CNMP já arquiva investigação contra Dallagnol por vazamentos do Intercept

Corregedor comprou a versão de Moro e dos procuradores, de que as mensagens são fruto de uma captação ilegal e podem ter sido adulteradas

Foto: Geraldo Bubniak/AGB

Jornal GGN – O corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel, arquivou na quinta-feira (27) o processo administrativo disciplinar contra Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, e outros procuradores citados em reportagens do site Intercept Brasil.

O site de Glenn Greenwald vazou mensagens de Telegram que mostram que os procuradores eram praticamente chefiados por Sergio Moro no processo envolvendo o ex-presidente Lula.

O corregedor, por outro lado, comprou a versão de Moro e dos procuradores, de que as mensagens são fruto de uma captação ilegal e que podem ter sido adulteradas. Rochadel assinalou ainda que mesmo que os diálogos divulgados sejam autênticos, ele não vislumbra falhas na conduta dos procuradores.

“Por todo o exposto e em face da inexistência de elementos de prova (mensagens que, se existentes, foram obtidas de forma ilícita) ou mesmo pela inexistência de ilícito funcional nas mensagens, se fossem consideradas, impõe-se o arquivamento”, escreveu o corregedor nacional.

Ao CNMP, os procuradores escreveram: “Não é demais afirmar ser absolutamente impossível reconhecer ou mesmo aferir a autenticidade de supostas mensagens mencionadas nas notícias jornalísticas, por terem origem ilícita. Essa contaminação originária inviabiliza, também no nascedouro, a pretensão constante destas reclamações.”

O processo havia sido apresentado pelos conselheiros do CNMP Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho, Gustavo do Vale Rocha, Leonardo Accioly da Silva e Erick Venâncio Lima do Nascimento, no dia 10 de junho, 1 dia após as primeiras revelações do Intercerpt.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora