Em depoimento, Moro se diz “intimidado” por acusação de calúnia contra Bolsonaro

No Twitter, blogueiros bolsonaristas especularam que Moro entregou meses de conversas gravadas com Jair Bolsonaro à PF

Jornal GGN – O ex-ministro Sergio Moro começou a audiência na Polícia Federal de Curitiba, no sábado (2), afirmando que se sentiu “intimidado” porque a Procuradoria-Geral da República anotou que ele deve responder pelo crime de calúnia caso não consiga provar as acusações que fez contra o presidente Jair Bolsonaro.

Segundo informações do jornalismo da TV Band, o procurador-geral da República Augusto Aras respondeu que não era sua intenção “intimidar” Moro.

O ex-juiz da Lava Jato desembarcou do governo Bolsonaro após 16 meses de parceria. Entre outras acusações, Moro afirmou que Bolsonaro tenta interferir em cargos estratégicos da Polícia Federal para obter informações privilegiadas de inquéritos em andamento.

A PGR, com autorização da Suprema Corte, abriu inquérito para colher provas das acusações de Moro. O primeiro depoimento, no sábado (2), na sede da PF de Curitiba, passou das seis horas de duração.

No Twitter, blogueiros bolsonaristas especularam que Moro entregou meses de conversas gravadas com Jair Bolsonaro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora