Consultoria que contratou Moro fez prova de que Lula nunca foi dono do triplex

Defesa juntou documentos aos autos do processo, mas Moro, enquanto juiz, ignorou tudo e condenou Lula

Jornal GGN – Sergio Moro agora trabalha para a consultoria americana que ajudou a defesa de Lula a provar que o triplex no Guarujá jamais pertenceu ou seria repassado ao ex-presidente sem a devida formalização da venda feita pela OAS.

Nesta quarta (2), o jornalista Reinaldo Azevedo resgatou dois documentos que a consultoria Alvarez & Marsal produziu para a OAS e que foram usados durante o caso triplex.

“Em uma petição enviada ao então juiz Sérgio Moro no dia 19 de abril de 2017, a defesa de Lula exibia dois documentos demonstrando que o tal tríplex de Guarujá não pertencia ao ex-presidente. Era, na verdade, propriedade da OAS. E quem é que listava o imóvel como patrimônio da empreiteira? Ninguém menos do que a Alvarez & Marsal, empresa de que Moro agora é sócio honrado e acima de qualquer suspeita”, escreveu Azevedo.

Detentora do triplex, a OAS, aliás, entregou os direitos financeiros sobre a propriedade à Caixa Econômica Federal. Sem que um pagamento fosse feito na conta corrente indicada pela Caixa, o apartamento jamais seria utilizado por quem quer que fosse.

Ao longo do caso triplex, Lula admitiu que a ex-companheira Marisa Letícia manifestou interesse em trocar sua cota no condomínio Solaris pelo apartamento reformado pela OAS quando a Bancoop abriu mão de concluir o empreendimento. O casal chegou a fazer visitas e a OAS alega que adaptou o imóvel para agradar Lula. Mas o ex-presidente afirmou que decidiu não comprar o apartamento.

Para sair da prisão, Leo Pinheiro, sócio da OAS, disse a Moro o que a Lava Jato queria ouvir: que o triplex seria dado a Lula como vantagem indevida por contratos com a Petrobras. A conexão com a empreiteira não ficou provada e, além disso, quem tinha contrato com a Petrobras era a OAS Construtora, que nada tem a ver com a OAS Empreendimentos, responsável pela conclusão do condomínio Solaris e reforma do triplex.

Apesar da prova contundente de que Lula jamais poderia ter usufruído do triplex da OAS sem comprá-lo, já que pertencia de fato à Caixa, Moro ignorou a evidência e condenou o ex-presidente a partir de notícias de jornais que criaram a narrativa de que ele era o dono do imóvel, e de delações premiadas com base em “ouvi dizer”.

Agora, ironicamente, Moro trabalha para a consultoria que provou uma tese contrária à sua sentença. Azevedo conclui seu artigo com uma pergunta: “será que, hoje, Moro acredita na palavra da empresa de que ele é sócio diretor? Ou ainda: será que, agora como empresário com ganhos milionários, ele espera que juízes façam como ele fez e ignorem o que certifica a A&M?”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. parece evidente que o camisa preta do Paraná fez uma carteira oculta de clientes através de uma empresa terceirizada e,agora,de forma descarada,foi buscar seu tutu.
    É preciso exigir uma prisão preventiva para esse sujeito antes dele fugir do país.Ele tem muita coisa a explicar.

  2. hoje soa como piada afirmar que o triplex era do Lula….só sei que o Moro, EUa, Dalhanhol et caterva ganharam muitos triplex com esse processo cujo objetivo era dar o golpe e destruir o Brasil

  3. Duvidas e varias coincidências…
    Saindo um pouco do tema principal da noticia mas pela boa causa…

    Começo com a dúvida:Em caso de recuperação judicial quem decide quem vai cuidar do caso ? A empresa, os credores ou o juiz da causa? Comum acordo?
    Realmente eu não sei, se alguém souber fique a vontade.
    As coincidências:
    A primeira é que a tal de Alvarez & Marsal tem como clientes não somente a Odebrecht e OAS mas também a Queiroz Galvão e da Sete Brasil, todas devidamente detonadas pela lavajato…Eu não afirmo nada mas que é estranhíssimo esses quatro ex-mastodontes terem o mesmo “escritório de advocacia”/consultoria ou seja la o que for esse trem…Não tem nenhum similar Brasileiro para fazer esse trabalho? Os caras devem ser super competentes quase mágicos… Escritório este Made in USA, e repleto de ex-FBI e DOJ, turminha essa que tem a torcida organizada e o fan clube da lavajato…deve ser coincidência imagino…De repente cai no colo da Alvarez & Marsal esses quatro “carne de primeira”, verdadeiro filé mignon , assim do nada, sem que ninguém soprasse na orelha dos donos das empresas e dos credores o nome mágico:Alvarez & Marsal…Sabendo da simpatia e apoio à lavajato do “alto da pirâmide” do judiciario, cantado em verso e prosa pelo integrantes da lavajato nos inesquecíveis “Aha uhu o Fachin é nosso” e “In Fux we trust” dito-escrito pelo “heroico” marreco(outra coincidência:e so trocar o Fux por God e temos a frase do dollar americano…nesse caso talvez não seja coincidência mas “ato falho” do marreco…)seria bacana saber o juiz ou juízes que estão levando esses casos de recuperação judicial das quatro empresas…Se por um acaso do destino não seriam “gente amiga” da turma da lavajato…Não sei não, mas só olhando-cheirando essa parada de longe, tenho a impressão que o trafico de influencia e compadrio ta comendo solto..

  4. Da ponte prá cá, a coisa é totalmente diferente:

    “Confissão Surda

    Padre confessando o sacristão:
    – Contou tudo direitinho, meu filho?
    – Tudo, padre.
    – Tem certeza?
    – Tenho, padre.
    – Acho que não contou, não. Me diz aí: quem é que anda roubando o vinho da sacristia?
    – Quer repetir, seu padre?
    – Quem anda roubando o vinho da sacristia?
    – Repete, padre, por favor. Não estou ouvindo nada.
    O padre repetiu um montão de vezes e o sacristão nada. Até que o sacristão falou:
    – Sabe o que é, seu padre, de repente, aqui de fora não está dando pra escutar nada. Passa pro lado de cá pro senhor ver.
    O padre saiu do confessionário e trocou de lugar com o sacristão.
    Ai, o sacristão pergunta lá de dentro:
    – Senhor padre, quem é que anda pulando a janela da casa da mulher do delegado?
    E o padre:
    – Você tem razão, meu filho. Daqui de fora não se ouve nada mesmo”.

  5. My god, de novo a história de que o imóvel não é dele porque não foi registrado em nome dele? Tem gente que deve achar que ocultação de patrimônio é registrar o imóvel no cartório no nome do sujeito e depois esconder o documento.

    • Puxa, Degas, como você é esperto.
      Eu fico imaginando você explicando pros seus amigos, ou seus filhos, sei lá, o que é “ocultação de patrimônio”:
      – Pois é, a situação é a seguinte: o companheiro Lula chega pros companheiros filhos e netos e diz: ‘Companheiros filhos, companheiros netos, a gente vai ter que continuar morando aqui nesse apartamento fubeco por mais algumas décadas, até que essa história toda aí do tiplex seja esquecida. Depois, a gente vai poder desfrutar do tiplex e dos nossos bilhões.’ ‘Mas, companheiro pai, o senhor já tem 75 anos! O senhor vai morrer sem desfrutar de nada!’ ‘Paciência, companheiro filho, mas se a gente se mudar pro nosso luxuosíssimo tiplex agora, as pessoas vão dizer: tá vendo?! Era ladrão, mesmo! O tiplex era dele!’

      Já que você é o degas, Degas, me diga uma coisa: o Lula é o maior ladrão de todos os tempos – já que ninguém consegue uma prova contra ele – ou é o ladrão mais burro de todos os tempos – já que é o único ladrão da história da humanidade que não desfruta do que roubou?

    • Eu gostaria que você mostrasse um caso, só um, de alguém que ocultou patrimônio usando um imóvel em nome de uma empresa. Claro, desde que ele não seja o dono da empresa. Ou será que Lula é o dono da OAS que está em nome de outros para continuar ocultando patrimônio. Ou será que tem muitos ocultando patrimônio usando imóveis em nome de outros mas nunca foram descobertos, só o Lula.

    • Alguem que escreve esta bobagem na altura do campeonato só pode ser classificado de hipócrita ou cafajeste. Beba desta água um dia, com todos os poderes podres da república contra você e venha novamente escrever esta palhaçada

  6. A propósito, a nota pública da empresa que contratou Sérgio Moro destacou nele, antes de tudo e como fundamento da contratação, tratar-se de “especialista em liderar investigações anticorrupção complexas e de alto perfil”. E nós que achávamos que ele houvera sido ali magistrado, e não investigador, e nem líder de investigações do MPF! – (parte do texto: pequeno desabafo do Dr. Nilo Batista, publicado no Migalhas)
    Sergio Moro precisa ser preso imediatamente e esperar que seu advogado apresente sua delação premiada.
    Mas, como será essa delação premiada para ser aceita? Seu advogado terá que delatar o departamento de justiça dos estados unidos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome