Coronavírus: Estado de São Paulo fará reabertura em fases a partir de 1º de junho

A Grande São Paulo e outras localidades destacadas em vermelho na mapa estão em situação mais crítica e deverão esperar até o dia 15 de junho

Jornal GGN – O governador João Doria anunciou nesta quarta (27) que a reabertura gradual de setores da economia paulista que suspenderam as atividades por conta do coronavírus começará a sair do papel a partir de 1º de junho.

A flexibilização será faseada e dependerá das condições da pandemia em cada região. Serão considerados a evolução de novos casos e óbitos por covid-19, além da estabilidade de atendimento nos hospitais. Já as medidas sanitárias, como uso obrigatório de máscaras e distanciamento social, serão mantidas em todo o Estado por tempo indeterminado.

A Grande São Paulo e outras localidades destacadas em vermelho na mapa acima estão em situação mais crítica, concentrando o maior número de casos, e deverão esperar até o dia 15 de junho para iniciar as discussões sobre a flexibilização com o setor privado.

Apesar de estar com cerca de 85% dos leitos em hospitais ocupados com casos de coronavírus, a capital de São Paulo está na fase 2 (laranja) de controle e poderá começar a receber pedidos de reabertura de comércios e serviços a partir do dia 1º de junho, migrando então para a fase 3 (amarelo).

O prefeito Bruno Covas explicou as empresas poderão encaminhar pedido de reabertura com um termo de compromisso contendo o protocolo de segurança e medidas sanitárias que serão seguidos nos estabelecimentos físicos. A agência de vigilância em saúde do município deverá acompanhar o processo e autorizar a reabertura ao longo de junho.

Para estabelecer o nível em que cada região está e para qual fase poderá migrar, o Estado foi dividido de acordo com o número de delegacias regionais de saúde. Nas próximas semanas, haverá um esforço para subdividir a região da Grande São Paulo, explicou o vide-governador Rodrigo Garcia.

É esperado que, a partir da fase 3, shoppings centers e outros grandes estabelecimentos comerciais sejam autorizados a operar com capacidade de atendimento reduzida a 20%, medidas de segurança (afastamento e máscara) e horário reduzido.

Leia também:  Coronavírus: Brasil perde 1.264 vidas nas últimas 24 horas

Nos próximos dias, o governo do Estado deve detalhar o plano de reabertura de escolas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. A PF já mostra para que interessa inflar a HISTERIA e CAOS com Gripezinha que não ataca a miserável Africa, nem os superpopulosos países do Sudoeste Asiático.Quanta consideração deste Vírus?!!! Ou é aversão ao Terceiro Mundo?!! Sabemos Italia e Espanha é todo Mundo !!! Mas até MG não entra nesta farsa e histeria !! Achamos a cura !!! Pãozinho de Queijo no vírus !!!! Enquanto isto Dória, Covas e Witzel fazem o que a Elite da Velha NecroPolítica faz há 90 anos replicados em 4 décadas de farsante Redemocracia. Roubam, achacam, extorquem , destroem, assaltam os Bolsos dos Brasileiros !!! Está sendo tudo comprovado em corrupção e superfaturamentos. Conheceis a Verdade. E a Verdade Vos Libertará.

    1
    5
  2. Q absurdo,liberar o contágio por um vírus de LETALIDADE de menos 10%,melhor parar a economia e se o povo for morrer q morra de fome,vidas sempre em primeiro lugar !!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome