Ex-líder dos Panteras Negras acha que os policiais de hoje são mais cruéis do que nos anos 60

"Há mais uma proteção institucional: a Ordem Fraterna de Polícia e outras estruturas reacionárias de direita organizadas que protegem os departamentos policiais", diz o agora congressista Bobby Rush

Da Revista Vice

O congressista de Illinois, Bobby Rush, começou sua carreira política não como democrata, mas como líder dos Panteras Negras. Ele tinha um lugar na primeira fila da turbulência do final da década de 1960 em Chicago, o epicentro da violência entre a polícia e os manifestantes. Ele se tornou o chefe do capítulo quando a polícia matou Fred Hampton, o líder dos Panteras.

Tão ruins quanto os policiais eram então, Rush acha que estão piores agora.

“O departamento de polícia provavelmente é mais cruel agora do que nos anos 60”, disse Rush à VICE News em entrevista. “Existe mais uma proteção institucional: a FOP, a Ordem Fraterna de Polícia e outras estruturas reacionárias de direita organizadas que protegem os departamentos policiais”.

No dia em que Martin Luther King foi assassinado em abril de 1968, Rush saiu do Exército para ajudar sua comunidade. Ele estava lá enquanto partes da cidade queimavam em tumultos, trabalhando para manter a paz em seu bairro. E ele, enquanto tentava manter os negros afastados dos protestos fora da Convenção Nacional Democrata, para que eles não se tornassem alvos da polícia, ele testemunhou quando a polícia atacou manifestantes pacíficos que se manifestavam contra a guerra no Vietnã no final do verão.

Um ano depois, a polícia invadiu o apartamento onde Fred Hampton morava e o matou a tiros. A polícia alegou ter participado de um tiroteio com os Panteras Negras, mas um relatório federal posterior descobriu que os policiais dispararam quase 100 tiros contra apenas um de um Pantera Negra. Rush, que co-fundou o capítulo das Panteras Negras de Illinois com Hampton, deveria estar no apartamento, mas saiu mais cedo naquela noite. E quando a polícia chegou à casa de Rush, ele se escondeu temporariamente.

Muitos fizeram comparações entre os protestos da Black Lives Matter que envolvem os Estados Unidos e o período turbulento do final da década de 1960. Rush vê alguns paralelos diretos entre como a polícia atacou manifestantes pacíficos na época e como os policiais retiraram agressivamente manifestantes pacíficos da Casa Branca na semana passada, para que o presidente Trump pudesse tirar uma foto na frente de uma igreja histórica.

“Isso me lembrou 1968, quando a polícia era a responsável pelos tumultos”, disse ele.

Observe o que ele pensa das comparações entre Trump e o presidente Nixon – e o que ele acha que mudou e permaneceu o mesmo na justiça e no policiamento racial no meio século em que esteve na política.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora