Flávio Bolsonaro confirma reunião com Marinho, mas nega vazamento sobre Furna da Onça

Jornal divulgou vídeo de oitiva do Senador prestada ao procurador Eduardo Benones, no último dia 20 de julho

Flávio Bolsonaro. | Foto: Jane de Araújo / Agência Senado

Jornal GGN – Em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), afirmou que teve reunião com o empresário Paulo Marinho, em dezembro de 2018. No entanto, o filho de Jair Bolsonaro (sem partido) negou o vazamento de qualquer informação sobre a Operação Furna da Onça, deflagrada pela Lava Jato em novembro daquele ano, para apurar esquema de corrupção de políticos do Rio de Janeiro.

Flávio prestou oitiva ao procurador da República Eduardo Benones, em seu gabinete, em Brasília, no último dia 20 de julho. Um vídeo foi depoimento divulgado nesta sexta-feira, 31 de julho pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

O senador é testemunha do inquérito, aberto porque Marinho afirmou que Flávio teve acesso a informações sigilosas sobre a operação e pediu uma reunião com ele (Marinho), para debater estratégias de defesa.

Ao MPF, Flávio disse que procurou Marinho porque precisava de um advogado e julgava que ele tinha conhecimento sobre bons profissionais da área.

“É uma situação que vai acontecendo. A imprensa atirando pedra em mim, eu tinha que me defender, procurar um advogado. Foi essa a intenção [de se reunir com Marinho], porque o Marinho eu tinha a percepção de que era uma pessoa bem relacionada no mundo jurídico. Então fui consultá-lo pra ver se ele tinha uma pessoa para indicar”, disse o senador durante o depoimento.

Marinho disse na investigação que ouviu do advogado Vitor Granato Alves, amigo de infância de Flávio, a informação sobre o vazamento da Operação Furna da Onça. Flávio garante que “certamente ele [Marinho] ouviu uma coisa e entendeu errado”.

O senador negou ter ouvido ou participado de qualquer reunião na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, em que tivesse sido informado sobre a Operação Furna da Onça.

Leia também:  Gilmar e Lewandowski reconhecem que Moro é parcial e interferiu na eleição

Já Paulo Marinho negou ao Jornal Nacional ter interpretado errado qualquer afirmação de Alves e reafirmou as informações prestadas pelo amigo de Flávio.

Com informações do jornal Estado de S. Paulo. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome