Entregadores de aplicativos retomam protestos, neste sábado (25)

Diante do silêncio das operadoras, motoboys e ciclistas pedem para que a população não faça nenhum pedido pelos aplicativos neste sábado

Entregadores em protesto no Centro do Rio de Janeiro. | Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Jornal GGN – Entregadores por aplicativos se unem para tomar as ruas das metrópoles brasileiras neste sábado, 25 de julho. Diante do silêncio das operadoras, este segundo ato reivindica condições humanas de trabalho, como segurança e preço justo pelas entregas. 

A primeira manifestação, em 1 de julho, ganhou visibilidade nas redes sociais com a hashtag “#BrequeDosApps” e fez com que, inclusive, as operadoras como Rappi, Ifood, Loggi e Uber Eats mudassem suas estratégias de comunicação. 

No entanto, desde a primeira paralisação, as empresas não negociaram nenhuma das reivindicações. Por isso, neste sábado, os trabalhadores voltam às ruas e pedem para que a população não faça nenhum pedido pelos aplicativos. 

Entre as pautas do movimento está o pedido de aumento do valor mínimo por entrega e quilômetro rodado, o fim de bloqueios sem justificativa, auxílio para os trabalhadores que se contaminarem pela Covid-19 ou se acidentarem, além de suporte para conserto dos veículos utilizados nas entregas.

A maior concentração do protesto acontece em São Paulo e Rio de Janeiro, mas outras capitais também compõe o movimento. Os organizadores afirmam que não têm relação com sindicatos e partidos políticos, mas entidades como SindimotoSP abraçam a luta. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora