Ministro da Justiça retira exigência de identificação de armas da Força Nacional

Elementos de segurança vetados permitiriam, por exemplo, rastrear a origem de armas que tiveram a numeração raspada

© Arquivo/Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro da Justiça de Bolsonaro, André Mendonça, revogou trechos de portaria que exigia que armas dos agentes da Força Nacional tivessem elementos de identificação sigilosa que permitiriam, por exemplo, rastrear a origem de instrumentos que tiveram a numeração raspada. Confira a matéria completa do ConJur, indicação do leitor Antonio Francisco das Neves.

do ConJur
Ministro da Justiça revoga exigência de identificação de armas da Força Nacional

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, decidiu retirar trechos de portaria do ministério que exigia que armas dos agentes da Força Nacional tivessem elementos de identificação sigilosa.

A portaria que teve trechos revogados estabelece os critérios para a compra de pistolas semiautomáticas de calibres 9×19 mm e 40 S&W para a força de segurança.

Os elementos de segurança vetados permitiriam, por exemplo, rastrear a origem de armas que tiveram a numeração raspada. Um deles é um chip que permite a identificação da origem dos armamentos por meio de rádio-frequência.

A exigência dos itens de identificação sigilosa nas armas constava na portaria publicada em 13 de julho deste no Diário Oficial da União. Na quarta-feira (22/7), uma nova portaria revogou os dois itens de identificação sigilosa que estavam previstos.

A decisão do ministro foi questionada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que solicitou explicações de forma oficial ao Ministério da Justiça.

Clique aqui para ler a portaria

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora