Equipe do Estadão apanha de bolsonaristas no Dia da Liberdade de Imprensa

Segundo os relatos, os bolsonaristas desferiram socos, chutes e agrediram verbalmente o fotógrafo Dida Sampaio e o motorista do jornal

Jornal GGN – Membros da equipe de reportagem do jornal Estado de S. Paulo foram agredidos neste domingo (3), enquanto trabalhavam fazendo a cobertura dos atos pró-governo Bolsonaro em frente ao Palácio do Alvorada.

Segundo os relatos, os bolsonaristas desferiram socos, chutes e agrediram verbalmente o fotógrafo Dida Sampaio e o motorista do jornal.

O fato marca o Dia da Liberdade de Imprensa no Brasil. “Isso é inadmissível. Estamos em marcha batida para solapar a democracia”, escreveu a jornalista Vera Magalhães.

O jornalista e blogueiro Rodrigo Vianna escreveu no Twitter: “Toda solidariedade aos colegas do @Estadao, agredidos pela malta fascista que os donos do jornal ajudaram a alimentar. Família Mesquita fomentou o golpe contra Dilma, a Lava Jato e a antipolítica. Clima de ‘esfola e mata’ petista agora vira ‘esfola e mata’ quem se opuser ao mito!”

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. Ninguém esbravejou, sequer deu um pio (tomara que não tenha dado uma risada) quando pessoas passaram a serem perseguidas por usarem vermelho, e expulsas do lugares por ser do PT, né?
    A experiência, através da história mostra que as cadelas do fascismo não têm limites, mas… valia qualquer coisa pra tirar o PT.
    Os tempos de volta das ondas, como insinua Zé Ramalho chegaram.

  2. As milícias bandidas e agora as milícias políticas de rua e de redes estão em claro treinamento para alçar vôos mais ‘altos’.
    No momento é só treinamento, testes, “probes’…
    Mas o circo já está de pé: PM’s “tranquilamente favoráveis”, FFAA com lado (os que estão lá não vão querer ser desmoralizadas, né?), partes mais truculentas e ativas da PF, Judiciário, MPF, Legislativos e uns 10% a 15% de fanáticos alucinados (de 100 milhões de votantes válidos?) e doidos para usar o aumento de suas munições multiplicadas em mais de 100(CEM) vezes (50/ano para 550/mês) pelo governo adolinquente.
    Notemos que na hora em que não pudermos recorrer a nenhuma destas instituições, chamaremos quem? Os boinas azuis da ONg? Ou a guarda Suiça do Papa? Mais fácil termos marines do Trump…
    Neste domingo, o (des)presidente da república se junta a ato contra as instiuições e à favor (da pessoa) dele. Declara, dentre outras que “…temos as Forças Armadas do nosso lado…”, “…acabou a paciência…”, “…não tem mais conversa…”. Coisas de macho gritando, atrás de sua gangue.
    Mas que não haja dúvida de que o golpe será dado na primeira oportunidade rela, que ainda não foi dada pelo funcionamento ainda institucional e cada vez mais precário.
    E cumprir-se-á (®Temer) a “professia” de um zero qualquer à esquerda de um jipe, um cabo e um soldado no STF e uns 4 de cada no Congresso.
    Em nosso favor, temos uma míRdia ainda dividida e um povo democráticocom certeza maior em quantidade (como em 64), mas muito menor em nível de atividade.
    E olha que a guerra fria e o comunismo infanto-devorador já ficaram distantes (ou deveriam).
    Hoje, embora sirvam-se dos mesmos “interesses”, os interesses são mais “práticos”: ruralistas invasores e devastadores, empresários da religião, bandidos
    milicianos, grupos de míRdia remunerados e empresários sonegadores/ escravistas (já dá até para ignorar os bancos, que estão sempre bem em qualquer caso).
    Interesses estrangeiros estão obviamente sempre à espreita, pronto para “cair matando”, pois o país é muito rico, o butim é inigualável nestes tempos.
    A participação real e virtual no ato de hoje é mais um motivo mais que urgente de parar esta divisão e desmonte da nação.
    Ou as instituições interrompem (urgentemente) esse processo em direção ao golpe
    Ou já, já não as teremos para nos defender.

  3. Que seja uma malta fascista. A questão não é o “que é”, mas o “como”. Sua estrutura, sua dinâmica, seus mecanismos psicossociológicos e como quebrá-los.
    Vai ter bolsonarista meio pedido na rua, desorientado, mas por uma boa causa.

  4. Eu vivi o suficiente para ver essa imprensa canalha, golpista, hipócrita e demagógica literalmente apanhar da população na rua. E fica melhor ainda quando essa violência e manifestações bizarras são realizadas por pessoas idiotizadas que até hoje não entenderam que a imprensa corporativa apóia o governo Bolsonaro e o ajudou a estar onde está.
    E a reação da imprensa corporativa, apenas reclamando, demonstra seu objetivo, que é o apoio pleno a política economica rentista e de entrega do país e a retirada total dos direitos da maioria dos brasileiros.
    Aceitam deixar seus empregados apanharem, se fazendo de indignados através de seus porta-vozes, também empregados, mas não pedem nenhuma providência efetiva. Os donos nunca apanham, é claro.

    • Não é disfarce Paulo.
      É comedimento dificílimo de constatar que esses lacaios de seus donos apanham em nome deles.
      E que mesmo assim, passada a tormenta, retornam ao posto de submissão incondicional no ataque a democracia que hoje reivindicam.
      É muito difícil ter pena dessa corja.
      Mas essa é lição da democracia: defender sua existência para aqueles que a atacavam.

  5. “Quando os nazistas vieram buscar os comunistas, eu fiquei em silêncio; eu não era comunista.

    Quando eles prenderam os sociais-democratas, eu fiquei em silêncio; eu não era um social-democrata.

    Quando eles vieram buscar os sindicalistas, eu não disse nada; eu não era um sindicalista.

    Quando eles buscaram os judeus, eu fiquei em silêncio; eu não era um judeu.

    Quando eles me vieram buscar, já não havia ninguém que pudesse protestar.”

    Martin Niemöller

    Primeiro os Fascistas investiram contra os pretos. Os Clãs Midiáticos não era pretos e aplaudiram
    Depois os Idiotas vieram atrás das putas. Ninguém as defendeu.
    Depois foi a vez dos pobres. A Rachel Cheiro Azedo teve orgasmos.
    Em seguida os Fascistas agrediram os Petistas. Os Clãs Midiáticos eram anti-petistas e ajudaram os Fascistas a agredirem os Petistas
    Agora os Fascistas se voltam contra os Clãs Midiáticos.
    E agora, José?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome