão autoritária por parte do Governo (…), os setores mais violentos da sociedade vão se sentindo à vontade para avançar contra seus inimigos e as instituições vão, pouco a pouco se sentindo confortáveis para reforçar as violências ao invés de proteger a constituição”, frisou.

“É esse mecanismo de alimentar a violência através do discurso e criar um ambiente para que as instituições corroborem essa violência ao invés de reprimi-la que marca a diferença do que vemos hoje com o autoritarismo latente do Brasil”, escreveu.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rui Ribeiro

- 2020-01-27 08:29:15

Bolsonaro e Moro estão se divorciando. Não existe mais 'Meu Bem' prá cá, 'Meu Bem' prá lá. Agora existe 'meus bens' prá cá, 'teus bens' prá lá. Mas como o Moro não quer perder o peitinho, ele se submete aos caprichos do Bolsobosta. O $érgio Moro recuou do arranca-rabo com Bolsonaro é disse: "Seguindo a orientação do Presidente Jair Bolsonaro, estamos sendo firmes com o crime organizado, isolando as lideranças em presídios federais. Em 2019, ingressaram mais criminosos nos presídios do que saíram. Em 2018, havia sido o oposto..." Encarcerar mais do que libertar significa que o nível de criminalidade está se elevando ou que o índice de impunidade está caindo. Ora, o nível de impunidade não está se reduzindo. O $érgio Moro e os Jatoeiros, cujas maracutaias foram reveladas pelo Glenn, estão aí, livres, leves e soltos, debochando da cara dos trabalhadores. O Michel Temer, o Aécio Neves, o Flávio Bolsonaro, o Queiroz e os demais milicianos continuam impunes. Os crimes do Zé $erra prescreveram. Então encarcerar mais do que libertar não significa que a impunidade está sendo reduzida, mas que a criminalidade está aumentando. E a criminalidade é proporcional às desigualdades sociais. Isso quer dizer que esse governo vagabundo, do qual o Moro é a pedra angular, está concentrando a riqueza nas mãos de meia dúzia de parasitas sociais e, consequentemente, distribuindo a miséria para a maioria esmagadora da população

Flavio

- 2020-01-27 02:55:07

Os golpistas fascistas estão em ação. Bolçalnaro é apenas o palhaço de outro golpe em ação. Parece q esqueceram a história de 64.

Andre Rs T

- 2020-01-26 21:29:14

Que miliciano ou mafioso ou ditador ou teocrata nao sonha em ter um pais pra chamar de seu, com STF, MPF, Legislativo e midia no pacote? Quando Bozonazi tudo desmonta e destroi mesmo hj, sem ter a resistencia das Instituicoes, como sera quando ele tiver controle absoluto sobre todas elas? Nem precisa de PF e Armas para implantar uma ditadura sanguinaria, Imaginem so como sera uma ditadura Bozonazi sob o comando de uma figura expulsa do exercito como doido e que prega lor ai que a ditadura militar nem foi ditadura pq nao matou nem 30 mil opositores e que tem o carniceiro Ustra como espelho? Vai vendo...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador