Eleições 2020: A batalha pela Prefeitura nas principais capitais

BH, Salvador e Curitiba podem ter vitória no 1º turno. O bolsonarista Capitão Wagner deve conseguir uma vaga no 2º turno em Fortaleza. Disputas em SP e Rio são as mais acirradas. Marília Arraes deve ir ao 2º turno em Recife com João Campos, segundo o Ibope

Jornal GGN – Os brasileiros vão às urnas neste domingo (15/22) para eleger os próximos mandatários nas Prefeituras e os vereadores das Câmaras Municipais Brasil afora. O GGN resume quem são os favoritos ao Paço nos principais colégios eleitorais do País.

Pelos dados das pesquisas Ibope e Datafolha publicados no sábado (14), véspera de eleição, Belo Horizonte, Salvador e Curitiba podem concluir a corrida já no 1º turno. Capitão Wagner deve conseguir uma vaga no 2º turno em Fortaleza, única cidade entre os principais colégios eleitorais onde um candidato declaradamente bolsonarista não empacou nas sondagens. Disputas em São Paulo e Rio de Janeiro são as mais acirradas, com indefinição sobre quem disputará o segundo turno com Bruno Covas e Eduardo Paes, respectivamente. Marília Arraes deve ir ao 2º turno em Recife contra João Campos, segundo o Ibope.

Confira o resumo abaixo:

SÃO PAULO. A julgar pela pesquisa Datafolha da véspera da eleição, o prefeito da capital Bruno Covas (PSDB), com 37% dos votos válidos, deve ir ao segundo turno. A disputa pelo segundo lugar está embolada entre Guilherme Boulos (PSOL), com 17% , Marcio França (PSB), com 14% e Celso Russomanno (Republicanos), com 13%. Boulos tem vantagem diante da trajetória de queda de Russomanno e da curva de França, que não ascendeu nos últimos dias. Apoiado por Jair Bolsonaro, Russomanno é o candidato mais rejeitado de todos (50% não votariam nele de jeito nenhum). Covas tem 25% de rejeição e Boulos, 24%. No segundo turno, Covas vence todos os candidatos, sendo que França é o que tem menor diferença de placar no momento: seria 51% para o tucano contra 36% do pessebista. O candidato do PT, Jilmar Tatto, tem 6% dos votos válidos, atrás ainda do candidato do Patriotas, Arthur do Val. A margem de erro é de 2 pontos.

RIO DE JANEIRO. A disputa no Rio pode ir ao segundo turno com Eduardo Paes (DEM) contra Marcelo Crivella (Republicanos). Segundo o Datafolha, Crivella se isolou no segundo lugar, com 18% dos votos válidos. A delegada Martha Rocha (PDT) caiu dentro da margem de erro nos últimos dias da campanha e está com 13% dos votos válidos. Benedita da Silva (PT) começou a campanha com 11% e terminou com 10% dos votos válidos. Paes lidera com 40% dos votos válidos. Apoiado por Bolsonaro, Crivella é o mais rejeitado: 62% dizem que não votariam nele de jeito nenhum. Em Paes, 32% se negam a votar. No segundo turno, Paes tem 57% dos votos contra 22% de Crivella e 20% de brancos, nulos e nenhum.

Já no Ibope da véspera, Paes tem 41% dos votos válidos. Crivella, Martha e Benedita estão tecnicamente empatados por conta da margem de erro, que é de três pontos mais ou para menos. Crivella tem 16%; Benedita, 13% e Martha, 11%.

RECIFE. O deputado federal João Campos (PSB) lidera com 34% dos votos válidos, que excluem brancos, nulos e indecisos. Disputam o segundo lugar a deputada federal Marília Arraes (PT), com 25%, e o ex-ministro Mendonça Filho (DEM), que tem 23% no Datafolha. Eles estão tecnicamente empatados. Em queda, a delegada Patrícia Domingos (Podemos) aparece com 13% dos votos válidos. Apoiada por Bolsonaro, Patrícia é a mais rejeitada dos candidatos. Disseram que não votariam nela de jeito nenhum 46% dos entrevistados. Num eventual segundo turno, Campos teria 41% dos votos contra 35% de Arraes. Já contra Mendonça Filho, Campos teria 48% e o democrata, 37%. A maior vantagem é sobre delegada Patrícia: 53% contra 29%.

No Ibope, a chance de Marília Arraes ir ao segundo turno é maior. Considerando os votos válidos, João Campos tem 39% dos votos válidos, Marília tem 26%, Mendonça 18% e Patrícia, 14%.

BELO HORIZONTE: Na capital mineira, segundo o Datafolha da véspera, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) tem 69% dos votos válidos e deve ser reeleito no primeiro turno. João Vitor Zavier (Cidadania) tem 11% dos votos válidos. No levantamento anterior, Kalil tinha 71% dos votos válidos. Na espontânea, Kalil lidera com 54%. Em BH, o candidato mais rejeitado é o do PT, Nilmária Miranda: 32% dizem que não votariam nele de jeito nenhum. O petista tem 2% dos votos válidos. Kalil é rejeitado por 16%.

IBOPE

PORTO ALEGRE: A candidata do PCdoB Manuela D’Ávila está isolada na liderança com 40% dos votos válidos. Ela pode disputar o segundo turno com Sebastião Melo, do MDB, que tem 25% dos votos válidos. Marchezan Júnior, do PSDB, tem 17% dos votos válidos. A candidata do PDT, Juliana Brizola, tem 7% e Fernanda Melchionna, do PSOL, tem 3%.

SALVADOR. Na capital da Bahia, a tendência, segundo o Ibope da véspera de eleição, é de vitória no primeiro turno do candidato Bruno Reis (DEM), com 66% dos votos válidos na pesquisa. Ele tem entre 63% a 69% com a margem de erro. Para ser eleito no primeiro turno, é preciso ter mais de 50% dos votos válidos. A aposta do PT, Major Denice, marcou 17% dos votos válidos no Ibope. Com margem de erro, ela pode chegar a 20%.

FORTALEZA. Na capital do Ceará, estado de Ciro Gomes, o candidato do PDT, Sarto, está na frente com 32% dos votos válidos. O bolsonarista Capitão Wagner, do PROS, tem 30%. Ambos estão empatados na margem de erro, de 3 pontos para mais ou menos. Luizianne Lins, do PT, tem 20% dos votos válidos.

CURITIBA. Em Curitiba. Rafael Greca (DEM) tem 56% dos votos válidos e pode levar no primeiro turno. Goura, do PDT, tem 11%. Francischini, 8%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora