Bolsonaro pode zerar abono salarial e Farmácia Popular para aumentar Bolsa Família em R$ 50

Bolsonaro quer fazer o Bolsa Família chegar a um total de 24 milhões de famílias - hoje são beneficiárias 14,2 milhões

Jornal GGN – Para aumentar o Bolsa Família em pouco mais de R$ 50 – dos atuais R$ 191 (média por família que recebe) para R$ 247% – o governo Bolsonaro planeja acabar com outros benefícios considerados “ineficientes”, como abono salarial e o programa Farmácia Popular.

Usando o orçamento de outros programas, Bolsonaro quer achatar o Bolsa Família, fazendo o benefício chegar a 24 milhões de famílias – hoje, são beneficiárias 14,2 milhões de famílias.

“Dessa forma, o Orçamento do Bolsa Família, hoje em R$ 30 bilhões, seria substituído por um programa de R$ 52 bilhões. Ou seja, cerca de R$ 22 bilhões a mais”, diz O Globo desta segunda (24).

O orçamento do abono salarial geraria um pouco mais de R$ 20 bilhões para o Renda Brasil. Já o Farmácia Popular, mais R$ 2 bilhões ao ano.

O governo cogita esvaziar o orçamento também do seguro-defeso, benefício pago a pescadores artesanais durante o período de pescas proibidas, entre outros programas.

Leia também:

Tereza Campello: Brasil foi vitorioso nas políticas sociais, mas programas estão em desmonte

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora