A suposta resiliência do Bolsonaro e como os progressistas vão ajudar um verdadeiro fascista, por Rogério Maestri

    O auxílio chegou por alguns meses e, geralmente, as pessoas atribuem ao presidente ou presidenta o recebimento do auxílio, logo nesse momento quem mandou foi o bozo. 

    A suposta resiliência do BOZO e como os progressistas vão ajudar um verdadeiro fascista

    por Rogério Maestri

    Todos os elementos “progressistas” (adoro essa palavra pois na verdade ela não significa nada) estão extremamente preocupados porque o bozo não baixa a sua popularidade de 35% e culpam todo o povo por isso (os policiais militares de baixa patente, os pobres em geral e os evangélicos em particular), pois dentro da sapiência de quem come três refeições ao dia sem se preocupar com o custo dessa ficam preocupadíssimos com a “ignorância” do povo brasileiro que não se preocupa com o estado de direito, a divisão dos poderes, e algo indefinido que nunca chegou ao povo brasileiro, a tal democracia que para 100% dos políticos a direita e 90% a esquerda se resume a cada dois anos votar em alguém que aparece durante segundos na TV e que o TSE diz que é a máxima representação dessa tal democracia.

    Esses sabichões bem informados, que alguns lerão esse texto, esquecem que um auxílio de R$600,00 (ou R$1.200,00) ao mês corresponde para grande parte da população brasileira mais do que ganham em bicos que fazem por aí. Ou seja, para um povo que durante anos de discurso do Lula ouviu ele falar que o mais importante é dar três pratos de comida por dia a todos os brasileiros, agora querem que o povo fique revoltado contra outro que dá os mesmos três pratos de comida sobrando ainda um dinheirinho para outras coisas. Se esse auxílio foi votado e imposto pelo congresso é um detalhe que a imensa parte da população desconhece, simplesmente porque essa população nem tem ideia de onde e como vem esse dinheiro, é um auxílio do governo e auxílio ninguém discute, só aceita. Durante anos dos governos progressistas do PT nenhum quadro do partido foi destacado para dar explicações de como e de onde vem os recursos públicos, estava todo mundo feliz com o que recebiam e nem era interessante para o partido, explicar qualquer coisa sobre orçamento público ou outras coisas.

    Bem voltando ao início, o auxílio chegou por alguns meses, se caiu do céu, se simplesmente foi mais papel impresso, se foi um ser extraterrestre que enviou, ninguém discute, “cavalo dado não se olha os dentes”, mas geralmente as pessoas atribuem ao presidente ou presidenta o recebimento do auxílio, logo nesse momento quem mandou foi o bozo.

    Se de uma hora para outra uma família passa a receber um auxílio correspondente a uma parte substancial do rendimento mensal que serve para alimentação e outras pequenas despesas, ou mesmo, um auxílio que é o único recebimento no mês e essa família atribuiu ao bozo o envio desse dinheiro, por que eles não vão achar seu governo ótimo ou bom?

    Os sabichões “progressistas” vão dizer: O mais correto seria os pobres brasileiros fazerem uma análise da conjuntura político-econômica e verificarem que em contraposição da política neokeynesiana apoiada em hipóteses da MMT é mais desfavorável a um neoliberalismo predatório que vende as ações da Petrobrás, que vendia gasolina para o carro que nunca tiveram…Esqueçam toda essas besteiras, 99% das pessoas, inclusive com graduação, mestrado e doutorado em áreas que não da economia, não sabem nem o que é MMT e muito menos se neokeynesianos são adeptos ou não da MMT! Logo não digam que os apoiadores do bozo são evanjegues, bolsominions ou ignorantes, pois na verdade a grande maioria nem sabe por que devem estar contra, a favor ou muito menos pelo contrário.

    Por favor, parem de fazer artigos fantásticos sobre o modo que o brasileiro deveria se posicionar perante o governo e pensem no próximo golpe que o centrão junto ou não com outras correntes políticas de direita ou “progressistas” vão aplicar lá pelo início de 2021.

    Qual será o golpe? Pois vamos aos fatos.

    No início de 2021 acaba o auxílio, o desemprego avança, os estados não vão ter dinheiro para pagar seus funcionários civis e militares, a inflação aumenta, a epidemia também, a vacina não chega a todos e a resiliência do BOZO vai para o saco. Quem estiver na presidência da câmara, independente do bloco que pertencer começa, a sentir a grita geral, se for um presidente pró bozo demora uns três meses a mais para colocar o impedimento do mesmo! Quem assume? O general de convicções claramente fascistas que colocará ordem na casa (ordem fascista, é claro) e aí a brincadeira acaba e aqueles que chamavam o bozo de fascista vão entender que se algo está ruim ainda pode piorar mais ainda.

    Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

    Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

    Apoie agora