A seletividade no CNMP ao punir um procurador que criticou Bolsonaro

Coube à OAB da Bahia aprovar uma moção de solidariedade pela violação da liberdade de expressão de Rômulo, que foi lembrado por sempre ajudar a comissão de Direitos Humanos

Jornal GGN – São inúmeras as reclamações contra Deltan Dallagnol e outros procuradores da Lava Jato por abusos praticados na operação ou manifestações descabidas e ataques políticos, em redes sociais e na mídia, paradas no Conselho Nacional do Ministério Público. Em 5 anos de operação, o CNMP não reagiu à altura dos golpes desferidos pelos procuradores nenhuma vez. A mesma complacência não se estendeu ao procurador de Justiça Rômulo Moreira, do Transforma MP.

[O GGN prepara uma série de vídeos para mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer ser nosso aliado nessa causa? Clique aqui]

Em um artigo indignado após o segundo turno da eleição presidencial, o procurador escreveu, no Justificando, afirmando que o “bunda-suja” do Jair Bolsonaro, um desqualificado em todos os sentidos, saiu vencedor. A expressão “bunda-suja” foi explicada no texto: é “como os militares de alta patente designam aqueles que não subiram na carreira, o caso do capitão, que não era respeitado nem pelos seus superiores.”

Por criticar Bolsonaro, Moreira recebeu uma punição do CNMP: suspensão de 30 dias, sem salário.

A omissão chegou ainda à Associação dos Membros do Ministério Público da Bahia (Ampeb), que, procurada por um jornal local, recusou-se a sair em defesa do procurador, alegando que só se manifesta a respeito do cerceamento das atividades inerentes ao cargo.

Coube à OAB da Bahia aprovar uma moção de solidariedade pela violação da liberdade de expressão de Rômulo, que foi lembrado por sempre ajudar a comissão de Direitos Humanos. Veja mais aqui.

Leia também:  GGN Covid: explodem casos no país, enquanto Pazuello se perde na Saúde

Em artigo no Justificando, na quinta (15), o mestre em Direito Público Geovane Peixoto avaliou a decisão do CNMP como censura.

“(…) imaginemos que o cidadão Rômulo Moreira quisesse expressar a sua opinião sobre o candidato eleito. No que isso agride os seus deveres funcionais? Trata-se de um legítimo direito fundamental constitucionalmente tutelado e de alta importância para assegurar um real Estado Democrático: a LIBERDADE DE EXPRESSÃO.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. “imaginemos que o cidadão Rômulo Moreira quisesse expressar a sua opinião sobre o candidato eleito”

    “Esse bunda suja ai???? Meu pinto eh bem quase nada infinitamente maior que o dele, eh por isso que ele brochou na hora h e saiu correndo gritando “maaaaaaaeeeeeeee, me acodeeeee”…”

    Mas fica pior! Eu tava la e eu vi! Conversando privadamente com membros do Exercito -que o expulsou- algum tempo mais tarde, bolsonaro disse textualmente “tem 20 anos que eu nao falo nada em publico considerado muito bicha louca exceto nos encontros diplomaticos, e eu disse anplamente pra ele que era dia sim e meu cu tava quase limp…”

  2. Por que o CNMP agiu com “um peso, duas medidas”? Simples, porque seus integrantes não passam de covardes. Cambada de Bunda Mole.

  3. Há algum tempo critique a postura e atuação de Vladimir Aras e lembro Nassif, pelo que ele sabia, respondeu pessoalmente dizendo que o procurador era uma pessoa de bons princípios. Vê-se agora que ele também está envolvido nas tramas da LJ para pressionar autoridades, eleger preferidos em comissões e até festejar na rede.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome