Caso George Floyd: a brutalidade do estado que só encontra vidas negras

Vídeo mostra homem negro imobilizado com um agente ajoelhado em seu pescoço, enquanto clamava por ajuda

George Floyd | Foto: Twitter/Ruth Richardson

Jornal GGN – A forma brutal como George Floyd, um homem negro de 46 anos, foi assassinado pela polícia da cidade americana de Minneapolis, em Minnesota, ultrapassou as fronteiras dos Estados Unidos e ganhou destaque nas redes sociais de diversos países, incluindo o Brasil. 

Nas imagens que circulam na internet, George Floyd aparece imobilizado no chão de uma rua, enquanto um agente militar branco está ajoelhado em seu pescoço. No vídeo é possível ouvir Floyd clamando por ajuda. “Por favor, eu não consigo respirar, por favor”, dizia a vítima.

Durante a gravação, testemunhas pedem para que o policial saia de cima de Floyd. “Saia do pescoço dele”, disse uma delas. Mas, após cerca de cinco minutos reclamando, a vítima parou de reagir e foi colocada em uma maca, levada por uma ambulância. Segundo as autoridades locais, Floyd chegou ao hospital, mas não resistiu. 

De acordo com a polícia, Floyd era suspeito de crime de falsificação e resistiu a ordem de prisão dos agentes, além de parecer “bêbado” ou “drogado”.

O crime agora é investigado pelo Departamento Federal de Investigação (FBI) dos Estados Unidos. Na terça-feira, 26 de maio, quatro policiais envolvidos foram demitidos.

Na cidade americana, milhares de pessoas protestaram contra a ação da polícia no local onde Floyd foi morto, informou a imprensa local.

Manifestantes protestaram a morte de George Floyd . | Foto: STEPHEN MATUREN/GETTY IMAGES

Já no Twitter, o prefeito de Minneapolis, Jacob Frey, se manifestou sobre o episódio trágico. “Ser negro nos Estados Unidos não deveria ser uma sentença de morte. Por cinco minutos, assistimos a um agente branco pressionar seu joelho contra o pescoço de um homem negro. Cinco minutos.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Thamea Danelon, da Lava Jato em SP, palestrou para agentes do FBI em 2016

5 comentários

    • Sim, Laerte.

      George Floyd, um homem negro de 46 anos, foi brutalmente assassinado pela polícia da cidade americana de Minneapolis, em Minnesota.

  1. Dreadlocks, the Time is now
    (The Gladiators)

    Dreadlocks, the time is now

    I had a vision last night
    That I was walking on a street of gold
    The street that I saw
    Is where I and I should have been
    So let’s unite and stand up and fight for our rights

    Dreadlocks, the time is now
    Stand up fight for your rights
    Or you ain’t gonna get your culture, Man
    Roots Natty, don’t give up – hold on

    If I am wrong
    Be not afraid to say so
    Is there any difference between the human race?
    We are all of one skin
    Same blood, same soul
    But there are some who think
    Dreadlocks don’t count

    Dreadlocks, the time is now…

  2. É “isso”, aquela sociedade estrangeira, que uns brasileiros aí admiram e querem imitar, tomar como modelo e exemplo?! Não poderia ser mais eloquente a prova de que ter dinheiro e ser civilizado não combinam obrigatoriamente.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome