Arcebispo de Aparecida condena queimadas, idolatria de autoridades, fake news e feminicídio

"Vamos usar a veste da verdade, não de fake news, não de mentiras, a couraça é nossa justiça. Justiça para ver menos desigualdades sociais", disse Dom Orlando Brantes

Jornal GGN – Na manhã desta segunda (12), durante a missa que celebra o dia da Padroeira na Basílica de Nossa Senhora Aparecida, o arcebispo Dom Orlando Brandes criticou as queimadas no Pantanal, as fake news, a idolatria de “autoridades” que tentam destruir a humanidade e subverter os ensinamentos de Jesus com mentiras, e ainda “exorcizou” o feminicídio e “toda forma de violência”.

Durante o sermão, ele disse: “Não deixai que nosso Brasil se perca nas chamas. O Pai disse assim: Faça-se as árvores e o homem ganancioso disse cortemos as árvores.”

Sem citar nomes, ele falou que a “impunidade é um dos dragões que está voltando”.

“Vamos usar a veste da verdade, não de fake news, não de mentiras, a couraça é nossa justiça, diz Paulo apóstolo. Justiça para ver menos desigualdades sociais. Nas nossas mãos, a espada do espírito para a gente então se despir de tudo que é idolatria. Às vezes idolatramos até pessoas, raças, autoridades. Tomam o lugar de Jesus esses ídolos que nos destroem. Diz Paulo, temos os pés calçados com a paz. Por isso é preciso exorcizar o feminícidio, tudo que é tipo de violência”, afirmou no sermão.

O arcebispo ainda se solidarizou com as famílias de vítimas do novo coronavírus. “É muito luto, é muita lágrima. A não ser que não vivamos no Brasil. É preciso sentir a dor desse povo. Porque órfãos aumentaram, pessoas viúvas estão a sós. Quanta dor, quanto sofrimento.”

A celebração do 12 de outubro na Basílica de Aparecida teve começou às 9h. Por causa da pandemia, a missa foi celebrada com portas fechadas, transmitida pela internet.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora