Capítulo 15 do livro de Janot, a comprovação da partidarização da Lava Jato, por Luis Nassif

Na reunião teria havido o bate-boca. Janot teria se recusado a atender o pedido e Dallagnol o acusou de estar interferindo no trabalho da Lava Jato.

Até a delação da JBS, o Procurador Geral da República Rodrigo Janot era coadjuvante na Lava Jato, permanentemente sujeito às pressões do grupo de Curitiba, ameaçando com o tacape da mídia. Com a delação da JBS, Rodrigo Janot ganhou protagonismo e munição para cooptar a cobertura.

Esse preâmbulo explica o episódio a seguir, narrado no Capítulo 15, e que expõe definitivamente o viés político da operação.

Em setembro de 2016, um grupo de Curitiba foi visitar Janot. Era composto por Deltan Darlagnol, Januário Paludo, Roberto Pozzobon, Antônio Carlos Welter e Júlio Carlos Motta Noronha.

Queriam que ele invertesse a pauta e apresentasse a denúncia contra Lula por organização criminosa no caso do triplex – julgamento central para tirar Lula da disputa presidencial.

Janot tinha quatro denúncias para apresentar, duas contra o PMDB, uma contra o PT e outra contra o PP. O critério era simples: as denúncias seriam apresentadas de acordo com o estágio em que se encontravam. As mais adiantadas eram contra o PP e o PMDB da Câmara. Depois viriam as do PT e do PMDB no Senado.

Dallagnol pediu para que a ordem das denúncias fosse invertida, para que a do PT entrasse primeiro. Janot teria indagado qual o motivo para inverter a ordem. Paludo explicou que, sem a denúncia, as denúncias da Lava Jato contra Lula, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ficaria a descoberto. Por lei, a acusação por lavagem de dinheiro exige a apresentação do chamado crime antecedente. No caso, seria a acusação de organização criminosa. Teria que acusar Lula e outros membros do PT, com foro no Supremo, para dar lastro à acusação de Moro.

Ora, o inquérito sobre organização criminosa corria no Supremo. Na fase inicial das investigações, o Ministro Teori Zavascki permitira à Lava Jato de Curitiba compartilhar documentos do inquérito, mas não poderiam tratar de organização criminosa, para não se sobrepor à do Supremo. Dallagnol atropelou a decisão e, na famosa apresentação do Power Point,  acusou Lula de ser o “grande general”, o “comandante máximo da organização criminosa”. Agora, precisavam do endosso da denúncia junto ao Supremo, para poder avançar nas suas próprias denúncias.

Leia também:  Fora de Pauta

Na reunião teria havido o bate-boca. Janot teria se recusado a atender o pedido e Dallagnol o acusou de estar interferindo no trabalho da Lava Jato.

A reunião terminou sem que Janot tivesse cedido. Segundo ele, “fiz as denúncias conforme os critérios estabelecidos inicialmente”. A denúncia de organização criminosa foi feita um ano depois.

O capítulo demonstra, de forma definitiva, o caráter político da Lava Jato de Curitiba. Somam-se outros episódios barrados no livro, como a estratégia de analisar “horizontalmente” as delações de Paulo Roberto Costa e Jorge Zelada, evitando se aprofundar nos casos, para não dispersar energia do objetivo final: a denúncia contra Lula e a participação direta no jogo político.

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Quantas vezes vai ser necessário “expor definitivamente o viés politico”? Quantas máscaras terão de cair? Pouco importa…

    Tirando a fascistada – e uma parte da trouxinhada que foi envolvida, seduzida e vestiu a camisa do fascismo – as facções judiciárias seguem seus posicionamentos com clareza. Ninguém no supremo ignora o que aconteceu. Sabem ali que “a esquerrrda” não confia mesmo nesse teatrinho jurídico. Ou seja, um terço já os despreza (alguns membros do supremo nem ligam: “danem-se” devem dizer); outro terço só aceita o antipetismo (tem até um general lá como bedel da corte); o terceiro terço ainda prefere acreditar que se trata de combate aa corrupção, como uma maneira de parecer inteligente diante do assunto. Enfim, o mais provável é que os doutores fiquem com os bolsominions, sigam em frente com o teatrinho do combate aa corrupção e obedeçam ao bedel que foi plantado lá. Assim não perdem mais do que já foi perdido na tentativa de ganhar o que não dá mais pra ser ganho…

    O Direito?! Ah, pega na prateleira uma “doutrina”, uma “jurisprudência” qualquer… Lá na frente, se for o caso, pega outra…E la nave va…

    12
  2. Na verdade, o Janot é um mentiroso contumaz. Ele que acabou sendo o responsável pelo impeachment da Dilma ao acusar quase todos os políticos da base aliada da Dilma e isentar o governo federal de responsabilidade Isso causou uma explosão. Quem é do Rio de Janeiro, deve saber que o Eduardo Cunha estava apoiando a aliança Cabral e Dilma. Depois que o Janot acusou PP e PMDB, ele resolveu aceitar o pedido de impeachment. Depois que apareceu a gravação do Delcídio, aí ele não teve mais como deixar de envolver o governo federal. Não foi essa historinha de subalterno de Curitiba ameaçar o poderoso PGR.

  3. Acredito que o stf mesmo sendo seis a três, vai dizer se que pra Lula, nao vale a decisão. Oi seja, para Lula e o PT, a lei não vale.

  4. O que falta para o Supremo Tribunal Federal anular essa farsa mal ajambrada e dar a Lula ao que lhe é de direito: sua liberdade !

  5. Causa-me espanto algumas opiniões aqui publicadas. Essas opiniões são ricas em conhecimentos políticos, filosófico, sociológicos e, pq não dizer, psiquiátricos. Entretanto,o maucaratismo e as jogadas da extrema direita, da elite política, da elite econômica, da grande mídia, do judiciário, do ministério público e de um bando crápulas é de um profissionalismo tão respeitável (pra não dizer outra coisa)que, mesmo concordando com as honrosas opiniões, me pergunto: já que sabemos onde está a podridão que assola o país, pq não fazemos alguma coisa concreta para impedir que tais golpes aconteçam? somos ingênuos? somos fracos? somos coniventes? conhecer as bestas e não combater as bestas é estar do lado delas.

  6. num estado de exceção em que pretendem
    dar as cartas, um dia essa gente lavajateira definitivamente
    cai do cavalo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome