Como a França e a Inglaterra trataram o escândalo da sua Petrobras, por Luis Nassif

Vamos a uma pequena comparação sobre as diferenças de estilo de países civilizados e países primários, no tratamento dos escândalos de suas empresas estratégicas.

Vamos a uma pequena comparação sobre as diferenças de estilo de países civilizados e países primários, no tratamento dos escândalos de suas empresas estratégicas.

Por longo tempo, a Airbus usou intermediários em suas vendas internacionais. Foi condenada a uma multa de 3,6 bilhões de euros por reguladores do Reino Unido, França e EUA.

O regulador britânico negociou um acordo com a Airbus. Nesse acordo, as empresas podem evitar denúncias criminais se admitirem as irregularidades, revisarem os seus negócios e pagarem a multa. Nos mesmos moldes do acordo do Departamento de Justiça americano com a Petrobras.

Para chegar ao acordo, a empresa mudou o seu quadro de executivos, substituindo por uma equipe nova. Revisou sua política de compliance e reduziu o número de intermediários na venda de aviões.

Esses mesmos procedimentos foram adotados por outras empresas denunciadas por corrupção no Reino Unido, como o Standard Bank, Sarclad, Rolls-Royce, Tesco, Serco e Güralp Systems.

Qual a diferença do Brasil?

Em nenhum caso, procuradores britânicos e franceses, para promoção pessoal, saíram pelo mundo alardeando que seus países eram os mais corruptos do planeta. Nem se valeram dos escândalos para jogadas políticas. Nem induziram ao desmonte das suas empresas, porque sabem eles que uma de suas missões é a defesa do interesse nacional.

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Wajngarten ganhou aditivo da Igreja Universal após assumir Secom

6 comentários

  1. Mas com milhões de dólares em bancos americanos, livres da justiça do Departamento de Estado, fazem e acontecem.

  2. A mesma AIRBUS que construiu o MICO BILIONÁRIO chamado A 380? A Aeronave que ninguém quer, sem Mercado algum, com Projetos e Fábricas que serão todos desativados? Não pela mesma causa, mas com as mesmas consequências do MICO Assassino da Boeing, as Linhas 737 como os MAX? Estas Nações defendem suas Fábricas, suas Marcas, seus Empregos? Gente Atrasada !! Nunca chegarão ao nível de Desenvolvimento e Industrialização do Brasil !!

  3. Perfeita a lembrança, “MAS NÃO PRECISA BEM IR TÃO LONGE”. – Veja o caso da NISSAN RENAULT, que assim “””””COMO TODAS EMPRESAS DO MUNDO E ATÉ MESMO DAQUI FO BRASIL”””, agiu de forma discreta: “””””FEZ SUA PRÓPRIA APURAÇÃO INTERNA””””, em uma auditoria “””CONSTATOU O ROUBO, cometido segundo as empresas, POR UM BRASILEIRO que as presidia; e somente depois PASSOU O CASO PRA JUSTIÇA, que por sua vez também CONDUZIU O CASO EM SIGILO E SOMENTE AO FINAL DO PROCESSO O CASO SE TORNOU PUBLICO E CHEGOU ATÉ A MÍDIA””. Mas aqui no caso da PETROBRAS, “””FOI FEITO TUDO AO CONTRÁRIO: O MORO, FUNCIONÁRIO DO POVO BRASILEIRO, JOGOU IMEDIATAMENTE NA MIDIA.”” – E aí cabe também duas perguntas: COMO O JUIZ MORO SOUBE DA CORRUPÇÃO DA PETROBRAS (antes ou depois da Petrobrás saber da corrupção?)? E, POR QUE AO SABER, NÃO PRESERVOU O SIGILO PARA A INVESTIGAÇÃO, preferindo tornar publico? – Essas perguntas já seriam suficientes para ENTENDER QUE o MORO PREJUDICOU A EMPRESA QUE PERTENCE AO PAÍS; e AS PALESTRAS PELO BRASIL E PELO MUNDO EM QUE O MORO APRESENTAVA O PETROLAO COMO A MAIOR CORRUPÇÃO DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE; NÃO DEIXAM DUVIDAS DE QUE O OBJETIVO DO MORO ERA ATACAR O GOVERNO DILMA, USANDO ATÉ MESMO O PODER JUDICIÁRIO PRA ISSO.

  4. Nem se pode dizer que foi Moro que destruiu a Petrobras e a construção civil: ele é pau mandado de quem orquestrou nossa destruição como país avançado: foi o departamento de estado americano, o verdadeiro patrão de Moro, esse moderno Joaquim Silvério dos Reis.

  5. Sim, tomara que todo jovem brasileiro chegue a essa constatação e não se deixe mais iludir. O BRASIL sempre foi alvo da banca anglozionianque com seus olhos e dentes arreganhados pela cupidez. Assim os brasileiros estão condenados a viverem na miséria, eternamente, apesar de estarem sentados no meio das maiores riquezas terrenas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome