Gasto com cota parlamentar em 20 anos totaliza R$ 6,4 bilhões

Valor corresponde ao orçamento da Fiocruz na pandemia; penduricalho criado em meio a pressão por aumento salarial de parlamentares gerou efeito cascata

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Câmara dos Deputados gastou um total de R$ 6,4 bilhões (valores corrigidos) entre 2001 e 2021 com a cota parlamentar – o valor é equivalente a todo o orçamento executado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) durante a pandemia de covid-19 (R$ 6,5 bilhões).

Além da cota – que subsidia aluguel de carros, combustível, alimentação, contratação de serviços, entre outros -, os parlamentares recebem um salário/subsídio mensal de R$ 26,7 mil e uma verba de gabinete de R$ 111,7 mil, para o pagamento de até 25 secretários parlamentares para trabalharem em Brasília ou no estado onde o deputado foi eleito.

Como explica o jornal O Estado de S.Paulo, a cota parlamentar foi criada pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG) quando ele ocupava a presidência da Câmara, com o nome de verba indenizatória, para conter a pressão dos deputados por aumento salarial. Contudo, ela gerou um efeito cascata: as Assembleias Legislativas dos 26 Estados e do Distrito Federal acabaram criando cotas parlamentares para financiar o trabalho, o que também foi replicado por todos os municípios brasileiros.

O valor gasto para pagar a cota parlamentar dos deputados em 20 anos seria suficiente para manter o trabalho da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por quase dez anos, considerando que a agência teve um orçamento de R$ 659,7 milhões no ano passado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora