Da ditadura hedionda do Ministério Público Federal

…da ditadura hedionda do Ministério Público Federal…

Reinaldo Azevedo, muito justificadamente, é detestado pelos brasileiros que respeitam a democracia, a civilidade nos debates ideológicos, o respeito às pessoas e políticos, e falo aqui do respeito mais elementar, o humano, de tratar a todos com equidade, como por exemplo, no direito à presunção de inocência, no direito pleno à cidadania e proteção da Lei. Todas essas coisas ele pisoteou por anos, incitando a sociedade ao ódio e nojo a Lula, Dilma, petistas em geral, e todo e qualquer um que fosse por ele visto como um inimigo, jamais um adversário.
E mesmo assim, vi inúmeros posts de amigos de esquerda deplorando o CRIME contra ele cometido, e uno minha voz à dessas pessoas.
O PGR vazou propositalmente uma gravação que não tinha relação alguma com crimes investigados, era uma conversa PRIVADA, ainda que inadequada, entre um jornalista e uma de suas fontes, e a lei é clara, toda gravação que não tem relação direta com crimes investigados na ação, DEVE SER DESTRUÍDA.
Moro, Janot, policiais da Polícia federal, SISTEMATICAMENTE fazem esse jogo sujo, perverso, de jogar ao país inteiro o teor de conversas em que as pessoas se sentiam seguras de sua PRIVACIDADE, um dos direitos mais sagrados de um ser humano, um CIDADÃO!
Todos nos soltamos quando estamos a sós com uma pessoa em quem confiamos. Quantas vezes não falamos bobagens, que depois nos arrependemos, um desabafo contra um ser querido, por exemplo, uma ofensa a alguém numa hora de raiva, que jamais explicitaremos, porque sabemos ter sido apenas um rompante, uma ideia tola que expomos apenas de bobeira, tantas coisas, tantas falas que queremos sigilosas, imaginem tudo isso vindo à luz, e deixando nuas as pessoas envolvidas naquela conversa ÍNTIMA?
Isso é a barbárie absoluta, é perverso, é ODIOSO!!!!
Como fez Moro, de modo canalha, expondo dona Marisa, mulher de Lula, em conversas íntimas com seu filho, em momentos de revolta, dor e desespero, só para achincalhar a mulher do home a quem odeia.
Ao fazer vista grossa para esse hábito, o Supremo, o Conselho Superior do Ministério Público tornam-se cúmplices do Estado de Exceção, de um crime continuado e intolerável.
Responsabilidade DIRETA também, dos brasileiros que celebram, quando o crime é cometido contra os que tratam como seus inimigos.
Isso é, na essência, o FASCISMO. Atitudes autoritárias, desprovidas de legalidade, visando CALAR todos os que se atrevam a falar contra o poder vigente.
O detestável Reinaldo Azevedo, é um cidadão brasileiro. É uma lástima, um horror, a violência de que foi vítima.
Só tolos que não respeitam a cidadania, os direitos fundamentais de todo homem, comemoram.

(eduardo ramos)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora