Butantan faz registro da Coronavac e Anvisa pede até 10 dias para analisar

Pedido de registro de uso emergencial da Coronavac é o primeiro recebido pela Anvisa na pandemia. Imunizante tem 100% de eficácia em casos graves

Jornal GGN – O Instituto Butantan confirmou que pediu à Anvisa o registro emergencial de uso da vacina Coronavac, desenvolvida pela chinesa Sinovac, nesta sexta (8). A Anvisa pediu até 10 dias para fazer a análise, mas a expectativa no instituto paulista é de que a resposta saia em intervalo menor.

Na quinta (7), o Butantan anunciou que a vacina contra o novo coronavírus da Sinovac apresentou 78% de eficácia em casos leves e moderados na fase 3 de testes clínicos no Brasil. O imunizante ainda teve eficácia de 100% em casos graves, que exigem internação. O anúncio foi considerado uma vitória por cientistas e gestores públicos.

Apesar da guerra da vacina encampada pessoalmente por Jair Bolsonaro em afronta ao governador João Doria, seu desafeto político, a Coronavac é a primeira vacina a pedir registro de uso no Brasil à Anvisa. É esperado que a Fiocruz peça o registro para a vacina de Oxford também nesta sexta, diz a Folha de S. Paulo.

Ainda na quinta, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, assinou contrato de compra de 100 milhões de doses da Coronavac. As primeiras 46 milhões de doses serão entregues até abril, e o restante, 54 milhões, no decorrer do ano.

Segundo o Butantan, o contrato com a União não impede que o governo de São Paulo inicie o calendário de imunização em 25 de janeiro, conforme planejado.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora