Após bronca de Bolsonaro, Exército prepara novas portarias sobre armas e munições

Especialistas dizem que novas minutas sobre rastreamento apresentam retrocesso e pioram controles ao permitirem regras mais flexíveis

Jornal GGN – O Exército prepara novas versões das portarias sobre as regras de rastreamento de armas de fogo e munições, depois que o presidente Jair Bolsonaro determinou a revogação das portarias com as regras.

Especialistas ouvidos pelo jornal O Globo dizem que as minutas das novas portarias, que foram apresentadas em consulta pública no começo de julho, apresentam retrocessos e pioram o controle sobre marcação, importação e exportação de armas, o que dificulta a resolução de crimes. Já os CACs (colecionadores, atiradores desportivos e caçadores) reclamam de obrigações a usuários de armas que foram mantidas e também do prazo relâmpago da consulta do Exército, que durou apenas seis dias.

Um dos pontos retirados da nova minuta envolve a necessidade de marcação, com um código de rastreamento, de estojos usados com recarga de munição. Os CACs alegaram que essa exigência tornaria a prática de tiro esportivo inviável, pois atiradores costumam reutilizar estojos depois de competições para baratear custos.

A minuta em análise também afrouxou as regras de marcação de armas e de manutenção dos registros de venda por fabricantes, enquanto retirou a necessidade de identificação do nome do importador em armas vindas do exterior.

 

 

Leia Também
Ministro da Justiça retira exigência de identificação de armas da Força Nacional
Com Bolsonaro, PF bate recorde de inquéritos com lei usada na ditadura
ABJD repudia ‘arapongagem’ no governo Bolsonaro contra movimentos antifascistas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Pelo que entendi, nosso exército mostra-se tão insignificante, em termos de regulação, que até um indivíduo que foi expulso por total incompatibilidade com as regras de segurança das Forças se considera e governa como se fosse dono dele, obrigando-o a atender os interesses de todos os seus apoiadores.

    e ainda há quem acredita que facilitar a vida de traficantes de armas, atiradores treinados e caçadores, é para o bem do país

  2. Nassif: a novidade é que agora, quando identificarem munição de uso privado o presunto (normalmente períférico ou contrario aos VerdeSauvas e Milicianos) pagará pela munição, mesmo sabendo que ela chegou de graça das embarcações ancoradas na boquinha do PreSal. A industria matadeira do pico das Agulhas não para de surpreender com suas inovações (políticas, sociais e econômicas). É como diz, em Pindorama a bala tem sempre razão…

  3. E lamentável! Não sou favorável ao mote de que “ordens absurdas não se cumpre”, quando são ditadas por uma hierarquia superior. Porém, nesse espaço entre a ordem e os tramites para a por o projeto em votação, todos os esforços deverão ser tomados para extirpar, de vez, essa perigosíssima ameaça de extinção da Ordem, da Hierarquia, da Democracia da Liberdade, do Estado de Direito e da Liberdade da Nação. Penso que as FA, na figura do Exército Brasileiro, que mantém acelerado o aumento de seu contingente assentado em diversos postos chaves, no governo, estão contribuindo de forma assídua e perigosa para que a ameaça fatal se concretize. Queira aceitar ou não é fato que o exército representa de forma legal, de fé e indiscutível as Forças Armadas Brasileira, no atual governo.

  4. O atual Governo tirando das costas do Cidadão Brasileiro, o peso da Burocracia e Extorsão das Elites do Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista. Com isto voltamos à Liberdade e ao Direito à Defesa e Preservação da Vida. Tremem as Facções Criminosas e Indústria da Bandidolatria preservados e protegidos por 90 anos de NecroPolítica. Finalmente. ” Liberdade, Liberdade…Abra as asas sobre Nós “

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome