Forças Armadas não irão reagir contra impeachment de Bolsonaro, diz ex-ministro da Defesa

Para o ex-ministro, as Forças Armadas entendem que não sofrem desprestígio no atual governo. "O desgaste é do governo e dos seus ministros, militares e civis"

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – As Forças Armadas seguem a Constituição e acreditam que o impeachment é de responsabilidade exclusiva dos políticos. Sendo assim, os militares não irão se envolver caso o processo de afastamento seja deflagrado contra o presidente Jair Bolsonaro. Pelo menos é o que acredita o ex-ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Em entrevista ao Antagonista, Jungmann disse que “na atual crise, os militares seguirão expressamente o que determina a Constituição” e que, “para eles, impeachment é tema da política. E, como disse o comandante Pujol [Edson Leal Pujol, atual comandante do Exército] de modo vertical e os demais comandantes, os militares não querem ou aceitam política nos quartéis.”

Além disso, para o ex-ministro, as Forças Armadas entendem que não sofrem desprestígio no atual governo. “O desgaste é do governo e dos seus ministros, militares e civis.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora